segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

"ESTE PÃO QUE PARTO". POEMA DE DYLAN THOMAS

Começamos o ano com o poema de Dylan Thomas  "This bread I break", com a tradução de Herculano Esteves antes do original em inglês:

ESTE PÃO QUE EU PARTO

Este pão que eu parto já foi aveia,
este vinho por árvore alheia
tomou os frutos dela;
O homem de dia e de noite o vento
mutilam as espigas e cortam o júbilo às uvas

Na vida deste vinho os sucos do verão
ensanguentaram-se na carne, crosta, da vide;
Na vida deste pão
a aveia ao vento encheu-se de graça;`
E o homem  prostrou o vento e golpeou o sol.

Esta carne que desmanchas, este sangue que sangras
e o vazio nas veias que deixas,
foram aveia e uva
nascida de raiz tumescida e seiva;
O meu vinho sorves, o meu pão mordes.

Dylan Thomas


THIS BREAD I BREAK

This bread I break was once the oat,
This wine upon a foreign tree
Plunged in its fruit;
Man in the day or wine at night
Laid the crops low, broke the grape's joy.

Once in this time wine the summer blood
Knocked in the flesh that decked the vine,
Once in this bread
The oat was merry in the wind;
Man broke the sun, pulled the wind down.

This flesh you break, this blood you let
Make desolation in the vein,
Were oat and grape
Born of the sensual root and sap;
My wine you drink, my bread you snap. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.