segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Carta do INESC Coimbra ao Presidente da FCT

         Com a autorização do INESC- Coimbra publicamos a carta do INESC-Coimbra FCT que aponta as enormes fragilidades que usa o nome de "avaliação", mas que de avaliação não tem nada. Toda e qualquer semelhança entre o processo de destruição da ciência portuguesa que está ser levado a acabo pela aCtual direcção da FCT com  a complacência do ministro não passa de coincidência.  
FROM: Carlos Henggeler Antunes <cantunes@inescc.pt>

SUBJECT: POSIÇÃO DO INESC COIMBRA SOBRE O PROCESSO DE AVALIAÇÃO
DAS UNIDADES DE I&D

DATE: 23 de Julho de 2014

TO: presidencia@fct.pt

Exmº Senhor Presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia,

Prezado Professor Miguel Seabra

O Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores de Coimbra (INESC  Coimbra) é uma Associação Privada sem Fins Lucrativos, declarada de  Utilidade Pública, participada pela Universidade de Coimbra, pelo  INESC e pelo Instituto Politécnico de Leiria. O INESC Coimbra  desenvolve as suas actividades de I&D há cerca de três décadas  (até 2001 como Pólo de Coimbra do INESC e desde 1/1/2002 como  entidade autónoma), assumindo-se como uma unidade de I&D de natureza eminentemente interdisciplinar, incluindo a engenharia electrotécnica  e de computadores e as ciências da gestão/investigação operacional  (as suas raízes históricas), mas também a engenharia de sistemas, a  engenharia civil, os sistemas de informação, a matemática, a  engenharia geográfica. As actividades do INESC Coimbra combinam  teoria e metodologia, questões técnicas e factores humanos para  tratar problemas complexos em engenharia e gestão operacional. Na  vertente de investigação fundamental foram propostos modelos e  algoritmos inovadores, muitas vezes motivados por investigação aplicada, por exemplo nas áreas de optimização de radioterapia para  tratamento do cancro, de encaminhamento em redes de  telecomunicações, ou de gestão integrada de recursos energéticos.

Nas duas últimas avaliações internacionais o INESC Coimbra obteve a  classificação de “Muito Bom”. Desde então todos os indicadores  de produção científica (publicações em revistas de topo nas  diversas áreas de actividade, incluindo as de natureza  interdisciplinar, projectos no sistema científico e técnico nacional  - SCTN, projectos com empresas, conclusão de teses de doutoramento,  participação em acções de cooperação internacional,
organização de eventos técnicos e científicos, etc.) melhoraram de  forma sustentada, como tem sido reconhecido pelo nosso External  Advisory Committee.

Contudo, no processo de avaliação em curso, fomos surpreendidos por  uma avaliação incorrecta, superficial e injusta, que pode colocar em  causa a sobrevivência do INESC Coimbra, delapidando três décadas de  contribuição para o SCTN e o correspondente esforço de investimento  público realizado.

Nos resultados preliminares da 1.ª fase os três avaliadores  produziram vários comentários reconhecendo o excelente nível da  investigação levada a cabo no INESC Coimbra, mas também  afirmações factualmente incorrectas e aspectos julgados de forma  errada ou superficial. No texto de "rebuttal_”, apesar da  limitação de 600 palavras, tentámos esclarecer todas as dúvidas  suscitadas ou aspectos que claramente o painel de avaliação não tinha compreendido, eventualmente devido à nossa natureza  interdisciplinar. Lamentavelmente, quando recebemos os resultados da  1.ª fase, foi claro que o nosso “rebuttal_” não tinha sido minimamente tido em conta. O relatório final da 1.ª fase transcreve  essencialmente texto da nossa própria candidatura e não aponta uma  única crítica substantiva, para além de uma alegada “falta de  visão” (“lack of vision”), visão essa que está  explicitamente expressa em todos os documentos que submetemos no  âmbito deste processo e devidamente clarificada no “rebuttal”.
           Aliás, este é precisamente o tipo de crítica subjectiva que melhor  poderia ser esclarecida durante                  a fase de interacção com o painel.
 Ainda recentemente, na avaliação do Projecto Estratégico 2011-2012,  o INESC Coimbra  recebeu a seguinte avaliação: "Os objectivos  científicos previstos foram plenamente atingidos.  Os resultados  evidenciam grande qualidade científica, nomeadamente ao nível das publicações em revistas internacionais com referee. O projecto  contribuiu para a formação de jovens investigadores e para a  projecção internacional da equipa envolvida. "The obtained  results are in-line with the expected ones. From the scientific report  we can see a strong research activity. We can also see an effort to  internationalize the research (through the participation in several  COST Actions), an effort to improve the quality of the research (through the publication in journals with high impact factor), and an  effort to address research issues with strong impact in the  economy/society (through the collaboration with several companies). We  can also see a strong commitment in the trainee of the next generation of engineers and researchers, with 29 PhD Theses and 196 Master  Dissertations."

Todos os indicadores em 2013 e os já conhecidos em 2014 são ainda  melhores do que os de 2011-2012. O INESC Coimbra enunciou, em fase de  audiência prévia, argumentos substantivos adicionais sobre a nossa  actividade e os excelentes resultados alcançados com o financiamento  que tivemos. Nestas circunstâncias, alimentamos a expectativa, que
consideramos não só legítima mas também objectivamente sustentada,  de que o painel não continue a descurar aspectos essenciais e  resultados da nossa actividade, e suprima a evidente contradição  entre as apreciações e as classificações numéricas que nos impede  actualmente de passar à 2.ª fase do processo de avaliação. A  passagem à 2.ª fase é crucial para poder explicar presencialmente ao  painel os méritos da actividade desenvolvida e a visão para o futuro, e como ambas contribuem para consolidar a reputação  internacional do INESC Coimbra nas suas áreas de intervenção. 
O financiamento recomendado de 20 k€ (que se compara com o já  escasso financiamento de 128 k€ em cada ano 2013 e 2014) está, como  certamente V.Exa. reconhecerá, muito abaixo do mínimo dos custos  fixos. Esta drástica e totalmente inesperada redução do  financiamento levará inevitavelmente à destruição de uma unidade  de I&D bem gerida e internacionalmente respeitada, com cerca de três  décadas de actividade no âmbito do SCTN, de cooperação em projectos com as maiores empresas nacionais (EDP, PT Inovação,  Teixeira Duarte, etc.), e com ampla participação em acções de  cooperação internacional (por exemplo, o INESC Coimbra organizará  em 2014 a IEEE Vehicle Power and Propulsion Conference, um dos mais  importante eventos mundiais na área da mobilidade eléctrica). Este  é sem dúvida um desenlace que, para além da sua intrínseca falta  de justificação, configura um resultado totalmente ineficiente para  o SCTN, a economia portuguesa e a reputação científica do país.

O External Advisory Committee do INESC Coimbra, recentemente reunido  em Coimbra, constituído por reputados cientistas em várias das  nossas áreas de intervenção, produziu um documento que tomamos a  liberdade de anexar, contestando esta avaliação.

Assim, vimos apelar a V.Exa. para evitar que, no caso do INESC  Coimbra, esta avaliação injusta, superficial, e sem qualquer razão  científica que a suporte, possa conduzir ao desaparecimento de uma  unidade de I&D apresentando resultados técnicos e científicos bem reconhecidos e efectiva cooperação com o tecido industrial. O  processo de avaliação em curso vai configurar o tecido de I&D na  próxima década, não podendo correr o risco de destruir desta forma  o que, com os excelentes resultados amplamente demonstráveis, foi
laboriosamente construído nos últimos trinta anos.

Colocando-me ao inteiro dispor de V.Ex.a. para presencialmente poder  esclarecer na FCT, quer a nossa opinião sobre o processo de  avaliação, quer as questões acima suscitadas em relação ao INESC  
Coimbra, subscrevo-me com cordiais cumprimentos.

Carlos Henggeler Antunes

Director do INESC Coimbra

Professor Catedrático, Deptº de Engenharia Electrotécnica e de  Computadores, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade de  Coimbra 

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.