terça-feira, 22 de setembro de 2015

"Privacidade na era Snowden"


Em Lisboa, no Pavilhão do Conhecimento, tem decorrido um ciclo de conferências - Conferências Ciência Viva - do maior interesse.

Destaco a que terá lugar no próximo dia 24 intitulada "Privacidade na era Snowden". O convidado é Paulo Veríssimo, especialista em cibersegurança, que recentemente deixou o país por falta de reconhecimento e financiamento do laboratório que fundou e que dirigia (ver aqui). A propósito desta conferência, declarou ao jornal Público (o destaque é meu):
“Nunca como hoje tinha sido possível capturar, armazenar, processar e correlacionar rapidamente tantos dados sobre pessoas ou organizações (...). Este caminho trouxe indubitáveis vantagens às sociedades modernas, mas [criou] igualmente uma perigosa confluência de interesses entre governos e empresas (…). Existe hoje avidez global de informação acerca de pessoas individuais ou colectivas, construindo-se e armazenando-se um rasto contínuo e sistemático da sua vida e actividade que as fragiliza e coloca à mercê de utilizações abusivas da informação disponibilizada (...). Como mostrou [Edward] Snowden este é um propósito metódico que inclui a inserção velada de vulnerabilidades em sistemas da Internet global por parte de governos, para facilitar a intercepção de tráfego ou a recolha furtiva de dados de utilizadores (…) a despeito destes riscos, existem muitos incautos desejosos de expor a sua esfera privada [nas redes sociais]. (…) O direito à privacidade na esfera virtual tornou-se, de facto, num jogo viciado, com alguns batoteiros e muitos incautos. É necessário mudar esta situação para que possamos talvez passar a uma era pós-Snowden mais saudável.”.
Não podendo o leitor estar presente na conferência, terá acesso à sua gravação aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.