domingo, 9 de outubro de 2016

O direito de escolher a ausência - 3

Insisto na questão da escritora-enigma e transcrevo uma citação retirada de um artigo de uma outra jornalista portuguesas, Catarina Carvalho.
"A pressão de tornar público o que nos é privado é de tal ordem que quando não o fazemos sentimos que estamos a tomar uma atitude. Quando não colocamos uma única fotografia de férias no Instagram… é porque não estivemos lá. Quando não postamos mais uma boutade sobre o tempo, o pôr do Sol, não divulgamos a enésima refeição espetacular que tivemos. Somos todos cúmplices, neste striptease coletivo que começa nos participantes dos reality shows e acaba nos nossos telemóveis. Ninguém escapa."
Talvez eu esteja a ser optimista, mas é reconfortante perceber que começa a haver quem se importe com a destruição do espaço privado da nossa vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.