sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Direitos em conflito: privacidade ou educação

Imagem retirada daqui
Os telemóveis tornaram-se um recorrente foco de conflito nas salas de aulas do ensino básico, secundário e superior, seja porque tocam ou vibram, seja porque os alunos os atendem, seja porque recebem e enviam mensagens, seja porque copiam em exames, seja porque espreitam a internet...

Em casos mais graves é envolvido o director de turma, o coordenador de ciclo, a direcção da escola, os encarregados de educação...

Uma questão que se põe é se os  professores podem retirar os telemóveis aos seus alunos e, caso estes sejam menores de idade, aceder ao conteúdos que supõem suspeitos?

Dada conflitualidade que polariza e os direitos fundamentais põe em evidência (privacidade e educação), a resposta começa a ser solicitada à justiça.

Foi noticiado recentemente o desfecho de um caso acontecido em Espanha, a que o leitor pode ter acesso aqui.

2 comentários:

  1. Mais uma situaçao gravissima, onde os Profesores estão a perder o contolo das Aulas por culpa total de MÃES E PAIS QUE DEIXARAM DE SABER MANDAR NAS FILHAS E FILHOS.

    Torna-se imperioso, educar mães e pais, para o serem, e para não ajudarem a criar, ainda mais selvagens que não têm valores, referencias, respeito nem por si prórios!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  2. as mães e pais permitem que filhas e filhos se embebedem à grande com 12/ 13 anos, aos fins de semana, por todo o lado.......................pode isto assim continuar??''pode????????????????

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.