sábado, 27 de fevereiro de 2016

O direito à alfabetização


"Entre os direitos humanos, deveriam ser universais
o direito à alfabetização - nos países que utilizam o alfabeto
- e, mais geralmente, os direitos à literacia, à instrução e à cultura."
José Morais (Alfabetizar em democracia, 2013, 13)

O programa de rádio da Antena 1 Antena aberta de ontem, da autoria do jornalista António Jorge, teve por tema o analfabetismo em Portugal.

Nele se destaca o facto de termos 550.000 adultos analfabetos, para os quais, desde 2010, o Ministério da Educação não apresenta qualquer resposta.

Na verdade, os contextos oficiais destinados à aprendizagem da leitura e da escrita por parte desta população foram extintos pelo que, de momento, são apenas e só iniciativas isoladas - municipais e autárquicas ou particulares - que dão resposta a tão premente necessidade.

Ouvir aqui.

4 comentários:

  1. Wi-Fi nas escolas é crime contra a humanidade. Já vários países agiram e acabaram com o Wi-fi nas escolas, entre os quais, a Suíça, Israel, Rússia.

    É preciso espalhar este documento, não hesitem em traduzi-lo e divulgá-lo. Alegar que faltam provas é uma opção que deixou de existir, dada a lista de cientistas, peritos na área e médicos que subscrevem estes resultados.

    Documento de resumo sobre o WiFi, a Talidomida do séc. XXI
    WiFi - a Thalidomide in the making - who cares
    http://ssita.org.uk/wp-content/uploads/2013/10/WiFi-aThalidomideinthemaking-whocares.pdf

    Todos os detalhes aqui para que o cepticismo deixe de subir à cabeça, especialmente de doutorados:
    Barrie Trower on Wi-Fi in schools 02 May 2015
    https://www.youtube.com/watch?v=-FMMdJibIjY

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, como se atrevem as escolas a dar acesso às crianças à maior base de dados do mundo?! Mas que desrespeito o de mostrar-lhes o sítio onde mais se aprende hoje em dia! Não há respeito...

      Daqui a pouco também vai pedir que se acabem com as bibliotecas nas escolas, não? E já agora, com as aulas. Afinal, para que servem elas?

      Eliminar
  2. Bom, uma coisa é o acesso à informação, outra, bem diferente, é o perigo inerente à radiação dos sistemas WiFi. E os links apenas referem o WiFi das escola, mas não fazem referÂncia ao WiFi caseiro.
    Quanto a estes últimos, estamos com dois problemas:

    1. Os hubs e routers que temos na nossa casa não têm um interruptor específico para cancelar a emisão WiFi (quando não precisamos dela), independentemente do acesso à televisão e ao telefone. Desligando o hub (ou o router) cancela-se a radiação, mas perdemos o acesso ao telefone.

    2. Mesmo que hipoteticamente se pudesse cancelar/desligar o WiFi de casa, recebemos radiação do WiFi do vizinho de cima, do de baixo, do do lado, etc. Basta ver a quantidade de fontes de WiFi que podem ser recebidas de nossas casas, que, mesmo que codificadas para impedir intromissivos não deixam de nos invadir com radiação.
    Guilherme de Almeida

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta treta dos perigos das redes Wi-fi é ainda pior que a história de os telemóveis poderem causar cancro... Sinceramente, quem arranja estas ideias peregrinas não tem nada melhor que fazer?!

      Eliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.