quinta-feira, 30 de julho de 2015

UMA AVALIAÇÃO POUCO INDEPENDENTE

Ler no Público de hoje uma análise da "avaliação" da FCT encomendada pelo governo e por isso nada independente. É encabeçada por alguém com ligações comprometedoras  à ESF e, portanto, à FCT : aqui.

Pormenor curioso: ficamos a saber que o líder da "avaliação" da FCT não leu o contrato e, portanto, não percebeu que a quota de 50% de eliminação de centros foi mesmo imposta à partida. Acaso na Áustria, país natal desse líder, algum dia se mandou liquidar metade das unidades de investigação por uma cláusula contratual de início secreta?

É também sintomático que esses "avaliadores" não tenham querido ouvir vozes críticas de um processo inquinado. O ministro, agora em campanha eleitoral pelas suas cores, sai sem honra nem glória do seu mandato. Sem glória ainda se admite. Sem honra devia ser o próprio a não admitir.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.