quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Onde se pode aprender Latim?

A propósito do texto A simplificação da ortografia, uma leitora, Ana, perguntou:
"... tenho pensado seriamente em aprender Latim, quanto mais não seja para me facilitar o estudo de outras Línguas (...) Alguém me sabe indicar um curso de Latim, de preferência intensivo, em Lisboa?"
Pergunta de grande pertinência, pois o Latim desapareceu praticamente do nosso sistema de ensino e já poucos o ensinem (que serão cada vez menos). Podendo haver mais pessoas interessadas na resposta, destaco a informação prestada por Isaltina Martins, Presidente da Associação de Professores de Latim e Grego.
"Óptima ideia essa de querer aprender latim. Parabéns. Pode seguir um curso on line, no blog da sapo "vamosaprenderlatim". Em Lisboa, a Faculdade de Letras costuma organizar cursos livres, é uma questão de consultar a página do facebook "Departamento de Estudos Clássicos". Entretanto, pode também ir seguindo as notícias e informações que vão sendo publicadas na página do facebook da "Associação de Professores de Latim e Grego". Aí pode também fazer perguntas e obter informações. Bom estudo."

5 comentários:

  1. Acho inútil aprender latim sem primeiro dominar bem o sânscrito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou dar uma vista de olhos. Mas, antes que, por indicação de todos os degraus da Língua, me mandem ir conversar com Adão, vou começar mesmo com o Latim.

      Eliminar
  2. No contexto pode ser apenas gralha, mas o erro é recorrente: não se diz 'quanto mais não seja'. É 'quando mais', como 'quando menos', 'quando muito', etc.
    Mas é óptimo aprender o Latim (eu fiz o Liceu e estudei-o vários anos), excelente ajuda para aprender o Português...

    ResponderEliminar
  3. Preciso de um professor de latim urgenteee !!! Para uma prova na faculdade e nao consigo entender as declinacoes , casos e vogal tematica !

    ResponderEliminar
  4. Esqueci de colocar meu email
    Kniskie@yahoo.com.br
    Preciso muito desse professor.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.