quarta-feira, 3 de junho de 2015

PORTUGAL EM 2020

Meu depoimento no JN de ontem (número de aniversário):


O ano de 2020 não tarda muito. A União Europeia fixou algumas prioridades para o crescimento. Este deve ser inteligente (apostando na educação, na ciência e na inovação), sustentável (privilegiando um economia com menos carbono) e inclusivo (favorecendo o emprego e reduzindo a pobreza). Tudo isto são boas ideias que Portugal está obrigado a adoptar.  Mas não será fácil se não se começar já e não se avançar com decisão. Por exemplo, a Europa quer aumentar para 40% a percentagem da população na faixa dos 30-34 anos que possui um diploma do ensino superior, partindo dos 38% actuais. Mas Portugal tem hoje apenas 29%, muito abaixo da meta europeia. Outro exemplo, a União Europeia quer aumentar o investimento na ciência em tecnologia para 3% do PIB a partir  do valor actual de 2,1%. O problema de Portugal é que só tem 1,4%, tendo descido nos últimos quatro anos do valor de 1,6% onde já esteve. Teremos, para atingirmos a média europeia, de passar em poucos anos para mais do dobro. Vejo, olhando para o passado recente, muitas dificuldades a transpor. Mas oxalá se consiga. A educação e a ciência têm de ser impulsionadas se queremos ganhar o futuro.


Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.