quinta-feira, 28 de agosto de 2014

AS CURANDEIRAS CHINESAS


Mensagem recebida do autor Joaquim Fernandes:

Tenho o maior gosto em anunciar-vos a publicação do meu novo romance histórico "As Curandeiras Chinesas. Um motim que abalou a I República", editado pela editora Gradiva. Já está nas livrarias e será apresentado no decurso da Feira do Livro do Porto, em Setembro.
A obra reconstuitui ficcionalmente acontecimentos reais e incríveis, no ano I da nóvel República portuguesa. Um episódio alucinante e irracional, omitido e subestimado pelos nossos manuais e varrido para debaixo do tapete da História nacional.
O que podemos dizer é que as duas chinesas, expulsas do nosso país, em 1911, devem estar a rir-se, algures, quando olham agora os "vistos dourados" com que o governo de 2014 recebe com salamaleques e reverências os seus compatriotas orientais! Que saborosa vingança!

A História tem destas crueldades....
Sinopse
Lisboa, Novembro de 1911. Duas chinesas chegam à capital e recuperam a visão dos cegos mais pobres que as consultam. Publicitado o «milagre», cresce a histeria colectiva e as autoridades ordenam a expulsão das duas curandeiras. A decisão acende um rastilho de protestos, no Parlamento e nos ministérios, congregando multidões em inflamados comícios. Há mortos, feridos e detidos nos motins da Baixa lisboeta. Cúmulo das ironias, Machado Santos, o vencedor da Rotunda, o fundador da República, torna-se de súbito no inimigo público dos que, um ano antes, o haviam levado em ombros... Um romance histórico de grande qualidade literária, baseado em factos verídicos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.