quinta-feira, 3 de novembro de 2016

A NEUROCIÊNCIA DA FELICIDADE



"A Neurociência da Felicidade" é o título da palestra que a Professora Manuela Grazina vai proferir no ciclo "Ciência às Seis", no próximo dia 8 de Novembro, pelas 18h30, no Rómulo Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra.

Manuela Grazina


Resumo da palestra:
"A Felicidade pode explicar-se por fatores biológicos, nomeadamente ligados à Genética e à Neuroquímica cerebral. Neurotransmissores como a dopamina, a serotonina e endorfinas endógenas, entre outros, são grandes protagonistas neste processo complexo, uma vez que são determinantes no controlo de sensações como o bem-estar, o prazer, a motivação e a recompensa.
O entendimento desses mecanismos, de forma simples e clara, permite que nos surpreendamos com a forma extraordinária como funciona o organismo humano e possibilita ainda a compreensão da heterogeneidade no modo como o cérebro funciona. Está ao nosso alcance estimular as vias cerebrais da recompensa, no sentido da melhor qualidade de vida, gestão do stresse e saúde, bem como otimizar a produtividade no contexto de ambiente de trabalho, sempre com motivação acrescida e valorizando as nossas melhores capacidades físicas e cerebrais. Com este conhecimento, podemos ajustar as expectativas e as nossas práticas diárias, no sentido de alcançar a tão almejada Felicidade, individual e comum! A Felicidade é um caminho de recompensa. Esse caminho é um conjunto de eventos que se dão no cérebro e que ficam nas memórias."

ENTRADA LIVRE
Público-alvo: Público em geral
LInk para o evento no Facebook

Esta é a primeira palestra do ciclo "Ciência às Seis" coordenado por António Piedade.

1 comentário:

  1. Se Huxley fosse vivo... que diria ele da sua droga "soma" do Admirável Mundo Novo estar quase , quase , a ser produzida ?
    a ciência prestes a matar emoções ? cohorror :)

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.