domingo, 1 de maio de 2016

Carta Aberta à Visão sobre os "perigos do WiFi"

INFORMAÇÃO RECEBIDA DA COMCEPT (Comunidade Céptica Portuguesa):


Ex.mo Sr. Director da revista VISÃO:

Foi com estupefação que, no número 1207 da VISÃO, nos deparámos com um artigo sobre alegados efeitos nocivos para a saúde da tecnologia Wi-Fi. Os problemas começam na capa da revista: o título “Zona Wi-Fi: Ameaça para a Saúde” e o subtítulo “As ondas eletromagnéticas estão por todo o lado e cientistas acreditam que podem causar danos” são afirmações em contradição clara com factos científicos estabelecidos. Não está demonstrado que as radiações electromagnéticas usadas na tecnologia Wi-Fi ou nos telemóveis sejam perigosas para a saúde humana. O artigo atribui o mesmo peso a factos objectivos apresentados por especialistas e a opiniões de leigos, deixando os leitores na dúvida sobre eventuais consequências para a saúde advindos da radiação Wi-Fi, como se houvesse um debate científico sobre o assunto. Na verdade não existe qualquer debate. De um lado, encontra-se a comunidade científica em geral; do outro, um pequeno grupo, muito activo nas redes sociais, de crentes nos malefícios desta tecnologia.

Não duvidamos que as pessoas que afirmam sofrer de hipersensibilidade às radiações electromagnéticas têm um problema de saúde merecedor de cuidados. Não existe é qualquer plausibilidade científica na hipótese de as radiações Wi-Fi estarem na origem dos seus problemas. Além disso, em estudos controlados, a maioria dos indivíduos que alegam serem capazes de detectar campos electromagnéticos de baixo nível não o conseguem fazer. O tom sensacionalista da peça contribui para que pessoas que se julgam afectadas pelas radiações electromagnéticas não procurem ajuda médica especializada e se tornem vítimas de charlatães que oferecem todo o tipo de “terapias” e soluções tecnológicas dúbias como protecção contra as ondas electromagnéticas.

Anexamos uma carta aberta onde, de forma mais extensa, explicamos as nossas objeções à reportagem em causa. Esta carta será publicada no website da COMCEPT - Comunidade Céptica Portuguesa, uma organização cidadã cujo objectivo é a promoção da ciência e do pensamento crítico na sociedade.

Com os melhores cumprimentos,
Diana Barbosa
Em representação da COMCEPT - Comunidade Céptica Portuguesa

Subscrevem esta carta:
Alexandra Marques (bióloga)
António Piedade (comunicador de ciência)
António Gomes da Costa (consultor em comunicação de ciência)
António Vilas Boas (bancário)
Armando Brito de Sá (médico)
Carlos Fiolhais (físico)
David Marçal (bioquímico)
Diana Barbosa (bióloga)
Guilherme Lopes da Cunha (biólogo)
Hugo R. Oliveira (biólogo)
João Gaspar (biólogo)
João Monteiro (biólogo)
Jorge Morais (cientista de computadores)
Leonor Abrantes (historiadora de ciência)
Luís Monteiro (médico)
Marco Filipe (biotecnólogo)
Maria João Fonseca (assessora de comunicação)
Marina Frajuca (enfermeira)
Miguel Won (físico)
Nuno Fragoso Gomes (assessor de comunicação)
Patrícia Gonçalves (física)
Pedro Homero (recrutador RH)
Pedro Russo (astrónomo)

42 comentários:

  1. Claro, vocês são uns sábios e estes aqui são uns palermas, que até nem são peritos na área nem nada:
    http://electromagnetichealth.org/quotes-from-experts/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta ideia faz tanto sentido como os telemóveis causarem cancro. Que é como quem diz, nenhum. Sensibilidade magnética, se existisse, teria sido detectada muito tempo antes das redes Wi-fi, já que os campos magnéticos estão literalmente em todo o lado. E ainda assim, são mais fracos que o campo próprio da Terra, por isso não sei bem como é que essas pessoas supostamente sobrevivem mesmo estando longe das Wi-fi...

      Enfim, resumidamente, é aquela altura dos Velhos do Restelo se insurgirem contra algo por um perigo que nunca existiu. Infelizmente, todas as tecnologias têm de passar por essa fase, pelos vistos.

      Eliminar
    2. Há animais, como algumas aves e os cães, que captam o campo magnético terrestre.

      Será tão difícil aceitar ou entender que haja seres humanos cujo organismo seja sensível às radiações como as do Wi-Fi?

      A anterior directora da OMS afirmava que conseguia sentir as radiações de um telemóvel a 2 metros de distância.

      Eu fico com tonturas se falar vários minutos ao telemóvel. Não sinto o mesmo que a dita senhora, mas confio que não seja "tonta"..

      A maior parte das radiações electro-magnéticas são insusceptíveis de causar directamente uma neoplasia.
      Mas interferem sobre o organismo, designadamente sobre o sistema imunitário, sendo muito prejudiciais a pessoas com patologias auto-imunes que nem radiação solar podem apanhar.

      A propaganda pró-indústria, que financia muitos cientistas, abertamente ou por meios pouco claros, liga, demagogicamente, o problema das radiações ao câncro. Ora, os malefícios oncológicos das radiações são uma minúscula parte dos malefícios das radiações electro-magnéticas no seu conjunto.

      Todos ficarão doentes? Não!
      Alguns, comprovadamente, ficaram já!

      Um efeito muito claro e comprovado das radiações electro-magnética manifesta-se sobre o efeito reparador do sono. É um efeito quase insensível, semelhante ao de dormir de dia ou com uma luz acesa.

      Basta ler o BioInitiative Report para perceber alguma coisa. Foi escrito por especialistas! Não por pessoas de áreas generalistas ou de especialistas em matérias alheias a este tema.


      Eliminar
    3. "Alguns comprovadamente ficaram já". Fico à espera desses comprovados doentes, que neste momento são cerca de zero. As radiações de tão baixa frequência, por muito intensas que sejam (e nem são intensas sequer) têm um efeito nulo ou quase no corpo.

      Essa de relacionar as radiações com o cancro só mostra a falta de actualização da sua posição, já que todos os estudos apontam no sentido de não haver uma ligação entre as duas.

      Eliminar
    4. Completamente errado. Só a título de exemplo, há dois tipos de cancro do ouvido que comprovadamente são causados pelo uso do telemóvel.

      E há alguns cancros do cérebro que só existem posteriormente à invenção dos telemóveis. Todas as pessoas que contraem esses tumores são utilizadores de telemóveis. E o tumor desenvolve-se predominantemente do lado do ouvido mais usado para falar ao telemóvel.
      Será necessário fazer um desenho?



      Mas como é óbvio, nem todos os fumadores têm cancro de pulmão. Nem todas as pessoas expostas a radão têm cancro.E nem todos os utilizadores de telemóveis terão cancro.
      Mas há um indicador chamado "prevalência"!...

      Continuem, pois, a dizer que "não está provado"... blá, blá..., blá...

      Eliminar
    5. Pela sua lógica, não havia cancro na Antiguidade, porque ele não era diagnosticado. Lá porque só agora se começaram a detectar tumores cerebrais, não quer dizer que eles não existissem antes. Apenas não éramos capazes de discerni-los. É o mesmo tipo de falácia que faz pessoas acreditar que vacinas causam autismo.

      Gostava que me mostrasse qual foi o estudo que comprovou essa do ouvido mais usado para falar ao telemóvel. entretanto, fique aqui com um que comprova o contrário:

      http://jnci.oxfordjournals.org/content/93/3/203

      Como este parece não ser de acesso aberto, fique aqui com outro:

      https://arxiv.org/ftp/arxiv/papers/1107/1107.0086.pdf

      Radiação com a frequência tipicamente utilizada pelos telemóveis não tem energia, e logo não tem capacidade, para causar cancro. Isso é só para raios-X ou gama.

      Eliminar
  2. Também lhe vou cobrar essas palavras quando a OMS voltar a actualizar a classificação IARC - Group 2B para as microondas. Você acha portanto que as equações de Maxwell estão correctas e nem foram 'alteradas' para esconder a realidade. Portanto, novamente os cientistas que desafiam o consenso nesta matéria também são uns idiotas. Deixe-se andar que vai no bom caminho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que eu acho, ou melhor tenho mesmo quase a certeza, é que você não faz a mais pálida ideia de como as equações de Maxwell funcionam e só está a usar o nome delas para gerar medo. Pois se sabe assim tanto, explique lá então a sua "verdade iluminada".

      Eliminar
  3. Pensem bem se querem fazer parte deste tipo de grupos. E quando não sabem, o melhor que têm a faz é assumi-lo.

    The Skeptics: Who are they? What are they?
    http://bolenreport.com/the-skeptics-who-are-they-what-are-they/

    Mike Adams (Natural News) Attacks Skeptics' Center Point...
    http://bolenreport.com/mike-adams-natural-news-attacks-skeptics-center-point/

    ResponderEliminar
  4. Medo? Saia dessa! Se entendo ou não é indiferente para a questão, além disso, deixe-me dizer-lhe que está a usar um argumento de autoridade, da mesma forma que aponta aos pseudocientistas/pseudociência. Estamos na Era da informação, esses argumentos são ridículos, há demasiada informação à distância de um clique, basta usar a inteligência e a curiosidade. Não queira afastar o conhecimento dos gentios!
    - Quer mesmo saber quais as 34 falhas das equações de Maxwell? Olhe que as consequências são imensas, em várias áreas. Arrisca-se a deixar de ser céptico! Pondere o risco de perder amigos por causa disso. (humor)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não estou a usar nenhum argumento de autoridade. O que eu sei, já que trabalho nesta área, é que num regime clássico (não relativista, como o mundo em que vivemos), as equações de Maxwell funcionam com enorme sucesso. Tal como já lhe disse, esteja à vontade para apresentar provas em contrário, coisa que ainda não fez.

      Eliminar
  5. Já se escrevinharam centenas de cartas como esta a proclamar ao Universo que "não está provado que o tabaco seja nocivo para a saúde"...

    ResponderEliminar
  6. A comunidade céptica deveria chamar-se antes negacionista. Caramba, não é difícil verificar a influência sobre o sangue desta tecnologia sem fios, façam a experiência, sejam honestos com vocês mesmos e não com o consenso científico em conflito de interesses tácito. Não é difícil, arranjem acesso a um microscópio de campo escuro e verão os efeitos com os vossos próprios olhos. Vamos lá acabar com este obscurantismo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, veremos que o efeito é nulo, já que os campos utilizados são extremamente fracos. Mas com certeza irão negar isso, porque não são os resultados que querem, pois quem vai contra os dados, que apontam todos para uma falta de perigo por parte das redes Wi-fi, não será convencido com dados. Pois se negam as provas à partida, que provas podem ser apresentadas?

      Eliminar
  7. Façam a experiência em microscópia de campo escuro, façam-na, chega de desculpas e blá-blá.

    Em relação ao Maxwell, a obra desse génio funciona ainda que mutilada, mas é preciso olhar para toda a sua mensagem.

    Veja aqui no site do Tom Bearden, um dos criadores do HAARP americano entretanto reformado do controlo militar. Este engenheiro é apenas um dos que demonstraram e divulgam a matéria e as suas consequências, há outros e são provas do embuste em que vivemos.
    http://www.cheniere.org/references/maxwell.htm

    Entrevista do Lieutenant Colonel Thomas Bearden, US Army, PhD.
    http://www.siriusdisclosure.com/orion-project/tom-beardens-response-to-arpa-e/

    (Historical note: this suppression took place somewhere between mid-1972 to the end of 1975 when Tom was in his last tour with the Army on the Patriot Project)
    http://www.cheniere.org/correspondence/060308.htm

    Veja a biografia dele, foi de facto uma geração bem privilegiada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se a sua melhor fonte é esse senhor, então de facto é melhor manter-se afastado destes assuntos. Veja aqui a "biografia" dele:

      http://rationalwiki.org/wiki/Thomas_E._Bearden

      Eliminar
  8. Você é um idiota! Perdeu toda a capacidade de discernir o real da ficção ou em alternativa age de má fé. Continue a banhar-se nessas seitas cépticas e depois não diga que não o avisaram.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uau! Excelente contra-argumento! Agora é que você ganhou a discussão! Continue então a banhar-se em banha da cobra a fingir que sabe mais que os especialistas só porque faz pesquisas no Google. A si já muitos o avisaram, mas você não quer saber a opinião de quem quer que discorde, por isso finge-se de surdo. Parece que não há nada a fazer e que você é um caso perdido.

      Eliminar
    2. Aqui podemos ver a reacção típica de um negacionista. Quando se mostram provas de que ele segue burlas e aldrabices, passa-se ao insulto barato. Pois, como todos sabemos, é assim que se deve debater. E é assim que se comprova quem tem a razão do seu lado.

      Eliminar
  9. Qual insulto? Saia dessa, credo!
    O que temos aqui são duas reacções de burocratas da 'ciência', pessoas cujos diplomas ultrapassam a suposta inteligência para que eles são atribuídos. E outra vez essa conversa "do ganhar a discussão" - Ui, que trauma rapazes, que trauma!! O estudo cegou-vos totalmente, depois eu é que sou negacionista. Que especialistas em banha-da-cobra! Passem bem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alto lá! Agora "Você é um idiota!" não é um insulto! Pois claro, deve ser dos maiores elogios, não? É exactamente o tipo de raciocínio que se espera de um diplomado na Universidade Google. Um diploma que ultrapassa tanto a "inteligência" do utilizador, que este pensa que até vale mais que os diplomas a sério.

      Enfim, quando alguém conscientemente decide que mais vale seguir um charlatão comprovado do que a comunidade científica, não há argumento que valha.

      Mas nesse caso, deixe de usar a Internet que os cientistas que você tanto despreza inventaram, e debite essa banha da cobra em sítios que os charlatães tenham inventado (que é como quem diz, de boca em boca, já que esses não inventam nada).

      Eliminar
    2. Chamar idiota a alguém e depois negar o insulto diz tudo sobre a sua personalidade. Tal como defender o Bearden e depois chamar aos outros "especialistas em banha da cobra". Você faz-me lembrar aquela frase do "se alguém recusa a lógica à partida, que lógica podemos usar para o convencer?".

      E aproveita para gozar também com os diplomas, quando você provavelmente não tem nenhum que lhe permita falar nestes assuntos. É mais um ataque típico de quem não tem nada melhor para debater com os ataques pessoais. Se a nós foi o estudo que nos cegou, a si foi a Internet, nomeadamente as conspirações que você deve tomar como palavra sagrada, enquanto hipocritamente ataca noções que têm as provas do seu lado.

      Fique com o seu especialista em banha da cobra, o Bearden. Eu fico com os cientistas que nos deram o mundo moderno que lhe dá a hipótese de os atacar. Já esse senhor nunca nos deu nada além de aldrabices. Dá para ver que escolheu bem as suas referências!

      Eliminar
  10. Em Fevereiro, saiu um documentário que abalou a Austrália "Wi-Fried" da ABC Catalyst Australia, na sequência do livro da cancerologista Devra Davis: “Desligue-se: A verdade sobre radiação móvel, o que a indústria fez para esconde-la e como proteger sua família”:
    https://www.youtube.com/watch?v=XymKeK6XIrg

    Agora surge mais um Estudo negacionista da pandilha internacional de cépticos:
    http://zap.aeiou.pt/estudo-nao-encontra-relacao-entre-uso-de-telemoveis-e-cancro-111816

    Que escumalha anti-científica, o que os cépticos defendem chama-se cientismo, não ciência, que antes de tudo é responsável e não um religião.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Portanto, para si qualquer estudo que prove o contrário daquilo em que acredita é automaticamente negacionista? Vê-se bem que não é cientista.

      Eliminar
    2. Boa lógica a que você está a usar, de chamar negacionista à partida a um estudo. Só mostra a sua mente fechada a tudo o que seja minimamente diferente das suas ideias de como as coisas funcionam.

      Mais uma vez, como você parece ser fanático de vídeos de Youtube, fique aqui com um que "prova" que a Terra é o centro do Sistema Solar em vez do Sol:

      https://www.youtube.com/watch?v=Xb3lGy0K9kg (Parte 1 de 3)

      Pelos seus padrões, isto são provas irrefutáveis. Acha que é verdade?

      Já agora, isso de chamar "escumalha anti-científica" a quem lhe apresenta provas enquanto você só nos mostra blogues e vídeos de pessoas descreditadas só comprova que não faz a mínima ideia de o que é sequer a ciência. E ainda assim, julga-se mais conhecedor dela do que os cientistas que trabalham vários anos numa área. Você é a exemplificação perfeita do efeito de Dunning-Kruger.

      Eliminar
  11. Eu dou-lhe um excelente argumento, eu dou-lhe um bom desafio. Contacto directamente com este pessoal.
    https://www.thunderbolts.info/
    Quer convidá-los para virem a Portugal dar uma conferência? Usem o dinheiro que têm da melhor maneira, aprendam umas coisas e deixem-se de defender o sexo dos anjos. Aceita?

    DAVID TALBOTT: Carved on Stone -- New Light on the Electric Universe | Thunderbolts Podcast
    https://www.youtube.com/watch?v=piKuO4YeRFQ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quanto mais fala, mais se afunda. Agora é o David Talbott o seu trunfo? Um senhor que defende que os planetas como Júpiter e Saturno passam mesmo ao lado da Terra? E que defende a tanga do "Universo Eléctrico", que é nada mais que um culto? E depois ainda se atreve a insultar os cientistas... O seu poço de pseudociência não parece ter um fundo. Quem vai usar a seguir? O Mike Adams? O Mercola? Até parece que estamos a jogar ao Bingo com os nomes de charlatães.

      Faça um favor a si mesmo e aplique um mínimo de pensamento crítico a esses seus grupos de culto. Aquele pensamento crítico que você nos está a exigir, faça-o você mesmo. Quem sabe se conseguirá perceber alguma das tretas que anda a publicitar.

      Eliminar
    2. Olha, olha... Agora estamos a fazer uma colecção de aldrabões. Ver quantos conseguimos inserir numa só conversa. A seguir vai falar-me do Wakefield?

      Charlatão atrás de charlatão, nem surpreende você defender essa treta do "Universo Eléctrico". Só mostra que não sabe avaliar teorias. O que explica toda esta conversa.

      Eliminar
  12. Vai continuar amuado ou vai tirar a mão das algibeiras e agir em concreto no sentido de aceitar o bom desafio que lhe fiz? Isto é obviamente um convite extensivo aos seus amigos do blogue. Porque insulto é o conjunto de vulgaridades com que nos brinda quase todas as semanas, mas boas acções perdoam a sua rigidez intelectual. Afinal, tudo o que nos deu são os seus livros sobre a Pseudociência, tenha juízo e seja humilde.

    O que diz do Bearden é uma barbaridade, porque ele próprio o referiu, há coisas sobre as quais não pode falar, pelo sigilo de ter trabalhado em projectos altamente classificados. Ainda assim, já revelou muito e juntamente com muitos outros tem vindo a mobilizar forças civis em prole da divulgação. Muitos dos cientistas com quem trabalhou têm nomes esquecidos e pouco badalados, todos eles têm vindo a desenvolver planos originalmente conceptualizados por Nicola Tesla. Abra os ouvidos e use a sua inteligência:
    https://www.youtube.com/watch?v=2OAqw-hwz3M&list=ULsLCeI98PqhI&index=8

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que eu digo do Bearden é a verdade. O homem é um charlatão, nada mais que isso. Barbaridade é você dizer coisas como as leis de Maxwell estarem erradas ou o Universo Eléctrico ser uma ideia plausível. Isso sim é ir contra tudo o que sejam provas. O que já dava para ver ser a sua posição, considerando aquilo que está a defender.

      Mais uma vez, as suas grandes provas são blogues e vídeos de Youtube. É preciso muita cegueira e teimosia para contínuamente colocar esse tipo de recursos no mesmo patamar que estudos. Quer que lhe mostre blogues que defendem que a Terra é plana? Ou vídeos de Youtube que defendem que a Lua não existe?

      Eliminar
    2. "Barbaridade" é você insultar toda a comunidade científica e defender as ideias de um aldrabão comprovado que não tem provas nenhumas daquilo que diz e que defende uma teoria tão obviamente falsa. Se não conhecesse bem a Internet, até diria que você é um "troll", que diz isso só para espicaçar os outros, para que estes dêem respostas.

      Fique aqui com um vídeo de Youtube que "prova" que a Terra é oca. Vale exactamente o mesmo que o seu:

      https://www.youtube.com/watch?v=RaPtq8F2hUc

      Vai acreditar nesta ideia cegamente, como acredita nesses disparates?

      Eliminar
  13. Claro que a Terra não é plana, e é indecente comparar isso com o Bearden, vê-se que não conhece o contexto de ambas as coisas ou então, fá-lo de má-fé, deliberadamente.

    Não há aqui nenhum insulto e se quer provas, então responda ao desafio que lhe fiz. Não me venha dizer que o David Talbott e os amigos são aldrabices como o Bearden. Se é isso que acha, você tem mesmo um calhau no seu sapato, não é apenas uma pedra. A teoria do Universo Eléctrico é o futuro e tem feito previsões correctas sistemáticas. Faz tremer muita gente e há quem tenha de facto de 'regressar à 1ª classe do Básico'. Você sabe disso, mas não o assume publicamente, o que é desonesto, não se trata de uma mera precaução. Aliás, a minha pergunta é - você tem a certeza que é mesmo cientista?

    ResponderEliminar
  14. Você está mesmo a tentar convencer-me que uma teoria que obriga a deitar fora praticamente toda a Física em troca de considerações vagas e não comprovadas é o "futuro"? Uma teoria que sugere que as forças eléctricas são instantâneas, coisa que qualquer pessoa que tenha feito uma experiência com fibra óptica ou cabos coaxiais consegue desmentir? Deixe-me que lhe diga que o seu futuro não é mesmo nada brilhante...

    ResponderEliminar
  15. Ah, agora estamos a fazer progressos. A maneira como você está a olhar para os exemplos que lhe deram de vídeos é a maneira como você devia olhar para as coisas que anda a divulgar. Evitava dizer muitos disparates dessa maneira.

    Quanto a essa "teoria" (nem acho que se lhe deva dar esse nome) do Universo Eléctrico, ela recusa coisas como a expansão do Universo, a velocidade de ondas electromagnéticas (aquilo que você tem andado a defender, já agora. Não deveria você ser CONTRA esta "teoria"?), que defende que o Sol tem carga negativa, que os cometas vêm de planetas, que as crateras visíveis nos planetas telúricos são causadas por descargas eléctricas e não por impactos (será que isto inclui o impacto que possivelmente extinguiu os dinossauros?), etc... Há tanta coisa tão obviamente falsa por onde se pode pegar, coisas que podemos ver por nós próprios, sem termos de depender dos "maléficos" cientistas. Tanta coisa errada logo à partida com essa ideia que ela nem merece o nome de "teoria". Mas afinal o que vê você assim de tão bom nessas ideias?

    ResponderEliminar
  16. Convide o pessoal da comunidade do Universo Eléctrico para vir apresentar o role de provas da Teoria em Portugal. As dúvidas que coloca seriam aceitáveis nos seus professores, quando tinham a sua idade, mas hoje, é ridículo continuar com essa conversa martelada. É por isso que critico os cépticos, o que eles praticam não é o cepticismo como ele deve ser entendido na ciência, mas a versão ideológica de recusar tudo o que sai daquilo que é "consenso", e nada pode ser mais anti-científico.

    Ponha-se aos ombros de gigantes e terá outro horizonte pela frente. Por exemplo, Hannes Alfvén (engenheiro e físico), Prémio Nobel da Física em 1970, pelo seu trabalho em "Magnetohidrodinâmica", além de muitas outras descobertas importantes, mostrou como o universo não está em expansão. No séc. XX, quase todas as grandes mentes foram apagadas dos registos da memória escolar, em nome da Agenda. A lista é imensa e as suas descobertas são ainda mais desconcertantes. Claro que, para quem se contentar com "buracos negros" e designações mágicas deste género, a coisa poderá ter pouco ou nenhum interesse.

    Não vejo qualquer condição para discutir consigo o que quer que seja do Universo Eléctrico, pois os seus comentários no último post revelam um elevado grau de desconhecimento dos conceitos básicos. O Sol tem carga positiva, naturalmente, e sim, há fenómenos astronómicos que revelam a propagação instantânea, até no próprio sistema solar, e contra factos não há argumentos que resistam. Há demonstrações e explicações online de como o campo magnético se propaga supraluminalmente.

    Tem muito material online para reconsiderar tudo o que sabe. Este pretende ser apenas um conselho amigo, nada mais! Por isso, considero esta conversa terminada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando nega os erros mais básicos da teoria que defende, não vale a pena discutir os mais técnicos. É tudo o que tenho a dizer.

      Eliminar
    2. Tal como já lhe foi dito, qualquer pessoa que alguma vez tenha trabalhado com fibra óptica está automaticamente qualificada para provar que essa ideia da transmissão instantânea é falsa. E como parece ser uma ideia-chave da "teoria", essa tem falhas graves ao nível mais básico.

      Eliminar
  17. É curioso, é muito elucidativo que os maiores compradores de materiais de protecção contra radiações electro-magnéticas sejam, não as pessoas electro-sensíveis, mas os ministérios da defesa e as forças militares dos países mais desenvolvidos do mundo. Eles conhecem muito bem os múltiplos usos das radiações electro-magnéticas...

    https://www.youtube.com/watch?v=2v4hahbvJ6I

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1) - É notável como você se recusa a apresentar provas da última coisa que diz;

      2) - Diz muito da sua posição mudar completamente de assunto de maneira tão radical. Mostra que quer desviar as atenções da sua falta de provas;

      3) - Vídeos de Youtube outra vez? Vá lá ver o que o outro anónimo andou a escrever sobre isso (vai ter de aceitar que a Terra é plana e oca e que está no centro do Universo, além de que a Lua não existe, etc. se quiser usar isso como provas);

      4) - Experimentou sequer olhar para os artigos que lhe dei? Experimentou sequer ler o próprio artigo no site da COMCEPT, que leva a muitos mais?

      5) - Dizer que há protecções contra radiações electromagnéticas não implica que sejam as usadas pelos telemóveis e pela Wi-fi (ondas rádio), muitíssimo menos energéticas que as radiações potencialmente perigosas, por isso esse seu argumento, mesmo que seja verídico, não abona em seu favor.

      Eliminar
  18. National Toxicology Program (NTP)Study:
    “Game-Changing” Study Links Cellphone Radiation to Cancer
    http://www.motherjones.com/environment/2016/05/federal-study-links-cell-phone-radiation-cancer

    Consensus coming next...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. http://www.yalescientific.org/2014/07/mythbusters-do-cell-phones-really-cause-cancer/

      https://www.sciencebasedmedicine.org/about-that-cell-phone-and-cancer-study/

      http://www.bbc.com/news/health-15387297

      http://www.makeuseof.com/tag/5-tech-myths-debunked-cell-phones-dont-cause-cancer-more/

      http://scienceblog.cancerresearchuk.org/2011/05/31/who-verdict-on-mobile-phones-and-cancer/

      http://www.cancer.gov/about-cancer/causes-prevention/risk/radiation/cell-phones-fact-sheet

      http://blogs.discovermagazine.com/badastronomy/2010/11/24/repeat-after-me-cell-phones-dont-cause-brain-cancer/#.V0lMnfldUUk

      http://www.livescience.com/7543-truth-cell-phones-cancer.html

      http://www.abc.net.au/worldtoday/stories/s663143.htm

      https://skeptoid.com/episodes/4117

      E isto é só a superfície, porque há literalmente dezenas de estudo a comprovar que não existe ligação entre telemóveis e cancro.

      Eliminar
    2. A única coisa que há a dizer-lhe é isto: LEIA o artigo. E todos os estudos que lá vêem. Além de todos os outros artigos e estudos que já foram aqui postados que mostram que não há ligação nenhuma entre os telemóveis e o cancro.

      Eliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.