sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Gastão Cruz: Óxido



 
Há muito

Mas num momento a esperança
abandonou-nos, há muito que sabemos:
começo a procurar o sinal do silêncio

passando na garganta de todo o espaço e tempo.


O Tempo ao Espelho

Está diante do espelho o tempo mas nenhuma
luz deixa ver a imagem do

tempo em movimento para dentro

de si mesmo

ele próprio é o espelho e não se vê
Mais nada que não seja a morte da imagem.


Metais


Não sei se o ouro oxida ou se é o ferro
que morre sob a luz quente perdida

a vida dos metais é um enigma
mais denso do que a luz do nosso dia


A cor o brilho a têmpera os distinguem
como núcleos e rastros diferentes

de extintos astros todavia vivos
num tempo agora inútil para quem


não está nele nem sabe se os metais
oxidam a essa luz inexistente:

nebulosa ou cometa apenas brilha
o obscuro lugar onde a luz finda

 

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.