quarta-feira, 6 de novembro de 2013

O Natal é quando quem tem poder quiser


O presidente da Venezuela decidiu antecipar o Natal para 1 de Novembro. A notícia foi dada nos nossos jornais e televisões (por exemplo, aqui) como se de algo insólito se tratasse. Esqueceram-se os jornalistas de olhar à sua volta, pois se o tivessem feito perceberiam que nesse dia estava o Natal já instalado entre nós.

Sinceramente, não percebo tanta admiração face à decisão de Nicolas Maduro. A 30 de Outubro recebi na minha caixa de correio oficial a primeira publicidade de produtos associados ao Natal, no dia seguinte a publicidade era alusiva à passagem de ano; no dia 1 de Novembro passei por um centro comercial enfeitado à "maneira do Natal".

As grandes empresas podem antecipar o Natal em quase dois meses e um presidente não pode!?

É evidente que acho estranhíssimo que um presidente, um governo, um ministro... ponha e disponha das datas festivas, religiosas ou outras, mas acho igualmente estranhíssimo que as grandes empresas o façam. E ainda acho mais estranho que só achemos estranha a decisão do tal presidente.

5 comentários:

  1. Acho bem. Que importa o Natal ser a 1 de novembro ou a 25 de dezembro? As duas datas estão erradas, o pai natal não existe e não há dinheiro para prendas.
    Eu sou contra o próprio calendário. O tempo não devia ser medido. É estúpido medir círculos. O tempo é a concentração de espaços em movimentos infinitos; retorce-se e repete-se em espiral como se nunca deixasse de ser por dentro mas com visibilidade exterior. O calendário é uma linha incompleta dessa visibilidade observada por um míope. Que mais dá que um cego o altere?
    Por mim, avariava todos os relógios.

    ResponderEliminar
  2. Não entendo, na verdade estas críticas a Maduro. Se ele resolvesse fazer um feriado e grande festa a S. Prosdócimo ou a S. Willibrordo, S. Godofredo ou Santa Cecília, todos santos venerados no mês de Novembro, talvez ninguém achasse incomum. Agora ,imitar o mundo capitalista , isso não!

    ResponderEliminar
  3. Ok, e se fosse o 1º de Maio? Vamos celebrar o 1º de Maio a 29 de Fevereiro, por exemplo. Era giro, não era ? E antecipar o Carnaval ? Já agora, podia ser Carnaval todo o ano, com tanta palhaçada. E há quem ache muito bem, pelos vistos.

    Quando afinal, tudo se resume à falta de papel higiénico. Maduro, há só um.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh não. Maduros, há muitos mais. Não são é presidentes.

      Eliminar
  4. Você sabe o que está acontecendo na Venezuela, Helena Damião?

    Maduro antecipa Natal na Venezuela. Poderia antecipar sua saída do governo também!

    Deu no GLOBO: Maduro decreta Natal antecipado na Venzuela

    Ainda é novembro, mas para Nicolás Maduro já é Natal. Isso porque o presidente venezuelano decretou no dia 1º um ato antecipando a comemoração, no qual afirma que a medida visa à “felicidade para todo o povo” e, assim, derrotar a amargura.

    - Hoje, sexta-feira, 1º de novembro, quisemos decretar a chegada do Natal, porque queremos a felicidade para todo o povo, a paz – afirmou Maduro, depois de visitar a Feira Natalina Socialista 2013, organizada pelo governo em uma área central de Caracas.

    Ali, como se já estivesse perto do dia 25 de dezembro, o presidente venezuelano trocou algumas palavras com os Reis Magos do Oriente, cantou músicas natalinas tradicionais da Venezuela e observou a venda de vários objetos e alimentos alusivos às festividades.

    - O Natal antecipado é a melhor vacina para os que querem inventar tumulto e violência. Natal adiantado. Aqueles que andam amargurados por aí terão uma canção natalina do (compositor venezuelano Francisco) Pacheco, ou uma seresta para alegrar a alma – acrescentou Maduro.

    Foi desta forma que o presidente fez referência ao recém-criado Vice-Ministério para a Suprema Felicidade Social do Povo, órgão que tem sido alvo de zombaria e críticas.

    - Ninguém poderá com a gente, ninguém poderá com a felicidade e o direito à paz, ninguém poderá com o nosso direito de viver e de ter um bom Ano Novo. Novembro e dezembro têm que ser um bom fim de 2013, para que seja premonitório do que será um tremendo 2014 para a economia e a sociedade – explicou ele.

    Não preciso repetir, aqui, que o socialismo do século 21 é muito parecido com aquele do século 20, que o único resultado possível com este regime é escravidão e miséria, e que tudo vira uma ópera bufa e tragicômica quando governantes socialistas tentam manipular o povo dessa forma grotesca.

    A Venezuela virou piada de mau gosto. Hoje, poucos esquerdistas brasileiros vão assumir abertamente que defendem ou defenderam Chávez e seu modelo. Mas basta voltar no tempo que veremos vários enaltecendo o regime bolivariano, elogiando o foco no social, aplaudindo as medidas populistas com os petrodólares.

    Lembro, ainda dos tempos de Orkut, de um cientista político gaúcho chamado Arthur que alegava precisar de mais tempo para julgar se Chávez era um tiranete bufão ou um gênio mal compreendido. O sujeito falava em nome de muitos esquerdistas na época.

    A história se repete como farsa, e aprendemos com ela que poucos aprendem com ela. O que seria da esquerda se as pessoas tivessem melhor memória? O ostracismo completo. Mas como as pessoas se esquecem do que foi dito ontem, a esquerda consegue pular de galho podre em galho podre como se não tivesse nada a ver com aquela decadência que defendeu por tanto tempo.

    Quem consegue defender Cuba ainda hoje? E a Venezuela? E a Argentina? E o governo do PT no Brasil? Pois é…

    http://tinyurl.com/nxthws3

    Para mais informações:

    http://tinyurl.com/qd2cjhb

    http://tinyurl.com/o8jon5t

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.