domingo, 29 de novembro de 2020

MAIS VALE PREVENIR DO QUE REMEDIAR



 

Acabo de ler no "Público" (28/11/2020) esta notícia que, com a devida vénia, transcrevo parcialmente, que dá conta da  indefinição que reina (facto que tem merecido vários artigos meus, um deles publicado hoje no “De Rerum Natura”) no que tange à vacinação corona vírus. Assina a notícia a eurodeputada do PSD Maria da Graça Carvalho, na foto.:


"Em Portugal, se uma campanha preparada todos os anos atravessa dificuldades, o que esperar de uma campanha que nunca antes foi montada?

O anúncio de que duas vacinas apoiadas por fundos comunitários – a Curevac e a BioNTech – estão na linha da frente para a resposta à covid-19 é uma vitória para a Comissão Europeia e mais uma prova clara da importância do investimento em investigação científica. Pela primeira vez, nestes longos meses de incerteza, há uma saída à vista para esta crise de saúde pública. Temos de estar prontos para a colocar em prática o mais rapidamente possível.

A importância de preparar cuidadosamente, mas sem hesitações, o arranque da vacinação tem sido enfatizada pela Comissão, que pediu aos Estados-membros para terem as suas estratégias de vacinação concluídas até ao final deste mês, e antecipou-lhes até parte do trabalho de casa, divulgando uma série de recomendações. Estas abrangem desde os grupos prioritários a vacinar – tais como maiores de 60 anos, pessoas com sistemas imunitários comprometidos, profissionais de saúde, outros profissionais de setores fundamentais – às redes de distribuição, meios técnicos de armazenamento (nomeadamente de refrigeração) e pessoal qualificado a colocar no terreno (...).

Sem comentários:

Publicar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.