sábado, 19 de setembro de 2015

Homenagem a José Mariano Gago


Ciência, Política e Cultura Científica

Tem já início no dia 30 de Setembro um Ciclo de encontros em homenagem a José Mariano Gago, no âmbito dos 70 anos do Centro Nacional de Cultura, em colaboração com a Agencia Nacional de Cultura Científica e Tecnológica, Ciência Viva e com o apoio da Galp Energia.


 Enquadramento

Investir no conhecimento é investir no futuro. Esta afirmação, que continua válida após ter sido vencido o isolamento e atraso crónico da capacidade científica e tecnológica nacional 25 anos depois do Manifesto para a Ciência em Portugal de José Mariano Gago, exige compreender que a ciência é apostar nas pessoas, na sua formação exigente e motivada. Requer instituições fortes, diversificadas e consolidadas, abertas sistematicamente ao diálogo e à cooperação internacional, assim como a densificação progressiva da capacidade cultural, científica e tecnológica em todo o território. Exige compreender a transversalidade do conhecimento e da cultura e, portanto, requer instituições públicas e privadas que promovam o conhecimento e um Estado que facilite “redes de oportunidade”, assim como a compreensão colectiva que o conhecimento exige solidariedade social. Exige, portanto, reconhecer a necessidade do Estado combater a ignorância e facilitar uma sociedade de aprendizagem. Exige, certamente, aprender mais e saber mais, qualificando mais a população e estimulando a aprendizagem ao longo da vida, assim como atraindo mais jovens para estudar e trabalhar em Portugal. Mas exige, também, a construção social das políticas públicas de apoio á produção e difusão do conhecimento.

É neste contexto que no âmbito dos 70 anos do Centro Nacional de Cultura este ciclo de encontros vem homenagear José Mariano Gago, estimulando o debate sobre “Ciência, Política e Cultura Científica”.

Lembrar José Mariano Gago exige o debate informado entre cientistas e não cientistas, mulheres e homens, sobre a nossa identidade e o papel do conhecimento. Exige certamente recordar que nos últimos 25 anos a produção científica reconhecida internacionalmente multiplicou por 35 (em termos do numero de publicações registadas internacionalmente) e o investimento em investigação cresceu 5 vezes mais que o produto da nossa riqueza. O número de investigadores multiplicou por 17, atingindo os níveis médios da OCDE, com cerca de 9 investigadores por mil habitantes, com quase tantas mulheres como homens na Ciência e com a formação dos cientistas portugueses a fazer-se de forma cada vez mais internacionalizada. O sistema de ensino moderniza-se, com a fracção de doutorados no corpo docente das universidades públicas a ultrapassar 70% em 2012. Cerca de 1 em cada 3 cidadãos com 20 anos frequenta o ensino superior. E, na economia, os sectores que apresentam maior taxa de crescimentos das exportações referem-se a actividades crescentemente dependentes de mão-de-obra qualificada numa gama alargada de áreas e de serviços intensivos em conhecimento.

Mas pensar Portugal após José Mariano Gago requer a humildade necessária para compreender a complexidade crescente dos processos de mudança. Exige um esforço para a criação e difusão de novos conhecimentos e, sobretudo, aceder a bases de conhecimento crescentemente distribuídas no espaço e no tempo. Ou seja, requer um processo complexo de aprendizagem, promovendo a compreensão pública da ciência e a ruptura com o isolamento social da prática científica, e não apenas um inventário de matérias ou de prioridades. Foi também para isso que José Mariano Gago criou a Ciência Viva e promoveu a cultura científica em Portugal, por acreditar de que fazer Ciência em Portugal faz parte da ambição que os portugueses têm para os seus filhos.

Lembrar José Mariano Gago exige, ainda, continuar a internacionalizar as nossas actividades e combater diariamente o nosso isolamento cultural, social e económico no mundo, cooperando com os melhores e aceitando sempre as suas criticas.

O ciclo de encontros inicia-se a 30 de Setembro com o lançamento póstumo do último texto de José Mariano Gago, “CIÊNCIA, Judite e Almada: Nomes de guerra, HOJE”, o qual reflecte o pensamento modernista do homem e do humanista que introduziu em Portugal a noção de que fazer ciência faz parte da ambição que todos os portugueses têm para os seus filhos.

O 2º encontro, a 22 de Outubro, é dedicado ao debate sobre o papel da ciência no desenvolvimento da integração europeia de Portugal, incluindo o debate sobre o processo de adesão ao CERN no contexto das políticas públicas de cooperação científica internacional, especialmente estimuladas por José Mariano Gago.

O 3º encontro, a 5 de Novembro, é dedicado é evolução da investigação em cancro, incluindo o debate sobre a evolução da organização da actividade científica em ciências da saúde na Europa, ao qual José Mariano Gago se dedicou particularmente nos últimos anos da sua vida.

O ciclo de encontros encerra com uma conferência internacional, a 20 de Novembro, sobre o estado da ciência e a ambição de garantir o conhecimento como futuro. Será dada particular ênfase á coordenação de esforços internacionais para estimular o conhecimento para o desenvolvimento á escala mundial.

Como disse José Mariano Gago, investir na Ciência é investir no futuro.

 O Comissário, 

     Manuel Heitor, Centro de Estudos em Inovação, Tecnologia e Políticas de Desenvolvimento, IN+, Instituto Superior Técnico, Lisboa

Programa

Encontro 1: 4ªf, 30 Setembro 2015, 18-19h30, Centro Nacional de Cultura, Lisboa
CIÊNCIA, Judite e Almada: Nomes de guerra, HOJE, por José Mariano Gago
Lançamento póstumo do último texto de José Mariano Gago
Apresentação por Luís Gomes, Livraria Artes e Letras
Leitura do texto por:
Jorge Silva Melo, Artistas Unidos
João Sentieiro, ISR-LARSyS; Instituto Superior Técnico, Lisboa
Discussão por:
     Alexandre Alves Costa, FAUP, Universidade do Porto
     Alexandre Quintanilha, IBMC, Universidade do Porto
     Maria Fernanda Rollo, Instituto de História Contemporânea, FCSH-UNL


Encontro 2: 5ªf, 22 Outubro 2015, 18-19h30, Grémio Literário, Lisboa
CIÊNCIA, Portugal e a Europa: o CERN e a integração europeia
“SCIENCE, Portugal and Europe: CERN and the europen integration”
Conferências por:
Jean Pierre Contzen, Academia das Ciência da Bélgica e Von Karman Institute
Herwig Schopper, Antigo Director Geral do CERN
Discussão por:
     Francisco Seixas da Costa, Embaixador
     Eduardo Arantes e Oliveira, Academia das Ciências de Lisboa
     Jorge Romão, Instituto Superior Técnico
     Gaspar Barreira, LIP

 Encontro 3: 5ªf, 5 Novembro 2015, 18-19h30, IPO Lisboa
CIÊNCIA, e a investigação em cancro: desafios e oportunidades para a organização da investigação
“SCIENCE and cancer research: Organizing cancer research in Europe to achieve equity in patient’s treatment”
Conferências por:
Júlio E. Celis, Ex-Secretário Geral, FEBS; Chair, ECCO Oncopolicy Committee
Samuel Aparicio, Nan & Lorraine Robertson Chair in Breast Cancer Research, Department of Pathology and Laboratory Medicine at University of British Colombia, CAN.
Discussão por:
Manjit Dosanjh, CERN, Life Sciences Advisor - Knowledge Transfer (a confirmar)
Leonor David, IPATIMUP, Fac. Medicina, Universidade do Porto; Assoc. Portuguesa de Investigação em Cancro
Francisco Ramos, Director, Inst. Port. de Oncologia Francisco Gentil, IPO Lisboa
     
Encontro 4: Conferência Internacional, 6ªf, 20 de Novembro 2015, 10h-19h,
      Pavilhão do Conhecimento, Lisboa
CIÊNCIA hoje e o conhecimento como futuro
“SCIENCE today and the future of Knowledge”

Intervenções por (a confirmar):
Ernie Moniz, U.S. Secretary of Energy; Cecil and Ida Green Professor of Physics, MIT (emeritus)
Carlos Moedas, Comissão Europeia
Frederico Mayor, Presidente de la Fundación Cultura de Paz; Presidente del Consejo Científico de la Fundación Ramón Areces
Wang Weizhong, Former Vice Minister, MOST, People’s Republic of China
Liu Yanhua, Former Vice Minister, MOST, People’s Republic of China
Andrew Wyckoff, OECD Director for Science, Technology and Innovation
Jean-Jacques Dordain,  Director-Geral, Agência Espacial Europeia (ESA)
Dava Newman, Vice President NASA, USA
André Sirota, INSERM, former Director general
François Biltgen, CURIA, Former Minister of S&T and Higher Education of Luxembourg
Philippe Busquin, Former EU Commissioner for Research
Reimund Neugebauer, President, Fraunhofer-Gesellschaft, D
Philippe Gillet, Provost, EPFL; Chairman, International Risk Governance Council - IRGC,  Switzerland
Charles Kleiber, International Risk Governance Council, IRGC, Former Secretary of State, Switzerland
Sierd Clotingh, President  of Academia Europea, Vice President of the European Research Council
Jean Pierre Contzen, Academia das Ciência da Bélgica e Von Karman Institute
Karin Sipido, President of the Alliance for Biomedical Research in Europe
Jared Cohon, Scott Institute for Energy Research, Carnegie Mellon Univ., President Emeritus and University Professor, USA
Manuela Veloso, Carnegie Mellon University, USA
Bruce Tidor, MIT, Acting Director MIT-Portugal
Phil Clay, MIT, USA (Former Provost)
Dan Roos, MIT, USA
Silke Bertram, Volkswagen Stiftung, Germany
Svein Sjøberg, Science educator, University of Oslo, Norway
Vasilis Koulaidis, Professor of Education, University of Peloponnese, Greece
Abdallah al Zoumbi, General Secretary of Science and Technology, Jordan
Irina Veretenicoff, Flemish Council for Science and Innovation
Bert Seghers, Flemish Council for Science and Innovation
Peter Tindemans, Secretary General EuroScience
Deborah Roseveare, Direcção da Educação, OCDE
Irina Bokova, Director General UNESCO
Maciej Nalecz, Director for Science Policy, UNESCO
Guillermo A. Lemarchand, UNESCO
José Carvalho, Ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação de Angola
Maria Teixeira, Ministra da Ciência e Tecnologia de Angola
Jorge Nhambiu, Ministro da Ciência e Tecnologia de Moçambique
Michel André, ASTC - Association of Science-Technology Centres
Vittorio Silvestrini, President of Città della Scienza Naples, IT
Robert Klapisch, Sandra Carmignani, Fondation Partager le Savoir/ Sharing Knowledge Foundation, Genève
Ricardo Guerrero, Academia Europea
Giorgio Sirilli, IRCrES, Research Institute on Sustainable Economic Growth of National Research Council, CNR; ROARS, IT
Ildeu Moreira, UFRJ; Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC; Vice Presidente) e Diretor do Departamento de Popularização e Difusão da Ciência do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT)
Mario Campolargo, Comissão Europeia, "Emerging Technologies and Infrastructures", Director 
Manuel Paiva, Universidade Livre de Bruxelas
Rui Martins, Vice Reitor, Universidade de Macau
Nuno Ferrand, CIBIO, Universidade do Porto
Alexandre Quintanilha, IBMC, Universidade do Porto
Rosália Vargas, Ciência Viva

 TODAS AS SESSÕES TÊM ENTRADA LIVRE
  

Mais informações:    Centro Nacional de Cultura
Tel. 21 346 67 22


Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.