quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

4º Encontro de Literatura Infantil e Juvenil: entre a Literatura e a Ciência - rota(s) para a formação de leitores






“Por vezes nas páginas de divulgação científica encontra-se não só literatura, mas também grande literatura – e que bem escrevem, por exemplo, Carl Sagan ou Stephen Jay Gould”, como refere Carlos Fiolhais. 
Recordemos que, na ótica pessoana (Álvaro de Campos): “O binómio de Newton é tão belo como a Vénus de Milo /O que há é pouca gente para dar por isso”.

A verdade é que na trajetória da humanidade, ciência e literatura têm uma história paradoxal: foram-se tocando, mas na maioria das vezes divergem, aparentemente, por caminhos opostos.

Torna-se evidente a necessidade de aproximar a leitura de ciência e a leitura de ficção, dado que a ciência e a literatura são parte do todo indivisível do humano.

Nas Bibliotecas, tentamos saber e conhecer+.

O Programa da Rede de Bibliotecas Escolares faz eco desta ideia no Quadro estratégico 2014-2020, em cujos padrões de qualidade se especifica claramente que, estimulando o gosto pela literatura, pelas artes e pelas ciências, as bibliotecas escolares constituem-se como lugares de desenvolvimento educativo e também de fruição cultural. Acresce a esta ambivalência o filão estruturante das atividades de aproximação ao currículo, que enriquecem e estimulam as aprendizagens para além da sala de aula.

Um projeto no âmbito da Rede de Bibliotecas do concelho de Coimbra, em articulação com o programa da Rede de Bibliotecas Escolares do Ministério da Educação e os Centros de formação de associação de escolas Minerva e Nova Ágora

Encontro Marcado no dia 17 e 18 de Fevereiro, em coimbra.

Gratuito, mas inscrição obrigatória

aqui: http://www.cfae-minerva.edu.pt/site/index.php/en/48-plano-de-formacao-2015/120-encontro-de-literatura-infantil-e-juvenil-entre-a-literatura-e-a-ciencia-rota-s-para-a-formacao-de-leitores

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.