quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

And now for something completly different...

CATÓLICA-LISBON RESEARCH seminar


"The Physics of Finance: good news, bad news and some stories"
Joao P. da Cruz (Closer, U. Lisboa), Pedro G. Lind (U. Oldenburg)
03-Fev 14 14h00-15h30 Sala 522-A
Travessa Palma, 1649-023 Lisboa, Portugal


Ultimately, physics aims to uncover the laws and equations governing  the evolution of one particular system.  For that, one usually collects a time series of measures of one  property characterizing the state of one particular system. If the system is well-behaved enough, it should be possible to predict  its evolution for a reasonable long time. However, the ubiquitous case  is "bad"-behavior, typical of stochastic systems whose underlying dynamics  is difficult to uncover. 
In this seminar we will describe cases in finance and economic systems  where such well- and bad-behavior is observed and discuss in some detail  ways to improve approaching finance and economic problems.

5 comentários:

  1. Ainda andam com esta conversa? Tem já mais de quarenta anos. Isso é que é explorar o filão da analogia formal, onde um ser humano é o mesmo que um átomo idealizado ou uma gota de água muito especial, até ao tutano. E o melhor: capacidade de previsão de crises - nula. Fascinante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há uma única analogia no seminário, senão essas que são criticadas. Mas "a historia com 40 anos" ainda serve para decidir o destino do meu dinheiro por isso é que é importante. Quanto à capacidade de prever crises, depende da forma como mede a crise.

      Eliminar
    2. Caro Anónimo,
      A "conversa" tem de facto *muito* mais do que quarento anos. Tem mais de cem!
      Tentaremos resumi-los na primeira metade da apresentacao. Apareca! Criticas serão muito bem vindas para a discussão no fim.

      Eliminar
  2. Inglês, hem? Deve ser para ing(u)leses. Pouco alfabetizados ('completly')...

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.