terça-feira, 12 de janeiro de 2016

AINDA ESTAMOS NO ANO DA LUZ


Meu artigo saído em jornais regionais no quadro do projecto  "Ciência na Imprensa Regional"

Em 15 de Dezembro, na Conferência Haja Luz, na Gulbenkian, foi anunciado que o Ano Internacional da Luz ia ser prolongado por um semestre. O balanço é, por isso, provisório.

No Verão decorreram várias actividades de astronomia realizadas no Verão (na Reserva de Escuridão do Alqueva, onde esteve uma exposição de fotografia astronómica (Luz Cósmica), e a Astrofesta em Castro Verde.

Em Coimbra houve espectáculso de luz na  Universidade e  no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha. Em Cascais decorreu o festival Lumina. Também houve shows de luz noutras cidades como por exemplo em Aveiro e Lisboa. Abriu uma instalação luminosa perto da estação de S. Bento, no Porto.

No Porto está no Museu Soares dos Reis uma exposição sobre a luz (Luz Mirabilis). Em Lisboa estiveram duas exposições luminosas: A Luz de Lisboa, no Terreiro do Paço, e Na Luz-Dentro do Vidro, na Galeria Millennium. Em Òbidos esteve uma exposição de cartoons internacionais sobre a luz. Em Coimbra esteve no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra a exposição Visões-O interior do olho humano, para além da mostra permanente Segredos da Luz e da Matéria.

Houve várias conferências sobre luz, designadamente na Universidade de Lisboa, na Universidade do Porto (Lights On), na Universidade do Minho (Comunicação e Luz), na Universidade de Coimbra (Visões da Luz e À Volta da Luz), na Universidade de Évora (Colours 2015) e no Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva de Lisboa (Light from the Earth to the Stars e Dia Mundial da Ciência ao Serviço da Paz e Desenvolvimento).

A Ordem dos Engenheiros realizou encontros em Lisboa e no Funchal e editou um número especial da revista Ingenium. O Instituto Português de Qualidade fez um encontro sobre luz e metrologia. A Festa do Avante fez uma sessão e exposição sobre a luz. Merece destaque a conferência proferida no Porto pelo Nobel da Física John Mather, organizada pela Câmara Municipal.

Realizaram-se outras sessões sobre vários aspectos da luz por todo o país: na Biblioteca de Viana do Castelo, na Faculdade de Ciências e na Faculdade de Nutrição da Universidade do Porto, e na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.  Muito intensas têm sido as actividades no Ano da Luz na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, no Monte da Caparica. Em Coimbra, Aveiro, Braga e Lisboa a Noite Europeia dos Investigadores focou a luz. As Câmaras Municipais apoiaram várias actividades, como a reunião de empresas industriais ligadas à luz (Light Living Lab), em Águeda, e o Festival Cultura e Luz, em Almeida.

Saíram na Gradiva os livros  Uma  e Biografia da Luz, de José Tito Mendonça, QED, de Richard  Feynman,  Cosmicomix, de Balbi e Piccioni, e Histórias da Física em Portugal no século XX. Saiu no Centro Atlântico.pt Dark Sky–Alqueva, com fotos astronómicas de Miguel Claro. Foi editado pelo Museu da Imprensa um catálogo sobre cartoons de luz. A Tinta da China editou A Luz dos Livros, de António Leal. E a ISTpress reeditou Haja Luz, de Jorge Calado. O Público dedicou o seu número de aniversário aos cem anos da teoria da relatividade geral de Einstein e uma série sobre a luz na arte.  

Houve vários concursos de fotografia e cinema, designadamente Luz em Flash, em Aveiro. Houve também um concurso de joalharia sobre a luz. Os CTT publicaram um selo comemorativo.

Por todo o país o Ano da Luz continua. Fique atento em ail2015.org. As conferências escolares, oficinas e sessões de formação de professores  (Haja Luz nas Escolas) e a exposição Janelas de Luz, inaugurada em Aveiro e agora na Covilhã, vão prosseguir.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.