quarta-feira, 23 de novembro de 2016

NOVIDADES CLASSICA DIGITALIA

Os Classica Digitalia têm o gosto de anunciar 3 novas publicações, com chancela editorial da Imprensa da Universidade de Coimbra e Annablume (São Paulo).

Todos os volumes dos Classica Digitalia são editados em formato tradicional de papel e também na biblioteca digital. O eBook correspondente encontra-se disponível em acesso aberto. 

NOVIDADES EDITORIAIS

Série “Humanitas Supplementum” [Estudos]

-  Claudio Castro Filho, “Eu mesma matei meu filho”: poéticas do trágico em Eurípides, Goethe e García Lorca (Coimbra e São Paulo, Imprensa da Universidade de Coimbra e Annablume, 2016). 245 p.                            
DOI: 
http://dx.doi.org/10.14195/978-989-26-1222-5

[A representação poética do filicídio materno é o eixo conceitual para a aproximação, proposta neste livro, entre três dramaturgos que, embora distantes no tempo, se avizinham no interesse que compartilham pela matéria trágica. A partir desta perspetiva, a Medeia (431 a.C.) de Eurípides, a Gretchentragödie (1790) de Goethe e a Yerma (1934) de García Lorca confirmam-se como obras teatrais cujo sentido do trágico repousa na antinomia do assassinato da criança pelas mãos daquela que lhe deu a vida. O presente ensaio propõe uma leitura comparada entre os clássicos em questão e o debate intelectual que as suas tragédias suscitaram, desde as discussões sobre o valor da poesia e da catarse (Platão, Aristóteles), passando pelas questões do sublime e da vontade (Kant, Schiller, Schopenhauer), até às modernas revisões do trágico propostas por Nietzsche e Unamuno.]

Série “DIAITA: Scripta & Realia”

  Joaquim Pinheiro Carmen Soares (coords.), Patrimónios alimentares de aquém e além-mar (Coimbra e São Paulo, Imprensa da Universidade de Coimbra e Annablume, 2016) 729 p.                                
DOI: 
http://dx.doi.org/10.14195/978-989-26-1191-4

[Os estudos reunidos neste volume refletem, de uma forma geral, sobre a alimentação enquanto elemento de extraordinário valor cultural e identitário. Com abordagens diversas ao património alimentar, seja numa perspetiva linguística, seja numa análise mais literária ou cultural, com o devido enquadramento histórico, social e espacial, o conjunto dos trabalhos realça a importância desta temática, desde a Antiguidade Clássica até aos nossos dias. Os trinta e quatro contributos da obra estão reunidos nos seguintes capítulos: 1. Alimentação: património imaterial; 2. Alimentação e património literário; 3. Alimentação e património linguístico; 4. Alimentação: saúde e bem-estar; 5. Alimentação: sociedade e cultura; 6. Alimentação e diálogo intercultural.]


  Jorge Deserto & Susana Marques PereiraEstrabão. Geografia. Livro III. Introdução, tradução do Grego e notas (Coimbra e São Paulo, Imprensa da Universidade de Coimbra e Annablume, 2016) 127 p.                                
DOI: 
https://doi.org/10.14195/978-989-26-1226-3

[O tomo III da Geografia estraboniana descreve a Ibéria a partir da perspetiva de um Grego em Roma entre os reinados de Augusto e de Tibério, dos quais o autor era contemporâneo. Testemunha da expansão romana para os confins da Europa, o geógrafo de Amásia sublinha o importante papel civilizador e pacificador de Roma no extremo ocidental do mundo conhecido. Nesta edição, apresenta-se a tradução do texto grego, acompanhada de notas explicativas, bem como uma introdução geral que contempla elementos sobre o autor e o conjunto da sua obra, uma breve apresentação das fontes que mais influenciaram o geógrafo e um plano do livro III.]

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.