sexta-feira, 15 de setembro de 2017

“O AVÔ E OS NETOS FALAM DE GEOLOGIA”

Novo post de Galopim  de Carvalho:

“O AVÔ E OS NETOS FALAM DE GEOLOGIA”
Vai sair em 2ª edição
Ponto 1 - Vivo perfeitamente, feliz e em paz com a minha reforma, o que nunca me impediu de, no meu exercício de cidadania, me situar do lado da “barricada” dos explorados.
Ponto 2 - Como autor, que sou, de mais de uma vintena de livros, nunca actuei nem não actuo a pensar nos direitos de autor. Direi, mesmo, que me basta a sorte de ter um editor que dê à estampa o produto do meu trabalho.
Ponto 3 – Já vivi muito, já trabalhei muito e já tive as homenagens que tive. Não procuro mais, não preciso, como se diz, de me “pôr nos bicos dos pés”. Apenas procuro servir no domínio em que adquiri alguma competência – o ensino da disciplina em que fui profissional, quer no terreno e no laboratório, como geólogo, quer na sala de aula, a todos os níveis de escolaridade.
Ponto 4 – Se insisto em publicitar aqui, no Facebook, este meu novo livro, é apenas, repito, é apenas porque entendo (e já dei sobejas provas de que tenho autoridade para tal) que ele deve ser lido, em especial, pelos Professores que ensinam Geologia e Geografia nas nossas Escolas.
Ponto 5 - Entendo, mas não insisto em afirmá-lo, que ele oferece ao leitor jovem ou adulto uma informação, a nível geral e básico, sobre a história do nosso Planeta, indispensável à sua condição de cidadania.

Este livro é uma ideia tão feliz quanto necessária e útil. O seu valor pedagógico é comparável aos cadernos de iniciação científica de Rómulo de Carvalho. Com uma diferença que lhe acentua a utilidade: é que me parece que precisam tanto dele os jovens alunos como os professores do ensino básico e secundário que temos e em que me incluo. Recomendá-lo-ei aos meus alunos do secundário, assim como tomarei a iniciativa de o recomendar aos colegas de grupo disciplinar e ainda solicitarei à direcção da Escola que adquira meia dúzia deles para a biblioteca”.
José Batista da Ascenção

Professor de Biologia e Geologia da Escola Secundária Carlos Amarante, Braga

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.