quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

“PERCURSOS PARALELOS, CIÊNCIA, FOTOGRAFIA E HISTÓRIA NO CONHECIMENTO”




Na próxima 4ª feira, dia 13 de Fevereiro de 2019, pelas 18h00, vai ocorrer no Rómulo Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra a palestra “Percursos Paralelos, Ciência, Fotografia e História no Conhecimento”, por Alexandre Ramires, conhecido e importante historiador e coleccionador da fotografia portuguesa.

Esta palestra integra-se no ciclo "Ciência às Seis - Terceira temporada"*..

Sinopse da palestra:
"A Fotografia - e a inovação que representa - foi desde os seus primórdios considerada como uma invenção fundamental para o aprofundamento do conhecimento científico. Sendo vista como uma nova forma de medição e registo na investigação, foi, portanto, natural que os locais de apresentação da sua descoberta, divulgação e progressivo melhoramento tenham sido as mais importantes Academias Científicas mundiais.

O acesso a estas imagens produzidas pela luz possibilitou um crescimento exponencial do número de registos visuais, o que revolucionou a relação da humanidade com a sua memória, alargando horizontes aos historiadores do futuro. 

Serão mostrados exemplos de autênticas viagens no tempo a lugares que hoje ocupamos e que julgávamos serem de visualização impossível, mas que voltaram a revelar-se com o auxílio de fotografias com mais de um século. Este recurso à fotografia antiga funciona como uma poderosa máquina do tempo, abrindo caminho a descodificações inesperadas que alimentam as narrativas da História.

Rómulo de Carvalho publicou em Coimbra, em 1952, na Atlântida Editora, um livrinho com o título “História da Fotografia”, na coleção “Ciência para gente nova”, onde assinalava os momentos mais importantes desta área de conhecimento. Nos últimos setenta anos vários investigadores trouxeram a público novos dados que complementam esta obra do patrono deste centro de “Ciência Viva”.

Nesta comunicação serão identificadas as que se julgam ser as primeiras imagens fotográficas produzidas em vários países, tais como em França, Estados Unidos, Espanha, Brasil, Uruguai, Austrália e Portugal. No caso português serão abordados os casos de Lisboa, Coimbra e Porto.

No que concerne ao recurso à fotografia pela atividade científica, serão referidos vários exemplos nacionais e estrangeiros. Têm como base o território nacional e mostram os grandes avanços da fotografia no que respeita ao relevo ou estereoscopia, à cor, ao instantâneo, ao movimento e ao invisível. Alguns desses progressos estiveram na origem da atribuição de prémios Nobel, nomeadamente a Gabriel Lippmann pela fotografia a cores e a Roentgen pelos Raios X, tendo estas inovações sido aplicadas de imediato em Coimbra por António dos Santos Viegas e Henrique Teixeira Bastos."




Sobre Alexandre Ramires:
É professor de Ciências Físico-Químicas na Escola Secundária de Infanta D.Maria em Coimbra.
Leccionou as cadeiras “História da Fotografia” e “Géneros Fotográficos” da Licenciatura em Estudos Artísticos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
Dirigiu a Imagoteca Municipal de Coimbra.
Foi coordenador do Arquivo de Fotografia do Porto do Centro Português de Fotografia.
Concebeu e executou, entre outras, as exposições:
“Memória das Oposições”, sobre a atividade das oposições ao Estado Novo;
“Há horas que são de todos” e “25 por 25 | Em Abril, um Quartel Depois”, sobre o 25 de Abril de 1974 em Coimbra”;
“Revelar Coimbra” e “Passado ao Espelho”, sobre os primórdios da fotografia em Coimbra;
“Ver a República”, sobre a relação da Universidade de Coimbra com a implantação de República em Portugal.
É membro do Ceis20-Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX.
Desenvolve investigação sobre a História da Fotografia em Portugal e especialmente em Coimbra, área em que tem sido autor de várias publicações.

*Este ciclo de palestras é coordenado por António Piedade, Bioquímico, escritor e Divulgador de Ciência.

ENTRADA LIVRE

Público-Alvo: Público em geral
Link para o evento no facebook

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.