terça-feira, 26 de abril de 2016

Ditaduras dão-se mal com a ciência. E é recíproco

Trofim Lysenko discursa no Kremlin em 1935

A minha crónica mais recente na Notícias Magazine:

Os regimes autoritários nunca foram grandes colossos científicos. A ciência precisa de liberdade para pensar e criticar: não tem razão quem tem o poder, mas quem apresenta provas. E a liberdade também precisa da ciência, pois esta é um desafio ao autoritarismo, que favoreceu o desenvolvimento das democracias modernas.

Texto completo aqui.

2 comentários:

  1. Não entendo como o Sr. Marçal, um homem inteligente e das ciências exactas, pratica o "acordismo ortográfico" sem pensar nas consequências perversas e perniciosas que daí decorrem! Não se atreva a dissertar sobre os avanços que os alemães imprimiram no campo da "otica", pois corre o risco que lhe furem o ouvido...
    Ana C. Leonardo

    ResponderEliminar
  2. Concordo. Pior do que não temos elites, é termos 'elites' destas.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.