quinta-feira, 31 de agosto de 2017

FONTE DE CORETOS




Fonte de Coretos é o título do meu primeiro livro de poesia que está para sair nesta primeira semana de Setembro numa edição de autor.

Deixo aqui a Nota Breve que introduz o pequeno livro, assim como um dos poemas que nele fica publicado.


Nota breve

Este livro reúne uma selecção dos poemas que escrevi ao longo das últimas três décadas. Para mim, que me tenho dedicado à ciência e à divulgação científica, há uma razão para agora publicar este meu primeiro livro de poesia. É que os poemas que agora aqui reúno foram sendo lidos por um número considerável de pessoas, que me incentivaram para os reunir em livro. Aqui está. Imperfeito, ingénuo como meu primeiro livro nesta arte maior que é a Poesia.
Acrescento, que alguns destes poemas já foram publicados em antologias de poesia que aqui não discrimino. Agora, por altura desta edição, os poemas que aqui vos entrego foram revisitados e aqui e ali alterados, pelo que, na forma em que os apresento, são todos inéditos.
A primeira parte deste livro reúne poemas que, de alguma forma, estão ligados à ciência e que foram escritos depois de 2010. A segunda parte, reúne poemas mais antigos, com excepção do “Sorriso”, que foi escrito há muito pouco tempo.
Um agradecimento à Florbela Oliveira pela cedência da foto que ilustra a capa (o seu trabalho fotográfico pode ser desfrutado aqui: www.facebook.com/Bomdia.coimbra).
Antes do fim desta nota breve, um agradecimento antecipado aos eventuais leitores. Estes poemas passam a ser deles.
Condeixa-a-Nova, 29 de Agosto de 2017


E o poema...



Com novas íris te universo


Com novas íris te universo.
Vejo-te para além do ar
Até onde não sabia que ainda começas

Com novas íris despojo-te das poeiras cósmicas
Descubro-te onde não tens cor
Com novas íris alianço-me nos deuses antigos
E redesenho a abóbada celeste
Com mitos modernos
Cegos de contemplação de tanto espanto

Com novas íris volto a ser criança a olhar o céu
E tento apanhar as estrelas num gesto, num salto
Com novas íris me visto de ti
Num novo cosmos invisível à nudez dos meus olhos
E descubro no céu um arco-íris
Que viaja dos raios gama às ondas de rádio


Os interessados num exemplar devidamente autografado e numerado deverão contactar-me pelo email antoniopiedade2011@gmail.com

Obrigado

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.