terça-feira, 19 de abril de 2016

NEUROESTIMULAÇÃO: O BOM, O MAU E O DESCONHECIDO



Na próxima 5ª feira, 21 de Abril de 2016, pelas 18h realiza-se no RÓMULO Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra, a palestra intitulada "Neuroestimulação: o bom, o mau e o desconhecido", com Alexandre Castro Caldas, no âmbito do ciclo Fronteiras da Ciência, coordenado por António Piedade, a decorrer até Julho de 2016.




RESUMO DA PALESTRA:
O desenvolvimento de processos capazes de ampliar as capacidades do cérebro está na ordem do dia. A principal justificação desta atividade é o tratamento das doenças do cérebro, que são responsáveis por alterações quer sensoriais e motoras, quer cognitivas ou comportamentais. O sucesso verificado na compensação destas alterações aguçam a tentação de usar os mesmos processos no sentido de potenciar funções consideradas normais, ou mesmo desenvolver competências que ultrapassam o papel biológico normal da espécie humana. Discutir-se-ão os processos e as suas implicações tanto no domínio da Saúde como no domínio das questões bioéticas.

ENTRADA LIVRE 
Público-alvo: Público em geral

1 comentário:

  1. O problema é sempre o mesmo:
    "... desenvolver competências que ultrapassam o papel biológico normal da espécie humana..."? - Bom, além de me parecer uma tecnologia grosseira para os doentes, as implicações vão muito além da Bioética, o que está em causa são questões espirituais, nada mais, nada menos.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.