sábado, 12 de janeiro de 2019

​Não há acordo sobre Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa" (notícia da Rádio da Câmara dos Deputados, do Brasil)

Notícia recebida de Ivo Barroso:

11/01/2019 17h46 - Atualizado em 11/01/2019 18h52

Não há acordo sobre Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

O acordo ortográfico entrou em vigor no Brasil no início de 2009. São dez anos de tentativas de enquadrar a língua escrita nos oito países que falam português e assinaram o acordo
notícia comleta com áudio

«Na avaliação de Josenia Antunes Vieira, professora titular do Instituto de Letras da Universidade de Brasília, o acordo foi feito por interesses políticos:

 "Um acordo ortográfico ele é altamente, digamos assim, impositivo, ele é ditatorial, digamos assim. Ele vai impor mudanças que não seriam, nesse momento, o que aconteceriam, talvez até nunca acontecesse. (...) Nós temos diferenças culturais e também ideias diferentes sobre a cultura, tanto em Portugal como em outros países que falam a língua portuguesa no mundo. Na verdade, não precisaríamos de um acordo ortográfico. (...) É alguma coisa na contramão do desenvolvimento da escrita. Porque a fala, ela segue um processo de mudanças muito mais célere que os processos de escrita. A escrita é muito mais conservadora, ela é muito mais permanente e ela retém as mudanças."

 Por conta da hegemonia do Brasil entre os falantes da língua portuguesa, segundo a professora Josênia, muitos portugueses têm se sentido "injuriados" com o Acordo.»

 Para a presidente da Comissão de Cultura da Câmara, a deputada Raquel Muniz, do PSD de Minas Gerais, os dez anos do Acordo Ortográfico são um momento para revisão da norma:

 "Mudanças, elas não ocorrem só através de uma norma fria. Elas têm que vir a partir de modificações que ocorrem de acordo com os nossos costumes. E ao longo dos anos, da colonização, a gente percebe essa mudança, e isso acaba se transformando em lei. Esses dez anos, eu acho que seria pertinente, dentro da Câmara, a gente fazer um trabalho pra avaliar o que que efetivamente aconteceu com essas normas, se algumas precisam ser revistas e, com certeza, eu acho que é um marco importante se fazer uma revisão de tudo isso."

 O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa só se tornou obrigatório no Brasil em 2016. Em Portugal e Cabo Verde o acordo também já é obrigatório. Mas isso ainda não ocorreu nos outros países que falam português.»

1 comentário:

  1. Sejamos transparentes: com este "acordo ortográfico" pretende-se, acima de tudo, que os brasileiros, os portugueses, os angolanos, os moçambicanos, os cabo-verdianos, os guineenses, os timorenses e os são-tomenses, passem todos a escrever em "brasileiro". Eu estou de acordo, mas não concordo!...
    Em Portugal, as autoridades políticas pretendem realmente acabar com o ensino nas escolas públicas, mas só dizem ao povo que isso é bom para as crianças que, não tendo que aprender nada, ou quase, atingirão altos níveis de sucesso educativo, o que acabará por ser bom para toda a sociedade portuguesa, enriquecida por uma segunda geração mais bem preparada de sempre. Tínhamos médicos doutores, temos agora enfermeiros doutores e, passem mais meia dúzia de anos, teremos doutores auxiliares de ação médica!

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.