quinta-feira, 19 de maio de 2016

O TIRO AO TIAGO


Já louvei e já critiquei o novo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues. Tendo algumas expectativas ao início, acho que actuou mal no caso dos exames do básico e acho que, tendo razão quanto aos princípios, está a actuar com inabilidade no caso dos contratos com privados. Mas agora é a altura de o defender, porque foi feito um ataque soez ao seu carácter. O ataque agora feito por um investigador, seu ex-colega, ressuscitando um hipotético caso passado há quase década e meia, é baixo e reles.  Na academia sabe-se como esta sabe ser mesquinha e invejosa, mas talvez não se saiba lá fora. Este caso veio trazer para a ribalta a existência de académicos que fazem da intriga e da difamação o seu pobre dia a dia. O seu podre dia a dia.

2 comentários:

  1. Há uma frase batida, segundo a qual, o conhecimento da nossa história habilita-nos a não repetir-mos os erros passados.
    Depois de em 1974/75 termos vivido o PREC das Esquerdas, que muito custou ao país, ainda pagamos parte da factura, repetimos agora outro PREC das Direitas.
    O 1.º, sem que isto o justifique, foi vivido num período pré-constitucional.
    Este 2.º em pleno período constitucional-
    Portanto, não aprendemos nada com o nosso passado recente.
    Continuamos no reino do vale tudo: os fins justificam todos os meios, até os mais abjectos.

    ResponderEliminar
  2. Correcção ao meu comentário anterior, que ficou com 2 erros:
    «da nossa história nos habilita a não repetirmos os erros»
    «constitucional.»

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.