sábado, 21 de fevereiro de 2015

A defesa ocasional da liberdade de expressão

Imagem retirada daqui.
Como Humanidade temos ainda uma longa caminhada à nossa frente para fazer valer os direitos humanos universais além do papel, de discursos circunstanciais e de casos pontuais que nos convocam e empurram.

Ainda há pouco tempo, aquando do ataque ao jornal "Charlie Hebdo", a Europa mobilizou-se, parecendo unida, para afirmar o direito à liberdade de expressão. Pareceria que estávamos todos de acordo: políticos e pessoas comuns.

Passadas poucas semanas, em pleno Carnaval, políticos avisavam organizadores de desfiles que tomariam as devidas medidas judiciais caso a sua caricatura, a aparecer, fosse desfavorável. Em democracia estavam, de facto, no seu direito, mas não me consta que isso tivesse detido os "brincalhões". Poucos dias depois, um dos países que encabeçou a manifestação em Paris a favor dessa liberdade condenava formalmente uma caricatura de um dos seus políticos mais poderosos. A caricatura foi publicada mas o assunto passou mais ou menos despercebido.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.