terça-feira, 31 de outubro de 2017

CONGRESSSO INTERNACIONAL UM CONSTRUTOR DA MODERNIDADE LUTERO – TESES – 500 ANOS


LISBOA, 9, 10 e 11 de novembro de 2017
www.congressolutero500anos.org

PROGRAMA
(PRIMEIRA VERSÃO)

1.º DIA – 9 de novembro, quinta-feira
FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN (Avenida de Berna)
MANHÃ
08h30 – RECEÇÃO DOS CONGRESSISTAS
09h00 SESSÃO DE ABERTURA (Auditório III)
Presidente da República
Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian
Reitor da Universidade Aberta
Reitor da Universidade Lusófona
Reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie
Diretor da Área de Ciência das Religiões
Presidente da Comissão Científica
Presidente da Comissão Organizadora
Momento musical com Coral Allegro

09h30 CONFERÊNCIA DE ABERTURA (Auditório III)
Presidente de Mesa: José Eduardo Franco (Universidade Aberta)
Revisitando a Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo, de Max Weber — ou sobre o
interface da ideologia com o real, Onésimo Teotónio de Almeida (Universidade de Brown)
10h00 SESSÃO PLENÁRIA (Auditório III)
Teologia(s) da(s) Reforma(s)
Presidente de Mesa: Paulo Mendes Pinto (Universidade Lusófona)
Protestantismo e Inquisição na Época Moderna, Adriano Prosperi (Escola Normal Superior de Pisa)
Reflexos da teologia de Lutero na cultura e literatura, Eduardo Lourenço (Fundação Calouste Gulbenkian)
Quand l'interprétation de la Bible change le monde — la Réforme comme tournant herméneutique, Pierre Bühler (Universität Zürich)
O Paradigma esquecido da Reforma: a essência dinâmica da ação reformadora, José Brissos-Lino (Universidade Lusófona)
O ministério profético da teologia em Lutero, Porfírio Pinto (Universidade de Lisboa)
Relações Laborais e o Valor do Trabalho e da Profissão em Lutero, Marcel Mendes (Universidade Presbiteriana Mackenzie)
Debate
12h15 INTERVALO
12h30 Inauguração da exposição: História da Reforma em 500 selos
13h00 ALMOÇO
TARDE
14h00 SESSÃO PLENÁRIA (Auditório III)
Modelações políticas e sociais da reforma protestante
Presidente de Mesa: Timóteo Cavaco (Universidade Nova de Lisboa)
A Genebra de Calvino — utopia ou realidade, Lidice Meyer Pinto Ribeiro (Universidade Presbiteriana Mackenzie)
A influência do protestantismo nas teorias políticas modernas, João Relvão Caetano (Universidade Aberta)
Protestantismo e a modelação do anticlericalismo moderno, Luís Machado de Abreu (Universidade de Aveiro)
A legitimação da autoridade segundo Lutero, Rui Oliveira (Universidade de Lisboa)
Do Polemismo Teológico ao Político: Calvino e Knox – Convergências e Divergências, Maria Zina Gonçalves de Abreu (Universidade da Madeira)
A justificação pela Fé – Perspetivas e relevância atual, Alan Pallister (Seminário Teológico Baptista)
Debate
16h00 INTERVALO
16h15 SESSÃO SEMI-PLENÁRIA I (Auditório III)
Bíblia, Teologia e Cultura
Presidente de Mesa: Simão Daniel Silva (Universidade Aberta)
Democratização da leitura e da interpretação da Bíblia, Samuel Escobar (Faculdade Protestante de Teologia - UEBE)
Martinho Lutero entre Humanismos Cristãos e Expectativas Apocalípticas, Rui Luís Rodrigues (UNICAMP)
O valor das Obras em Lutero, Miguel Barcelos (Universidade de Lisboa)
Bíblia, tradução e leitura: João Ferreira de Almeida e a construção da lusofonia, Herculano Alves (Ordem dos Franciscanos Capuchinhos)
A hermenêutica bíblica a partir da Reforma e os seus desafios contemporâneos: Da ressignificação do texto à ressignificação da vida, Israel Mazzacorati Gomes (Faculdades EST – Escola Superior de Teologia)
Da liberdade nos nossos dias à De Libertate Christiana, André Barata (Universidade da Beira Interior)
Debate
17h15 INTERVALO
16h15 SESSÃO SEMI-PLENÁRIA II (Sala I)
Tradição e a Centralidade da Palavra na Reforma
Presidente de Mesa: Porfírio Pinto (Universidade Aberta)
Ecclesia aeterna – A receção dos Pais da Igreja em Lutero, Artur Villares (ISLA - Instituto Politécnico de Gestão e Tecnologia)
A centralidade da pregação na reforma da Igreja em perspetiva protestante, Tiago Cavaco (Gabinete de Estudos do Protestantismo em Portugal/CIDHUniversidade Aberta)
A obsessão do regresso às origens do cristianismo nas correntes reformistas protestante e católica, José Eduardo Franco (Universidade Aberta)
A Igreja, criatura da Palavra, António Canoa (Universidade Lusófona)
Debate
17h15 INTERVALO
17h30 Recital de piano (Clássicos da hinologia protestante)

2.º DIA – 10 de novembro, sexta-feira
FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN
(Avenida de Berna)
MANHÃ
09h00 Conferência de Abertura (Auditório III)
Presidente de Mesa: Annabela Rita (Universidade de Lisboa)
O Espírito da Reforma em Portugal, Guilherme d’Oliveira Martins (Fundação Calouste Gulbenkian)
09h30 SESSÃO PLENÁRIA (Auditório III)
Reforma e reforma(s) na educação
Presidente de Mesa: José Brissos-Lino (Universidade Lusófona)
A Universidade e as reformas na época moderna, João Paulo Oliveira e Costa (Universidade Nova de Lisboa)
As Reformas religiosas e o nascimento da escolarização Ocidental, Norberto Dallabrida (Universidade do Estado de Santa Catarina)
Educação para todos na Reforma: Direito e Liberdade, Wilson do Amaral Filho (Universidade Presbiteriana Mackenzie)
Propostas educativas de Lutero, Elcio Cechetti (Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina)
Lilian Blanck de Oliveira (Universidade Regional de Blumenau)
Debate
11h00 INTERVALO
11h15 SESSÃO PLENÁRIA (Auditório III)
Reforma(s): Política, Direito e Sociedade
Presidente de Mesa: Joaquim Franco (Universidade Lusófona)
A Reforma Luterana na esfera política: Uma grandeza paradoxal , Viriato Soromenho-Marques (Universidade de Lisboa)
Protestantismo, Protonacionalismo e o processo de confessionalização dos Estados
nacionais. José Ignacio Ruiz Rodrigues (Universidade de Alcalá de Henares)
Pintura Reformada, Vítor Serrão (Universidade de Lisboa)
Modelação protestante das teorias do Direito, Paulo Albuquerque (Tribunal Europeu dos Direitos Humanos)
Elogios da Razão: Erasmo e a Paz Incondicional, Fernando Marques (Instituto de Artes da Universidade de Brasília)
Significado e importância teológico-política do 'Apelo à nobreza cristã da nação alemã'
(1520), José Silva Rosa (Universidade da Beira Interior)
Debate
13h00 ALMOÇO
TARDE
14h00 SESSÃO PLENÁRIA (Auditório III)
Protestantismo e os Outros
Presidente de Mesa: Adérito Marcos (Universidade Aberta)
Protestantismo e judaísmo em Portugal, Paulo Mendes Pinto (Universidade Lusófona/Cátedra de Estudos Sefarditas)
Protestantismo e Maçonaria, António Ventura (Universidade de Lisboa)
Protestantismo e Maçonaria em Espanha, José-Leonardo Ruiz Sánchez (Universidad de Sevilla)
Uma crítica iluminista ao protestantismo em Portugal, Manuel Curado (Universidade do Minho)
Questões de intolerância e conflito no quotidiano religioso do arquipélago da Madeira, Alberto Vieira (Centro de Estudos de História do Atlântico)
Debate
16h00 INTERVALO
16h15 SESSÃO SEMI-PLENÁRIA I (Auditório III)
Imprensa e Protestantismo
Presidente de Mesa: Rui Rêgo (Universidade de Lisboa)
O contributo da Imprensa para a divulgação das ideias da Reforma: De uma mente para
Deus de Erasmo à mente de Melanchthon em fidelização ao Mestre – a Imprensa como
propagadora de um outro humanismo pela fé, Manuel Cadafaz de Matos (Centro de Estudos da História do Livro e da Edição)
Da Imprensa de Reforma à reforma da Imprensa?, Márcia Rogério Marat (Lab Méditéranée da Université Côte d’Azur)
A Reforma n'a Reforma: Primeiro Jornal Protestante Português, José António Afonso (Universidade do Minho), António Manuel S. P. Silva (Instituto Anglicano de Estudos Teológicos)
Debate
16h15 SESSÃO SEMI-PLENÁRIA II (Sala I)
Influências protestantes em correntes pedagógicas reformistas
Presidente de Mesa: Noberto Dallabrida (Universidade do Estado de Santa Catarina)
A Cruzada Pedagógica pela Escola Nova e ação do professorado católico no Rio de Janeiro
(final da década de 1920), Mauro Castilho Gonçalves (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo)
Escolanovismo católico backheusiano e Protestantismo: apropriações e representações da
Escola Nova em “Manual de Pedagogia Moderna, Maristela Rosa (Universidade do Estado de Santa Catarina) , Gladys Mary Teive (Universidade do Estado de Santa Catarina)
Influências protestantes no movimento da Escola Moderna, Rita Balsa de Pinho (Universidade Aberta)
Debate
19h00 Porto de Honra oferecido pela Câmara Municipal de Lisboa
19h15 Teatro: O braço esquerdo de Cristo (monólogo)

3.º DIA – 11 de novembro, sábado
UNIVERSIDADE LUSÓFONA (Avenida do Campo Grande)
MANHÃ
09h00 CONFERÊNCIA DE ABERTURA (Auditório Agostinho da Silva)
Presidente de Mesa: Alberto Vieira (Centro de Estudos de História do Atlântico)
Protestantismo no quadro das reformas da Época Moderna, Pierre-Antoine Fabre (École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris)
09h30 SESSÃO SEMI-PLENÁRIA I (Auditório Agostinho da Silva)
Reformas na Arquitetura e na Arte
Presidente de Mesa: Rui Oliveira (Universidade de Lisboa)
A música da reforma protestante, Elisa Lessa (Universidade do Minho)
O carácter peculiar da arquitetura das Misericórdias no quadro da Arquitetura Reformada, Joana Balsa de Pinho (Universidade de Lisboa)
1517: A arquitetura e o discurso de poder em Portugal no tempo de Lutero, Ricardo Silva (Instituto Politécnico de Castelo Branco)
O mármore da Reforma: Arquitetura e Arte, Carlos Filipe (Universidade de Lisboa)
A representação da verdade através da mimesis: o retábulo fingido na arte da Contrarreforma em Portugal, Patrícia Monteiro (Universidade de Lisboa)
Debate
11h15 INTERVALO
09h30 SESSÃO SEMI-PLENÁRIA II (Auditório da Biblioteca Vítor Sá)
Olhares cruzados sobre a reforma protestante
Presidente de Mesa: Cristiana Lucas (Universidade de Lisboa)
Protestantismo e os Protestantismos, Timóteo Cavaco (Universidade Nova de Lisboa)
Protestantes e Jesuítas em confronto de doutrinas e representações: A visão paradigmática
do Padre António Vieira, José Eduardo Franco (Universidade Aberta, CIDH)
Paula Carreira (Universidade Aberta, CIDH),
Entre milenarismo e utopia: Identidades protestantes na Europa da Reforma ao Iluminismo, Christine Vogel (Universidade de Vechtia)
Crítica portuguesa à Reforma anti-Roma do cristianismo: A carta de D. Jerónimo Osório à Rainha Isabel I, de Inglaterra (1562), António Moniz (Universidade Nova de Lisboa)
Debate
11h15 INTERVALO
11h30 SESSÃO SEMI-PLENÁRIA I (Auditório Agostinho da Silva)
Influências culturais e filosóficas da Reforma Protestante
Presidente de Mesa: Alexandre Honrado (Universidade Lusófona)
O pensamento de Lutero em Paul Tillich: uma hermenêutica teológica da modernidade, Joe Marçal G. Santos (Universidade Federal de Sergipe)
Lutero e a origem do relativismo moderno, Maria José Figueiredo (Universidade de Lisboa)
O projeto político-pedagógico de Lutero: uma escola para todos, Carlota Reis Boto (Universidade de São Paulo)
Por um teatro protestante no século XVI: o sacrifício de Isaac segundo Théodore de Bèze, Douglas Rodrigues da Conceição (Universidade Presbiteriana Mackenzie)
O papel da música na Reforma Luterana, Julia Bogado (Instituto Europeu de Ciências da Cultura Padre Manuel Antunes)
Debate
13h00 ALMOÇO
11h30 SESSÃO SEMI-PLENÁRIA II (Auditório da Biblioteca Vítor Sá)
Protestantismo na América Latina
Presidente de Mesa: Paula Carreira (Universidade de Lisboa)
As novas configurações do protestantismo brasileiro: o pragmatismo religioso da Igreja
Universal do Reino de Deus, Jonatas Silva Meneses (Universidade Federal de Sergipe)
A trajetória de ISAL e a revolução do movimento ecuménico na América Latina, Darli Alves de Souza (Universidade Presbiteriana Mackenzie)
Circulação e apropriação da pedagogia personalizada no Brasil (1959-1962), Norberto Dallabrida (Universidade Estadual de Santa Catarina)
Luteranismo e escolas nas áreas de imigração alemã: um estudo de comensalismo institucional no sul do Brasil, João Klug (Universidade Federal de Santa Catarina)
Análisis geográfico de la fragmentación de las congregaciones evangélicas y protestantes en el Chile Actual: El área metropolitana de Santiago como caso de estúdio, Abraham Gonzalo Paulsen Bilbao (Pontificia Universidad Católica de Chile)
História e Memória da criação da Igreja Presbiteriana Renovada no Brasil, Rodrigo Pino de Andrade (Universidade Estadual do Paraná)
Debate
13h00 ALMOÇO
TARDE
14h00 SESSÃO SEMI-PLENÁRIA I (Auditório da Biblioteca Vítor Sá)
Movimentos da (s) Reforma (s)
Presidente de Mesa: Maria Manuel Baptista (Universidade de Aveiro)
Martinho Lutero — Justiça e Liberdade, Michael Knoch (Igreja Evangélica Presbiteriana de Portugal)
Iconografias Luteranas e a falácia do iconoclasmo, Isabel da Conceição Ribeiro Soares Bastos (Universidade do Porto)
Direitos Humanos, Reforma, Contrarreforma e a implosão da teocracia medieval, Susana Alves-Jesus (Universidade de Lisboa)
Lutero e o jovem Marx, Marcos José de Araújo Caldas (Universidade Federal Rural)
Olhar comparativo sobre reflexões teológicas e movimentos de misericórdia em tempos de
reforma e contrarreforma, Aires Gameiro (Ordem Hospitaleira S. João de Deus)
A Misericórdia e as 95 Teses de Lutero, Teresa Toldy (Universidade Fernando Pessoa), Rui Estrada (Universidade Fernando Pessoa)
Debate
16h00 INTERVALO
14h00 SESSÃO SEMI-PLENÁRIA II (Auditório Agostinho da Silva)
Impactos da reforma em Portugal
Presidente de Mesa: Jonatas da Silva Menezes (Universidade Federal de Sergipe)
Protestantismo e a Cultura Portuguesa, Miguel Real (Universidade de Lisboa)
O impacto das obras alemãs de botânica do século XVI nos Colóquios de Garcia de Orta, João Paulo de Sousa Cabral (Faculdade de Ciências da Universidade do Porto)
Representações do Protestantismo na Literatura Portuguesa do século XIX e XX, Annabela Rita (Universidade de Lisboa)
“Escola ativa”, Protestantismo, catolicismo e salazarismo, Joaquim Pintassilgo (Universidade de Lisboa)
Reforma protestante e filatelia: imagens, representações e identidades construídas, Simão Daniel Silva (Universidade Aberta)
Debate
16h15 INTERVALO
16h30 SESSÃO SEMI-PLENÁRIA I (Auditório da Biblioteca Vítor Sá)
Receções e representações de Lutero e do Protestantismo
Presidente de Mesa: Joana Balsa de Pinho (Universidade de Lisboa)
Representações de Lutero na web: da ausência à hegemonia, Adérito Marcos (Universidade Aberta)
Auto e hétero-representações na Europa contemporânea – a importância da Reforma Luterana, Maria Manuel Baptista (Universidade de Aveiro), Rita Himmel (Universidade de Aveiro)
Estrangeiros interiores em relação: Judeus, Protestantes e Mações, Cristiana Lucas (Universidade de Lisboa)
A imagem de Lutero na Arte: Os retratos de Lucas Cranach, Teresa Oliveira (Universidade Aberta)
A herança luterana no processo de consolidação da Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira (1804-1904), Rita Mendonça Leite (Universidade Católica Portuguesa)
Debate
17h45 INTERVALO
16h30 SESSÃO SEMI-PLENÁRIA II (Auditório Agostinho da Silva)
Protestantismo: Crítica e virtualidades
Presidente de Mesa: Susana Alves-Jesus (Universidade de Lisboa)
Luther and the Woman-as-Witch, Inês Tadeu F. G. (Universidade da Madeira)
Os protestantes nos escritos do padre jesuíta Antonio Vieira (1608-1697), Cézar de Alencar Arnaut de Toledo (Universidade Estadual de Maringá), Marcos Ayres Barboza (Instituto Federal do Paraná)
Turismo religioso protestante, Isabel da Conceição Ribeiro Soares Bastos (Universidade do Porto)
Debate
17h45 INTERVALO

18h00 CONFERÊNCIAS DE ENCERRAMENTO (Auditório Agostinho da Silva)
Presidente de Mesa: João Relvão Caetano (Universidade Aberta)
Impactos de Lutero e da Reforma no Império Português: A Ásia e o Brasil (1520-1580), José Pedro Paiva Universidade de Coimbra)
19h00 SESSÃO DE ENCERRAMENTO (Auditório Agostinho da Silva)
Ministro da Cultura
Presidente da Câmara de Lisboa
Administrador da Universidade Lusófona
Administrador da Universidade Presbiteriana Mackenzie
Presidente do Conselho Científico da Universidade Aberta
Presidente da Sociedade Portuguesa da História do Protestantismo
Presidente da Sociedade Bíblica
Diretor da Cátedra Infante Dom Henrique para os Estudos Insulares Atlântico e a Globalização
Presidente da Comissão Organizadora
Concerto Gospel (Coral Gospel de Lisboa)


Endereço e contactos do Secretariado Executivo:
Endereço postal: CompaRes – Associação Internacional de Estudos Ibero-Eslavos
Rua dos Três Concelhos, Lote 5, Bairro dos Marinheiros,
2950-517, Quinta do Anjo, Palmela
E-mail: congresso.lutero.500anos@gmail.com

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.