sábado, 10 de janeiro de 2015

ALEA IACTA EST


Recordando Júlio César, general Romano

Durante a campanha da Gália, César recebe ordens do Senado: deve licenciar o exército e regressar a Roma. Mas, não obedecendo às ordens, César, com o seu exército, atravessa o Rubicão (rio que separava a Gália Cisalpina da Itália). Isso era equivalente a uma declaração de guerra. Começava, assim, a Guerra Civil entre César e Pompeu.

Foi a 10 de Janeiro do ano 49 a.C.

Diz-nos Suetónio:
Seguindo de perto o exército até ao rio Rubicão, que era  o limite da província, parou um pouco, e reflectindo sobre o que fazia, voltando-se para os mais próximos, disse: “neste momento, ainda podemos retroceder; porque se atravessarmos essa pequena ponte, tudo terá de ser decidido pelas armas.”
Enquanto ele hesitava mostrou-se-lhe um tal prodígio: uma pessoa de rara corpulência e formosura apareceu de repente, sentada ali bem perto, tocando flauta; como, para além dos pastores, acorressem para o ouvir muitos soldados dos destacamentos e entre eles até os tocadores de trombeta, tendo arrebatado a trombeta a um, saltou para o rio e, iniciando com um forte sopro o toque da trombeta, dirigiu-se para a outra margem.
Então César disse: “Avancemos para onde os prodígios dos deuses e a iniquidade dos inimigos nos chama. A sorte está lançada.”
Suetónio, Júlio César
ALEA IACTA EST!


O Romance histórico contemporâneo tem tratado o tema:


Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.