quinta-feira, 6 de agosto de 2020

LIVROS PARA O VERÃO

Meu artigo no Público de hoje:

A pandemia causou entre nós e no mundo, entre muitas outras baixas, um decréscimo na edição e comércio livreiro. Na semana de Março em que o país entrou em estado de emergência, a queda da venda dos livros foi superior a dois terços do registado na semana homóloga do ano anterior. Depois, ainda ficou pior. A edição caiu a pique, devido à diminuição de procura. As poucas sessões de lançamentos que persistiram foram passadas para o on-line. As feiras do Livro de Lisboa e Porto foram adiadas para o final de Agosto. 
Imagem aqui

O Ministério da Cultura devia ter respondido com uma aquisição maciça de livros para as bibliotecas públicas, mas apenas anunciou um apoio ridículo (em média de 1700 euros) em aquisições a 251 editoras e livrarias. A ministra declarou ao JL (29/7) que o sector do livro é  ”estruturante a nível de futuro”. Palavras vãs, para além de o português ser lamentável. 

(...)

Ver o resto no sítio do jornal (só para assinantes)

2 comentários:

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.