sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

EUGÉNIA CUNHA APRESENTA A ANTROPOLOGIA FORENSE

2 comentários:

  1. A antropologia forense deveria ser uma disciplina obrigatória nos cursos científico-humanísticos do ensino secundário, senão muitos dos nossos jovens poderão escolher às cegas, baseados apenas na visualização de séries televisivas fantasistas, profissões que têm tudo a ver com o crime e a morte!

    ResponderEliminar
  2. Em Portugal, dada a exiguidade do Estado, que o Doutor Adriano Moreira soube caraterizar como mais ninguém, ideias estapafúrdias como as veiculadas pelo comentário supra não são exequíveis dentro de um horizonte temporal inferior a meia dúzia de décadas bem contadas. Criar uma disciplina de Antropologia Forense nas escolas secundárias é bem mais complexo do que tirar um coelho de uma cartola vazia. Por mim, seria muito mais fácil incluir nos currícula liceais a disciplina Introdução em Cunicultura, bem planificada e melhor lecionada por professores licenciados e educadores de infância credenciados em saberes formais, não formais, informais e folclóricos. Infelizmente, nos fora de ciências da educação, o valor pedagógico associado à atividade económica da criação de coelhos nunca teve a aceitação que merece. Para eles, ensinar a crianças de 12 anos que o BIG-BANG deu origem ao Universo é mais importante!

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.