terça-feira, 8 de setembro de 2015

POIS, AINDA O ACORDO ORTOGRÁFICO DE 1990


Informação recebida da Maria Vitalina Leal de Matos  (MVLM):

A Academia das Ciências de Lisboa publica na sua página electrónica (vulgo site) um cartaz que pode ser visto acima.

Este cartaz mereceu da parte de António Emiliano  (« doutor em Linguística Portuguesa pela Universidade Nova de Lisboa e professor na mesma instituição, onde também desenvolve actividades de investigação, tendo coordenado projectos nas áreas da filologia portuguesa medieval e da história da língua portuguesa» Informação da Wikipédia) o seguinte comentário:  


A NOSSA MAGNA LÍNGUA PORTUGUESANa página do Facebook duma coisa chamada Academia das Ciências de Lisboa há um anúncio (dum colóquio) que tem alguns problemas, os quais suscitam os seguintes esclarecimentos:
1. Em português de lei BOM SENSO não tem nem nunca teve hífen (como BOM GOSTO, BOM HUMOR, BOA DISPOSIÇÃO, etc.);
2. NOVEMBRO escreve-se, nos termos da ortografia nacional em vigor, com letra ...maiúscula inicial;
3. ‘As duas partes numéricas do Código Postal devem estar separadas por um hífen e a designação postal escrita em MAIÚSCULAS e separada dos algarismos por um espaço.’ (Manual de Endereçamento dos CTT, 2014);
4. ‘QUALQUER-COISA [com hífen] E BOM SENSO’ é bom-título [com hífen] para qualquer-colóquio [com hífen] da Academia dita das Ciências de Lisboa, instituição absolutamente-inútil [com hífen] onde o bom senso não parece abundar;
5. Extinguir a Academia dita das Ciências de Lisboa, que de científico tem feito pouco nas últimas décadas e de acientífico e antiportuguês muito tem produzido, parece ser medida do mais-elementar [com hífen] bom senso.
É fartar, vilanagem!

Felicito o autor destas linhas e peço-vos paciência e BOM SENSO, coisa que não anda tão bem distribuída como gostaríamos de julgar. Paciência – Trata-se de coisa importante; como o autor diz, A NOSSA MAGNA LÍNGUA PORTUGUESA!
MVLM

2 comentários:

  1. Parece-me que pelo andar da carruagem e de tanta procura de cada "passante" nas ruas para dizerem como escrevem isto e aquilo não tarda muto que até os linguistas brevemente hesitarão com escrever certas palavras na Magna Língua Portuguesa incluindo os acentos já que creio ter aprendido bem português e como (ou não) se tem de acentuar a sílaba tónica sobretudo as exdrúxulas, Além de palavras que precisam mesmo de acento na 2ª sílaba e outras não - Por outro lado já nem sei ler u seja, perceber o que ensina a nova gramática de português - terei de ir para a universidade aprender a interpretar um livro que pressupões ser óbvio a ensinar e acabou Há ainda novas fornas de explicar o que é aférese sincope e acópoque e não percebo mesmo nada ou abrandamento de uma letra numa certa palavra -- julgava eu por exemplo que capuz se escreve com "z" mas afinal a pessoa que o usa denomina-se encapuzado e não como aprende de encapuçado E jã fui revisora da minha língua - agora desactivei-me do que me incomoda e escrevo, porque posso, como me apetece e brinco com as palavras, algumas que reinvento sabendo que não existem - essa liberdade posso, agora, tê-la pois que já não ensino - a própria ortografia do computador não sei se é português ou brasilês - lamento muito

    ResponderEliminar
  2. A Magna Língua Portuguesa merece mesmo ser PROTEGIDA pois não é português nem brasilês além da fonia que não se entende e as sílabas átonas expressas como tónicas e, estas, como átonas - quem ensina quem incluindo jornalistas das TV ??

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.