quarta-feira, 27 de junho de 2018

O NRP "SAGRES" EM BOSTON





Fotos que tirei de fora e dentro do NRP Sagres nas recentes comemorações do Dia de Portugal em Boston. EUA. Estive em Boston a convite da PAPS para o seu Forum que teve lugar na School of Law da Universidad de Harvard, que se intulou "Sailing into the Future."

Da Wikipedia:

"SAGRES III: Foi construído nos estaleiros da Blohm & Voss, em Hamburgo, em 1937, para desempenhar funções como navio-escola da Marinha Alemã — onde era chamado Albert Leo Schlageter — juntamente com os seus semelhantes da classe Gorch Fock: o primeiro, que deu o nome à classe, o segundo, ex-Horst Wessel (atual USCGC Eagle), e o quarto, Mircea; houve ainda um quinto, o Herbert Norkus, destruído antes de ter sido terminado.
No final da II Guerra Mundial, foi capturado pelas forças dos Estados Unidos, sendo vendido à Marinha do Brasil em 1948 por um valor simbólico de $5.000 dólares.No Brasil foi baptizado de Guanabara, servindo como navio-escola até 1961, data em que foi adquirido por Portugal por 150.000 dólares para ser usado em substituição do Sagres II (ex-Rickmer Rickmers). (...)  O navio recebeu o mesmo nome do antecessor, entrando ao serviço da Marinha Portuguesa em 8 de fevereiro de 1962.
(...) Ao serviço da marinha portuguesa já deu três voltas ao mundo, a primeira em 1978/1979 e a segunda em 1983/1984. A 4 de julho de 1984, foi feito Membro-Honorário da Ordem do Infante D. Henrique. Em 19 de janeiro de 2010, partiu para a terceira volta ao mundo. No total, a viagem tem uma duração estimada de 339 dias, dos quais 71 por cento a navegar e 29 por cento nos portos. O navio passa por 27 cidades costeiras, de 19 países diferentes, antes de regressar a Lisboa, em dezembro de 2010. Além das circum-navegações, a Sagres III participou na Regata Colombo (1992), nas comemorações dos 450 anos da chegada dos Portugueses ao Japão (1993) e ainda nas celebrações por ocasião dos 500 anos da Descoberta do Brasil (2000)."
Para saber mais sobre a Sagres leia-se o magnífico livro ilustrado que os CTT publicaram sobre ela.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.