terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Infelizmente, não estamos sós

Não somos apenas nós, portugueses, que nos preocupamos com as escolhas curriculares e com o que elas deixam de fora ou contemplam pela rama.

Ainda em relação à Cultura e Línguas da Antiguidade tive conhecimento de uma carta que, recentemente, em Novembro passado, a Coordenação Nacional das Associações Regionais de Ensino das Línguas Antigas (CNARELA) enviou à Ministra da Éducation Nationale de l’Enseignement Supérieur et de la Recherche de França, na qual se reitera um antigo apelo à tutela: que dê atenção à situação muitíssimo difícil em que se encontra a aprendizagem, o ensino e a formação de professores desta área.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.