sábado, 18 de outubro de 2014

ADESÃO AO MANIFESTO EUROPEU PELA CIÊNCIA CRESCE EM PORTUGAL




Portugal já é o terceiro país da Europa com maior número de assinaturas na carta aberta sobre a ciência do Euroscience. A essa posição não será estranha o enorme descontentamento que grasse entre nós a respeito da actual política de ciência em geral (o Presidente do CRUP diz que o ministro quer fazer "nata sem leite") e da "avaliação" da European Science Society em particular.

Para continuar a mostrar a toda a Europa o nosso descontentamento contra os cortes e as arbitrariedades na ciência bastará clicar aqui: .http://openletter.euroscience.org/open-letter-portuguese/

3 comentários:

  1. Fico um pouco preocupado com a baixa adesão em países como a Alemanha... será que lá não há cortes, ou eles concordam que se corte na investigação nos países do Sul (os mais votados) ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que não, lá é um ponto de concentração de 'cérebros'

      Eliminar
  2. Notícias sobre a petição europeia «Eles escolheram a ignorância» chegaram entretanto também ao outro lado do mundo:

    美国马里兰州巴尔的摩天文望远镜研究所天文物理学家Amaya Moro-Martin针对这 封信在《自然》杂志发表的一篇评论中称,在那些受到经济危机影响的国家形势更加 不容乐观。自2009年起,“西班牙国内研发 预算下降了40%,导致相关拨款减少 40%,人力资源项目减少资助30%。”她在一封给《科学》的邮件中写道。同一时期, 意大利减少了20%的高 等教育预 算,大学终身职位授予量削减到原来的90%,罗马 恩里克·费米研究中心物理学家 Francesco Sylos Labini说,从去年开始,意大利 在基础研究方面就几乎没有任何投入。希腊塞萨利大学细胞生物学家Varvara Trachana说,希腊研究中心和高校的科研预算直接减少了50%,新研究人员的雇佣 也遭到冻结。


    http://news.sciencenet.cn/htmlnews/2014/10/305201.shtm

    ​Para os que não são fluentes em Mandarin as Francesco, o Google Translate permite-nos aceder a uma versão mais amigável em inglês:

    http://translate.google.com/translate?u=http%3A%2F%2Fnews.sciencenet.cn%2Fhtmlnews%2F2014%2F10%2F305201.shtm&hl=en&langpair=auto|en&tbb=1&ie=UTF-8​

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.