quinta-feira, 23 de abril de 2015

30 ANO DA ADESÃO DE PORTUGAL AO CERN


Informação recebida do Ciência Viva:

Na tarde do próximo domingo, 26 de abril, o LIP e a Ciência Viva celebram os 30 anos da adesão de Portugal ao CERN, no Auditório do Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa.

Esta tarde será agora também dedicada à memória de José Mariano Gago, impulsionador dessa adesão, fundador e presidente do LIP e fundador da Ciência Viva. José Mariano Gago empenhou-se pessoalmente na preparação desta celebração, trabalhando no programa até ao fim.

Às 15.00 será apresentada a estreia nacional do documentário Particle Fever, do realizador Mark Levinson, sobre o CERN, o arranque do acelerador LHC e a procura e descoberta do bosão de Higgs. Para responder a questões sobre os temas abordados no filme e sobre a presença de Portugal no CERN estarão presentes os investigadores João Varela, Patrícia Conde Muíño, Augusto Barroso, Jorge Romão e Gaspar Barreira, Director do LIP e Delegado de Portugal no Conselho do CERN.

Às 17.30 terá lugar a sessão dedicada à celebração oficial da adesão de Portugal ao CERN e à memória de José Mariano Gago, com depoimentos de personalidades nacionais e do CERN. Destacamos a participação de Luigi Rolandi e de Pier Giorgio Innocenti, do CERN, de Christian Fabjan, da Academia Austríaca das Ciências e ainda de representantes das instituições associadas do LIP (FCT, IST, Universidade de Lisboa, Universidade de Coimbra, Universidade do Minho, ANIMEE). O passado, presente e futuro do CERN marcam presença nesta sessão através das mensagens de Herwig Schopper, Director Geral aquando da adesão, Rolf Heuer, actual Director Geral, e Fabiola Gianotti, futura Directora Geral.

No final da sessão será atribuído o nome de José Mariano Gago ao Auditório do Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva.

Agradecemos que se inscreva aqui Os lugares são limitados.



Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.