terça-feira, 2 de setembro de 2014

Europe beware: half of your research centers could be shut down


Miguel Seabra is the new president of Science Europe. Portuguese scientists know him quite well. Under his leadership, the Portuguese Foundation for Science and Technology (FCT) decided to shut down half of the Portuguese research units. These cuts, described to the media as a "pruning", were disguised as an "evaluation process", commissioned to the European Science Foundation (ESF). The 50% cut off, defined by contract between FCT and ESF, implied that many research units had their classifications artificially lowered to meet this quota, in a faulty evaluation. If this is the new standard for science in Europe, maybe European scientists should start getting themselves ready for further "pruning" processes. 

3 comentários:

  1. E é verdade que o prof. Fiolhais enviou um email a todos os membros dos painéis de avaliação das unidades de investigação?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esperamos sinceramente que sim, ou que se ele não o fez, que alguém o faça, uma vez que há membros dos painéis que parecem estar equivocados em relação ao tipo de avaliação em curso.

      Falam em projectos, quando o que está em causa são unidades de investigação.

      Falam naquilo que sugerem que as unidades devem fazer para o futuro, quando é óbvio que sem financiamento não o podem fazer.

      Falam em explicitar melhor o orçamento, quando não vai haver orçamento.

      Talvez esteja na altura de finalmente haver alguma transparência nos dois sentidos.




      Eliminar
  2. Também tu por aqui António?! Vê lá que parece que sim - só espero é que o painel não dê com a língua nos dentes, mas é difícil controlar todos os 73, até porque alguns estão chateados por terem tido um trabalho enorme para escolher os 50%, e ainda por cima agora caem-lhes em cima.

    E não fazes ideia do que é que o gajo está a pensar fazer a seguir. Tu já estás reformado, mas eu ainda tenho mais uns anos pela frente.

    Um abraço,

    Miguel

    ps Obrigado pelo artigo no Expresso, mas podias ter tido um pouco de mais cuidado com o que escreveste.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.