sábado, 20 de junho de 2015

MÚSICA E NATUREZA


 Na 3ª feira, 23 de Junho de 2015, pelas 18h, realiza-se no RÓMULO – Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbralocalizado no piso térreo do Departamento de Física da FCTUC, a palestra intitulada “Música e Natureza: do canto das aves à música ocidental” com Carlota Simões, Professora do Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e Directora do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra. Esta palestra insere-se no ciclo “À Luz da Ciência”, dinamizado pelo Bioquímico António Piedade, que decorre de Fevereiro a Junho de 2015.

SINOPSE DA PALESTRA:
O discreto mas sólido relacionamento entre a Matemática e a Música é pelo menos tão antigo como Pitágoras. A Matemática associa-se à Música logo no momento da afinação de um instrumento musical, já que notas consonantes são produzidas por sons cujas frequências apresentam relações matemáticas interessantes. O problema da afinação começou por ser um problema de proporções, quando o instrumento era a corda vibrante, mas tornou-se ainda mais interessante quando foi criado o piano, que exigia uma afinação temperada só encontrada após a intervenção dos matemáticos.
No entanto, desde sempre e sem quaisquer conhecimentos de aritmética, aves de todo o mundo reproduzem com precisão os diversos intervalos da escala diatónica e entoam melodias nas diversas escalas musicais criadas pelo homem ao longo dos tempos, desde os modos gregos às escalas diatónicas dos nossos dias.
Nesta sessão iremos conhecer aves que entoam intervalos que os humanos têm dificuldade em identificar, intervalos que a música em certas épocas proibiu, mas também ouviremos melodias que os humanos criaram, e que antes disso já pertenciam ao reportório das aves.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.