sexta-feira, 8 de abril de 2016

Casa/Território: Sujeito, Democracia e Pertença



Informação recebida do Teatrão:

Casa/Território: Sujeito, Democracia e Pertença é um ciclo de conferências organizado pelo Teatrão para aprofundar e inscrever no território a discussão que serve de base à investigação e à criação de “Três Irmãs (Making Of)”. No espetáculo, que percorreu a cidade na primeira temporada, as Irmãs procuram uma solução para o problema da sua casa - enfrentando a angústia de a governar falida. Desde Tchekhov, essa «casa-metáfora» mudou. Para nós, a discussão actualizou-se enquanto a Europa implode em atentados e questiona a sua própria união. Em Portugal há um novo quadro político e, com ele, novas expectativas – e também interrogações. O espírito nómada que marcou as temporadas do espetáculo (e que é, aliás, marca da Companhia) continua aceso sob o mote Ver a Pé, Andar de Perto. Por isso, e para discutir o país (a europa e o mundo) como território de pertença comum, levamos estas conferências a outras casas – que também são nossas, de todos. A Oficina Municipal do Teatro é o destino final deste périplo, a partir de 12 de maio, quando as Três Irmãs regressarem a cena. E a casa.

Construção do estado democrático
Auditório do Museu do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, 9 de abril às 17h

Álvaro Laborinho Lúcio
Ex-ministro e Juiz Conselheiro Jubilado
António Filipe Gaião Rodrigues
Deputado na Assembleia da República (PCP)
Luís Monteiro
Deputado na Assembleia de República (BE)
António Casimiro Ferreira (moderação)
Investigador doutorado em Sociologia do Estado e da Administração

Com este painel, pretende-se fazer uma reflexão sobre o momento atual de implosão do conceito de estado social na Europa e, particularmente, em Portugal.
Um painel de políticos com experiência parlamentar e governativa, que vem refletir connosco sobre a evolução, ao longo dos últimos 40 anos, destes conceitos no nosso país e na europa.

Cultura e Neoliberalismo
Café-Concerto do Convento de São Francisco, 16 de abril às 17h

Carlos Moura Carvalho
Director-geral das Artes
Catarina Vaz Pinto
Vereadora da Cultura da CM Lisboa e gestora cultural
Rui Vieira Nery
Musicólogo e Diretor do Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas
Manuel Rocha (moderação)
Diretor do Conservatório de Música de Coimbra e músico da Brigada Victor Jara

Nesta conversa, pensamos sobre a contemporaneidade e a forma como a Arte pode criar brechas de discussão e alternativa a uma construção hegemónica do mundo.
Um painel de pensadores, mediadores e gestores culturais, que vem refletir connosco sobre a evolução das políticas culturais do país e da forma como estas são ou não potenciadas para o desenvolvimento do mesmo.

Territórios Difusos, 23 de abril
Quinta das Lágrimas, 23 de abril às 17h

Ana Paula Tavares
Historiadora e investigadora do Arquivo Histórico de Angola
Boaventura Monjane
Jornalista e activista social em Moçambique
Luís Carlos Patraquim
Poeta, autor teatral e jornalista
Catarina Martins (moderação)
Professora universitária e Deputada Municipal

Neste painel, organizado juntamente com o programa de Doutoramento do Centro de Estudos Sociais “Pós–Colonialismo e Cidadania Global”, será debatida a globalização da “casa” como sinónimo da pertença, as migrações, os refugiados. O Norte e o Sul na disputa dos territórios.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.