terça-feira, 6 de agosto de 2013

A Fraude da Astrologia: uma “ciência” que não é ciência


Artigo de opinião escrito a meias com o astrónomo Pedro Russo (Universidade de Leiden, Holanda) publicado no jornal Público, na sua edição de segunda-feira, dia 5 de Agosto, e publicado hoje no Público.

No Domingo passado o Público publicou uma longa entrevista com a fundadora do Centro Português de Astrologia, Maria Flávia de Monsaraz. A entrevista serve de mote a este artigo, não porque queiramos reagir-lhe "rasgando as vestes" mas porque consideramos ser uma excelente oportunidade para mostrar as falácias “científicas” da astrologia. Note-se que a palavra "ciência" atravessa a entrevista repetidas vezes (uma só já seria demais). Entendemos que a associação/ apropriação desta palavra pela astrologia é fraudulenta e isso incomoda-nos profundamente, como astrónomos e, principalmente, como cientistas.
É verdade que a Astronomia e a astrologia estiveram ligadas durante muitos séculos. Houve até figuras que são hoje nomes maiores da Astronomia que fizeram horóscopos. Johannes Kepler (astrónomo alemão que viveu nos séc. XVI e XVII) é talvez um dos mais paradigmáticos. Porém, na mesma época em que Kepler viveu, a Astronomia e a astrologia separaram-se definitivamente, com o desenvolvimento do método científico: o conjunto de regras básicas de como se deve proceder a fim de produzir conhecimento. Assim a Astronomia (ciência) e a astrologia (crença) seguiram caminhos diferentes. O grande matemático Pedro Nunes em 1541 escreveu na sua obra "Sobre os Crepúsculos": (...) não obstante, compraz-se de modo admirável com a teórica da Astronomia, isto é, da ciência que se ocupa do curso dos astros e da universal composição do céu, que não da crendice vã e já quase rejeitada que emite juízos sobre a vida e a fortuna. Hoje, Astronomia e astrologia não têm qualquer relação entre si, quanto aos objectivos ou metodologias de trabalho. Podemos até dizer que a astrologia está para a Astronomia como a alquimia está para a Química ou para a Medicina.
Mas porque é que a astrologia não é uma ciência ? Não é porque nunca, até hoje, a suposta relação causa-efeito entre a posição dos astros e a vida de cada um de nós foi validada pelo método científico após o escrutínio por equipas de investigadores independentes. Quando nos referimos a equipas de investigadores estamos a incluir as chamadas Ciências Exactas e as Ciências Sociais e Humanas. E o contrário, foi? Ou seja, há algum estudo que mostre que a astrologia não tem fundamento científico? Há. Podíamos citar trabalhos como o publicado por Shawn Carlson (Univ. da Califórnia), na prestigiada revista Nature, em 1985. Mas deixamos aos leitores um argumento mais simples para reflexão. Com excepção de Úrano, Neptuno e Plutão, a astrologia não incorporou descobertas científicas dos últimos 500 anos tais como: mais de 900 planetas extrassolares, nebulosas, enxames de estrelas, buracos negros, galáxias, entre outros. E nisto se inclui o facto da Terra se mover em torno do Sol. Sim, porque os horóscopos, na realidade, são ainda construídos supondo que a Terra está no centro do Universo e que tudo (incluindo o Sol) roda em torno dela. Pode a astrologia ser considerada ciência e, para além de muitos outros erros técnicos, ao mesmo tempo não se ter actualizado? Assim, a astrologia não é, definitivamente, uma ciência e está ao mesmo nível da cartomancia, da leitura nos búzios ou nas borras de café.
Apesar destes bem conhecidos argumentos, a astrologia continua a ter muito sucesso. Basta abrir jornais, revistas ou ligar televisões. Estamos convictos que uma parte deste sucesso terá a ver com o facto de muitos dos "consumidores" da astrologia assumirem a eventual “cientificidade” da astrologia. Pensamos isto por duas razões. Primeiro, a terminologia e a nomenclatura usada pela astrologia. Falando do Sol, da Lua, dos planetas e dos seus movimentos, das constelações e estrelas a astrologia pode passar a ideia que está a usar e a falar de ciência. Em segundo lugar, o espaço ocupado pela astrologia nos media (em particular na imprensa escrita) é frequentemente partilhado com as informações relativas às horas do nascer e pôr do Sol, as horas das marés ou a meteorologia. Ora tudo isto, ao contrário da astrologia, está suportado em modelos físicos e matemáticos estudados e validados ao longo de muitos anos por milhares de cientistas em universidades e centros de investigação em todo o mundo. Esta coabitação no mesmo espaço mediático apresenta a astrologia como uma fonte de informação diária e credível, de real interesse para a população.
É nossa opinião que seguir recomendações astrológicas pode afectar gravemente a saúde e vida sentimental e financeira dos seus seguidores. Por isso, gostaríamos que a comunicação social não tivesse rubricas de astrologia e horóscopo porque os media não devem ser meios de divulgação de charlatanices “científicas”. Infelizmente, consideramos isso uma utopia a curto prazo. Até lá, propomos que os media adoptem uma formulação inspirada nos maços de tabaco, por exemplo: "As previsões astrológicas apresentadas não têm qualquer validade científica". Seria, já, um grande avanço uma vez que alguém que deseje continuar a acreditar na astrologia poderá continuar a fazê-lo, mas ao menos não o fará enganado e desinformado.

72 comentários:

  1. A Flávia será uma espécie de Luís Portela da bial . Nem se percebe esta ânsia de cientificidade. .Toda a gente sabe que as crenças esotéricas estão ao nível da crença em Deus e muito relacionadas com ela , uma espécie de profetas ou oráculos . ,ninguém lê o horoscópio ou deita o tarot a achar que aquilo é cientifico , acham que é divino , " religião popular" . não sei onde foi buscar essa ideia de que acham que é ciência ::ao umbigo? :)

    ResponderEliminar
  2. A Universidade de Leiden apresentou o frescor da matemática no passado (o sopro na brasa) referência a afirmação de uma Europa consciente que preparava-se para o salto extraordinário da ciência exata.

    De modo geral compreende-se que a matemática intercala o plano responsável e desenvolve análise ao propósito de agregar de quando agregara-o brilhantemente; diferente de aventurar-se em qualquer fórmula o aprendizado requer estudar e partilhar ensinamentos ou em ter nível.

    Com relação a astronomia e astrologia aqui no Brasil por exemplo diria ao estilo de velho boiadeiro: cada qual toca seu gado.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "(...) desenvolve análise ao propósito de agregar de quando agregara-o brilhantemente; diferente de aventurar-se em qualquer fórmula o aprendizado requer estudar e partilhar ensinamentos ou em ter nível."

      Tão mal escrito!
      Na construção de frases é muito importante articular o sujeito e o predicado de forma inteligível. A pontuação também é um factor determinante para essa efectiva compreensão.

      Eliminar
  3. "Mas porque é que a astrologia não é uma ciência ?". Já reparou no erro contido nesta frase? Rigor precisa-se. Em tudo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acha que é "Mas porque" ou "Mas por que"? Os sentidos são muito diferentes.

      Eliminar
  4. O anónimo das 15:43 pode p.f. explicar onde está o erro na frase que cita. É que eu não vejo nada de errado na interrogação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acha que é "Mas porque" ou "Mas por que"? Os sentidos são muito diferentes.

      Eliminar
    2. Sim, o forte de João Fernandes não é a gramática.

      Eliminar
    3. Já agora, diga-se, também não é a Astrologia.

      Eliminar
  5. Esses argumentos já foram mais que debatidos...
    Com uma pequena pesquisa na internet encontra-se outros textos, entre muitos, que justificam o porquê da existência da Astrologia nos dias de hoje.
    É tudo uma questão de tentar perceber o outro lado, mas tentar perceber de forma aberta e tolerante. Nem tudo neste mundo pode ser medido, quantificado... O conhecimento cientifico não é o unico tipo de conhecimento.
    Sem mais:

    http://cnastrologia.org.br/site/blog/2011/12/27/astrologia-voce-acredita/

    http://www.constelar.com.br/constelar/85_julho05/alexey1.php

    http://www.astrologiaceap.com.br/?Fuseaction=ArtigosNacionais&ChannelID=14&ParentID=4

    http://www.astro.com/astrologia/in_praezession_p.htm

    ResponderEliminar
  6. A astrologia não é conhecimento científico, não é ciência. E nenhum dos links que dá acima prova o contrário. E já agora, gostaria que me esclarecesse qual é o "outro lado"?

    ResponderEliminar
  7. Perguntem à psiquiatria...
    Adoro compassos de espera.

    Sabem a expressão "dar baile"?

    ResponderEliminar
  8. Será que o problema tem solução?

    ResponderEliminar
  9. Não acredito em astrologia.

    ResponderEliminar
  10. Nem os seus argumentos provam que a Astrologia não funciona. Acho que já percebeu, certo? Não se baseiam nas mesmas leis, logo não pode estabelecer comparações. Isso, no entanto, não a invalida na sua utilidade.
    O problema é que os cientistas sempre partem de pressupostos errados, muitas vezes influenciados pelos seus próprios preconceitos. E todo o seu texto apenas comprovou que você é ignorante sobre os conteudos da Astrologia. Os seus argumentos são velhos e gastos, aliás, são sempre os mesmos. E depois passa-lhe o rotulo da sua "cientificidade" como se só as coisas que podem ser verificadas pelos cincos sentidos podem existir. Repare que as coisas que ainda não conhecemos não vão estar à espera da aprovação cientifica para existirem.
    Digo-lhe, para terminar, que em vez de debitar sobre assuntos que obviamente nao conhece, se resuma à sua área de conhecimento.
    Quanto ao acreditar cada um acredita naquilo que acredita, mas eu digo isso sem a arrogância intelectual com que tantas vezes tendemos a descredebilizar aqueles que pensam diferentes de nós.
    Uma boa noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há argumentos que provem que a Astrologia funcione, pelo menos a que se pratica atualmente. Na minha ótica, charlatanismo. Se pertencesse à civilização Maia e frequentasse a biblioteca, talvez me interessasse pelos códices, principalmente o de Dresden focalizado na astronomia, explicando a relação entre os astros, a sua disposição no céu e os efeitos sobre os homens e as coisas. Por curiosidade, talvez desse uma vista de olhos no Tro-Cortesiano, adivinhação e respetivos cerimoniais. Como fabulosos matemáticos, o estudo da adivinhação era matéria complexa baralhada com elementos científicos. Uma maquinaria espiritual de magia e esquemas ocultos bem montada que pretendia governar o Universo (por isso, os espanhóis trataram de queimar tudo?). Não é bem o Tarôt e os búzios e sei lá que mais dos bruxos deprimidos e gastos da atualidade.

      Concordo que os argumentos estejam a cheirar a mofo, mas... Toda a gente sabe que a ciência evolui por uma completa falta de sensatez e que o progresso é devido aos inconformistas. Se estivéssemos à espera de cientistas ortodoxos e conservadores provavelmente não saberíamos o que sabemos hoje. Acredito que os arquivos da erudição dogmática estejam cheios das descobertas marginais dos outros, feitas à custa da falta de limites humanos. Não há bela sem senão e toda a posição tomada é uma escolha ética. Não sei, por exemplo, por que razão Charles Fort não figura nas enciclopédias se foi consagrado pelos sábios da época… Dedicava-se à ficção científica e ao jornalismo e colecionava factos insólitos, relatos sobre ovnis, milagres e coisas inexplicáveis, bem nos antípodas da ciência. Se tivesse descoberto a lâmpada, o seu lugar enciclopédico estaria garantido. Assim, tudo o que conseguiu foi fazer proliferar seitas, movimentos de anticonformismo científico. Se foi capaz de comprovar fundamentadamente as suas estranhas descobertas, não sei. Também acredito que o “saber” académico e catedrático se constitua como uma fortaleza protetora de interesses. Convém discordar humildemente uns dos outros sobre alguns pormenores insignificantes e continuar a fazer teses seguras e a distribuir prémios e honrarias pelos circuitos internos afastando todo e qualquer intruso. Acho que percebeu, não é? Tipologias de arrogância e de debilidade!
      Que lado? Não visto camisolas por coisa nenhuma, muito menos à noite.

      Eliminar
  11. «o desenvolvimento do método científico: o conjunto de regras básicas de como se deve proceder a fim de produzir conhecimento.»

    Alguns cientistas são tão ciosos do método científico, que são mais papistas que o papa. A astrologia é muito mais e muito menos do que a astronomia. Tal como a literatura é muito mais e muito menos do que a realidade. Se alguém assume a astrologia como ciência, se o faz por ignorância, que se há-de fazer? Se o faz com intuitos fraudulentos, dolosos, aí pode-se atuar, até judicialmente.
    Mas o método científico e a ciência experimental também não deve arrogar-se competências para além das que lhes são (cientificamente) reconhecidas. O tribunal da inquisição da ciência seria a coisa mais perniciosa que nos poderia acontecer, a humanos e não humanos. Até as pedras estão sujeitas a esse tribunal, de primeira, segunda…última instância.
    O que nenhum cientista (digno desse epíteto) deveria ignorar é que quando digo estas banalidades é simplesmente por amor à ciência.
    O método científico é pura e simplesmente indiferente às preocupações de A ou B ou C. Para o método científico, por exemplo, o veneno e o remédio, nem são melhores nem piores do que o nada.
    E, então, para concluir, por amor à ciência (desinteressada, imparcial, objectiva e eticamente neutra), deixo duas perguntas simples: (1)quais são as regras básicas para produzir conhecimento do futuro, do passado, do presente, da prática de voleibol, de língua portuguesa, dos costumes e do civismo, da execução de instrumentos musicais, de elaboração de trechos musicais, de elaboração de pratos saborosos, ou, do bem?… (2) Se nunca houve conhecimento antes do método científico, o que andaram a fazer as pessoas até à “descoberta” do método científico?

    ResponderEliminar
  12. Ah, a falácia da tolerância e da mente aberta. Tendo em conta que a astrologia está encalhada há milhares de anos nas mesmas crenças e a ciência evolui e se modifica numa base diária, é de perguntar onde está a mente aberta e onde está a rigidez dogmática e que não mexe do mesmo sítio.

    Quanto ao comentador Carlos Ricardo Soares, diria que (i) a primeira pergunta mistura (propositadamente?)territórios muito diferentes para as quais não haverá teorias unificadas, sem que isso em nada desvalorize o método científico; e (ii)a segunda pergunta é falaciosa: sempre se produziu conhecimento - e se atentarmos à história, as bases do método científico (observação, experimentação, validação) ainda que de forma por vezes rudimentar, estão na origem da esmagadora parte do conhecimento do mundo natural construído e acumulado pela humanidade através dos tempos. O que se passa a partir do século XIX é essencialmente uma depuração e refinamento desse método.

    ResponderEliminar
  13. Queria dar os parabéns aos dois autores do texto.
    É importante que a comunidade científica se faça ouvir por entre a cacofonia da pseudo-ciência que nos ensurdece diariamente.
    Ainda bem que o jornal Público deu voz a esta explicação (ao menos isso, depois do artigo que publicaram sem uma gota de sentido crítico).

    ResponderEliminar
  14. Errado. A Astrologia não é imutavel, ela tem conhecido desenvolvimentos,nomeadamente através das descobertas na psicologia e noutras áreas, que são depois incorporadas.Por alguma razão ela tem seis mil anos e continua a sobreviver ao tempo, é porque prova o seu valor, senão já se tinha extinguido. A própria concepção do que representa a Astrologia também se modificou. As únicas pessoas que continuam a apregoar os mesmos obsoletos argumentos sobre a Astrologia são aquelas que continuam a pensar que ela se pratica como nos tempos medievais. Todo o artigo é uma demonstração de ignorancia sobre o assunto.
    A exclusividade do pensamento materialista é só outra forma de cegueira como se vivia no tempo da Inquisição, a única diferença é que passamos a viver no outro extremo. Nada mais.

    ResponderEliminar
  15. Quando vejo no céu a lua cheia, sinto vontade de escrever poemas e de namorar. Há portanto uma relação de causa e efeito entre a lua e o meu estado de espírito. Para eu fazer um cálculo posso partir de um pressuposto errado, mas que não influencia significativamente o resultado. Quanto faço um estudo de sombreamentos, em arquitectura, por exemplo, é indiferente qual seja, o sol ou a terra, que se move à volta de outro. Dada a distância ao Sol, consideramos que os seus raios são paralelos, sabendo que não são, e efectuo cálculos geomátricos e o resultado não é muito diferente do que se aplicasse os raios divergentes. Aplico ciência. Afinal só quero saber até onde quero baixar o estore. Pensar que os astros influenciam-nos não pode ser anticientífico só porque põe o sol a rodar e esquece-se de outros astros novos. Tudo o que nos rodeia nos influencia. A astrologia não será ciência, concordo, mas não significa que os seus pressupostos sejam errados. Verificam as pessoas do mesmo signo que possuem características comuns. A ciência podia estudar isso, não para explicar, mas para comprovar que isso é um facto, ou não. Como se faz com a luz. Sabemos que existe, conhecemos os seus efeitos, mas não sabemos ainda o que é? (pelo menos a minha professora de Física assim o dizia). Agora desculpem-me mas o meu signo diz que tenho de evitar alongar-me em demasia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro João Alves:
      Várias experiências já provaram que não é verdade que as "pessoas do mesmo signo possuem características comuns".
      Aliás, é muito fácil (e divertido) de comprovar.

      Dois exemplos:
      - foram dadas a várias pessoas uma análise do seu "mapa astral" para lerem. No final,perguntava-se se a análise errou não concordante com as suas características. A esmagadora maioria dizia que sim. Na verdade, todas tinham recebido o mesmo texto genérico!

      - Numa outra experiência fez-se o mesmo, usando textos de astrólogos, mas trocando os signos. A maioria das pessoas também dizia que correspondia à sua personalidade e características!

      O conhecimento existe!
      Agora, podemos dedicar o nosso precioso tempo a curar doenças?
      (sim, muitas pessoas sem literacia científica que populam as caixas de comentários acha que essa deveria ser a única função dos cientistas)

      Eliminar
    2. D.Barbosa
      Não seria mau que os cientistas médicos dedicassem grande parte do seu tempo a curar doenças. No entanto muitos criticam os curandeiros por curarem, enquanto eles cuidam de saber todos os pormenores da doença que os tais curandeiros desconhecem. Ao doente interessa que se cure e não ter um tratado sobre a sua doença. Certa vez, na mesa de operações a que fui sujeito sem anestesia geral, disseram-me que me explicariam tudo o que se ia passar. Eu proibi-os de o fazerem. Fizessem o trabalho deles calados que eu faria por gemer o menos possível. Não estava ali para aprender mas para ser curado.

      Eliminar
  16. O problema dos cepticos é esperarem que a Astrologia tem um retorno exacto, como se o homem fosse uma máquina e se regesse apenas pelo sentido racional, utilitário,... negando a existência de diferentes contextos sociais, culturais...distintos de pessoa para pessoa. É por isso que em muitas coisas que se fazem para a sociedade, seguindo-se as teorias, baseadas nos dados estatisticos e seguindo os pensamentos lógicos e racionais, a prática, no entanto, vem revelar o insucesso da teoria, porque se insiste em desvalorizar o lado subjectivo presente no ser humano.
    Está claro que a Astrologia não é uma ciência no sentido como se designa hoje a ciência, ou seja, numa visão mecanicista e previsivel. E longe de mim criticar o papel dos cientistas. Não é disso que se trata. Trata-se da defesa da Astrologia que foi criticada com base em argumentos errados que unicamente comprovam que o vosso pensamento da Astrologia é que ficou parado no tempo. São preconceitos que passam de geração em geração, preconceitos que partem logo da nossa educação básica quando nos obrigam a comprovar tudo o que somos, dizemos, sentimos, pensamos... Incentivando a ideia de que tudo o que não pode ser comprovado entra no dominio da superstição e da crendice e, portanto, irrelevante, passivel de desprezo.
    Como eu disse, para mim, a utilidade das coisas na sociedade baseia-se na sua resistência ao tempo. A astrologia resiste porque ainda há pesssoas que encontram nela as respostas que procuram.
    A Astrologia existe por si mesma,não precisa que a ciência lhe dê uma palmadinha nas costas para encontrar a sua "validade".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não precisa da ciência para válidação, então que não recorra à palavra para enganar os incautos.

      Eliminar
    2. O lado subjetivo do ser humano chama-se múltiplo, diverso, controverso. Como se valida universalmente? Encontra a sua validade subjetiva, não objetiva, a não ser que se consiga comprovar a matematicidade da poesia.

      Eliminar
    3. Tenho que concordar com o caro Anónimo.

      Eliminar
  17. E então a influência que o Sol tem nos humores humanos? E a influência da Lua nas marés? Ou nas pessoas, consoante as suas fases? E na contagem dos meses de gestação, quer para humanos quer para animais, quer para colheitas,como se fazia antigamente? Inserem-se onde, estas influências inegáveis?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isabel G, e o que é que esses fenómenos têm a ver com a astrologia? Sugestão: zero. Já agora, as fases da Lua não têm qualquer influência nas pessoas - trata-se de um conjunto de ilusões bem estudadas e descartadas - veja, por exemplo, aqui, que tem uma boa lista - http://skepdic.com/fullmoon.html .

      Já agora, não é o sol que tem influência nos humores humanos - é a maior ou menor quantidade de exposição à luz. Mais uma vez tem boas explicações por aí, mas sugiro esta: http://www.scientificamerican.com/article.cfm?id=down-in-the-dark .

      Quanto à contagem do tempo de gravidez faz-se por semanas (de sete dias) - e sim, essas estão ligadas às semanas lunares, mas apenas por convenção resultante da observação dos fenómenos astronómicos (não astrológicos) algo parecido com o motivo por que usamos o sistema decimal nas nossa contas: termos dez dedos nas mãos.

      Eliminar
    2. Pois é, não gostei da resposta. Argumentação fraca, forte superficialidade na análise.

      Já agora, a influência da Lua sobre as marés também é uma "ilusão bem estudada e descartada"?

      Só para que conste, definitivamente a Astrologia não é as Maias e os Prof. Mambos que por aí pululam. É muito mais do que isso e só a ciência teima em não ver o que tem à frente dos olhos.

      Eliminar
    3. Respondem-lhe a três aspectos das questões que coloca e ainda se dão ao trabalho de lhe sugerir leituras com mais explicações.
      Isso é, para si, uma resposta superficial?
      A Isabel tem muito tempo livre, não tem?
      É que se quer que numa caixa de comentários de um post, que já lhe dá muitas explicações, ainda quer mais e mais, é porque deve achar que os cientistas não fazem outra coisa que não seja fazer monografias com compilações bibliográficas como resposta aos comentadores dos seus textos.

      Coloca, de novo, a pergunta sobre as marés.
      Sim, as marés são influenciadas pela atracção gravitacional da Lua.
      Esse é um facto científico.
      Sem controvérsia.
      O que é que isso tem a ver com previsões astrológicas? NADA.
      A nao ser que Isabel seja um ser que vive na zona intertidal...

      Eliminar
    4. Cara D. Barbosa, um pequeno conselho: não argumente com ataques pessoais! Se eu tenho tempo livre ou não, isso só a mim diz respeito, mas não lhe dá a si o direito de me apelidar de desocupada.

      Outro reparo: não coloco DE NOVO a questão sobre as marés: coloco-a pela primeira vez NESTE blog.

      Eliminar
    5. A Isabel é que não tem o direito de exigir que lhe façam tratados monográficos sobre temas acerca dos quais uma pessoa qualificada já a tentou esclarecer.
      As dúvidas são muito bem-vindas mas, quando esclarecidas, pouco mais se pode fazer se aquele que as coloca nega ou despreza a explicação.

      Eliminar
    6. Esse mesmo argumento se aplica a si, já agora. Nunca se deu ao trabalho de ler nada sobre o assunto, mas opina como se soubesse.

      Eliminar

  18. Por muito respeito que tenho pela comunidade cientifica, fiquei sem perceber este ataque á comunidade Astrológica, ao nivel da credisse e charlatalisse.

    Os horoscópos dos jornais e revistas, nunca tiveram nada a ver com Astrologia, quem o faz está a enganar pessoas.

    Os Maias e outros povos antigos , realizaram estudos muito profundos em Astronomia e daí nasceu a Astrologia , que foi ao longo dos tempos se perdendo a favor de uma sociedade a evoluir nos meios cientificos e tecnológicos, com o aparecimento de astrologos de jornais e revistas.

    È preciso não confundir e misturar , na realidade existem muitas provas em que a Astrologia é uma poderosa ferramenta de cura psicológica, que quando mal utilizada por alguns pode dar origem a este tipo de artigos por parte da comunidade cientifica.


    Eu só posso falar por esperiência própia, das muitas pessoas que atendi no meu consultório com a análise e o rigor da interpetação de seus mapas Astrologicos, facilito e ajudo a curar as pessoas que me vem procurar, tenho muitos testemunhos desse facto.

    Se me disser qque as pessoas vêm das escolas de Astrologia ,mal preparadas tecnicamente, eu direi que sim , mas isso não quer dizer que a Astrologia para todos os que a praticam seja mal utilizada, é tal e qual um técnico que tenta reparar uma centarl electrica para ganhar o seu salário ao fim do mês , pode dar mau resultado por não estar preparado, no caso da Astrologia, aqui em Portugal, ainda se está a dar os primeiros passos para dar credibilidade a esta profissão e o que na verdade existe é uma confusão generalizada , certas situações é claro que não convem a certos sectores da nossa sociedade, por receio de perda de clientes, ou por defesa de ideias fixas tal e qual como nas religiões , onde cada qual defende a sua verdade, Religião , significa religar o homem com o divino ou o homem da ciência com Deus, por isso e está mais do que provado ao longo da história do homem, que muitos conseguiram a Astrologia surgiu para estabelecer e unir a ciência com a missão do homem neste planeta, e a Astrologia e essa é a principal função da Astrologia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os Maias nem sequer sabiam o que eram planetas e o que eram estrelas...o conceito de planeta é posterior e ocidental (os astrónomos "cá da casa" que me corrijam).

      Não existe qualquer evidência científica de que a astrologia seja "uma poderosa ferramenta de cura psicológica".
      Se tem dados em contrário, publique-os, por favor, numa revista científica com revisão pelos pares.
      Se passar essa revisão, ficará mundialmente famoso e representará uma revolução no conhecimento científico actual.

      Mas recorde-se: evidências anedóticas (i.e., relatos pessoais) não constituem evidência científica.

      Eliminar
  19. Se eu não percebo nada de Fisica ou Biologia ou outra ciência qualquer, abstenho-me de comentar e deixo para quem sabe. Por que é que os mesmos cientistas não fazem a mesma coisa com a Astrologia?
    Entre o que foi dito no artigo e a conversa de café só existe de diferença um "refinamento" na linguagem para se mostrar que percebe de alguma coisa quando não percebe de coisa verdadeiramente nenhuma.
    Todos esses argumentos foram refutados ao longo do tempo, mas ainda se continua a bater na mesma tecla. Nem a Astrologia é 1+1=2; nem os cientistas cnseguem dizer que ela não funciona e não, não existe nenhum tipo de paradoxo nisso, porque, pelos vistos, até existem astronomos que são astrologos e eles não vêm contradição nenhuma nas duas coisas.
    Para falar de alguma coisa é preciso que se estude aquilo contra o qual queremos argumentar. É um procedimento básico no mundo académico. E não basta ir com a ponta dos dedos para ver como é; para estudar Astrologia são precisos anos.
    E como em todo o lado existem bons e maus profissionais, uns trabalham para um bem geral outros trabalham para o oportunismo, é assim mesmo até no mundo académico. Muito do que se pretende dizer quando se fala em credibilidade (palavra que levou a cair o ceu sobre as vossas cabeças) é evitar que a Astrologia seja usada para os fins errados,através de um mau profissionalismo ou estudos incompletos. E é divulgar junto das pessoas o que é a verdadeira natureza da Astrologia, mas como se pode verificar pelo seu artigo, ainda existem muitas camadas de pó que deturpam a sua essência, o que vem sustentar o porquê de haver um trabalho que está a ser feito em termos de divulgação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O caro "Anónimo" quer então esclarecer-nos sobre a "verdadeira natureza da Astrologia"?
      Talvez assim possamos refutar os seus argumentos melhor ainda.

      Eliminar
    2. "Por que é que os mesmos cientistas não fazem a mesma coisa com a Astrologia?"
      Quem estuda História da Astronomia estudo Astrologia - eu, com algum tempo, conseguia fazer uma carta astral e mandar uns palpites sobre a mesma, de modo a embolsar uma dose de money bastante razoável - mas sentir-me-ia mal por enganar o parvo que estava sentado à minha frente. Muitos Astrónomos, até por curiosidade, estudam astrologia, até para responderem à questão de esta não ser uma ciência e ser pura banha da cobra.
      A título de curiosidade, um astrólogo que me explique o seguinte caso: uma senhora vai num avião grávida, de gémeos verdadeiros, de Tóquio para são Francisco, no dia 23 de agosto e, por azar, tem o primeiro filho às 23.50 de 23 de agosto (é um Leão!) e, passados 15 minutos, tem o segundo filho. Mas, como entretanto o avião passou a linha de mudança de data, este é Virgem! Assim os dois vão diametralmente opostos, apesar de serem gémeos verdadeiros...

      Ou não?

      Eliminar
  20. Caro Anónimo,
    Continua a usar a falácia da ignorância. Só que labora, por desconhecimento ou deliberadamente, numa falsidade. Muitos astrónomos debruçaram-se sobre o conteúdo da astrologia e estudaram-na em pormenor, para concluírem que não há nada, rigorosamente nada, que a fundamente. O seu argumento é o mesmo que é usado por todos os bruxos, curandeiros, crentes, devotos, charlatães e outros convertidos para defenderem a sua crença de estimação. A astrologia é apenas mais uma crença a juntar ao monte. E o mundo natural tem maravilhas, mistérios e encantamentos suficientes para encherem a vida de qualquer pessoa sem precisar de invenções de gente com ar grave e sábio a balbuciar fórmulas e esquemas sem sentido.

    ResponderEliminar
  21. resumindo : se a ciência continuar a insistir em gozar com a necessidade do ser humano de se ligar ou religar ao cosmos ao universo a um ser superior ao todo ao infinito ( é escolherem , sff) e insistir em encafuá-lo na Terra , vai se dar mal.. Pode ser que encontrem o gene , ou qualquer coisa assim , que faz com que tenhamos esta necessidade e o desliguem , mas o resultado vai ser muito feio , pois vai..não é a ciência que vai unir os "espíritos" humanos..
    por outro lado , é ridículo andarem a pedir licença à ciência para acreditarem no que vos apetece e faz sentir bem. , é dar-lhe uma importância que não tem . é dar-lhe o papel de juiz do bom e do mau , e não pode ser , ate´pq a ciência é obsessivo compulsiva e isso não é saudável :)

    ResponderEliminar
  22. Li atentamente todos os comentários e a ignorãncia de chamar bruxos e curadores aqueles que usam a Astrologia sem qualquer preparação e se aproveitam das situação frágil das pessoas para enganar as pessoas, tenho a certeza que todos os Astrólogos que o são verdadeiramente são contra esse tipo de actividade.

    Existem Astrólogos que estudam e fazem pesquisas Astrológicas muitos anos, e que acontece é que está mais do que provado para quem se dedica verdadeiramente ao estudo da Astrologia que elea funciona mesmo, na cura das pessoas, convem dizer a verdade, tal não convem aos actuais esquemas sociais , devido aos grandes interesses financeiros das grandes empresas, ao aceitar esta verdade, com muito prejuízo para as industrias de farmácia, orientar as pessoas e ensiná-las a ter uma vida saudável, fazer previsóes, saber o que a pessoa vem fazer a este mundo , a sua verdade tal como muitos astrónomos que se dedicaram talvez ao estudo da astrologia não tem vocação para aprofundar este estudo, outros certamente existem que se converteram porque estudaram verdadeiramente e fizeram pesquisas, mas só esperimentando e vendo por si é que pode chegar á conclusão que a Astrologia não é a sua verdade, por isso é falsa, deste modo respeite por favor os verdadeiros Astrólogos e esses ataques em nada ficam bem aos Astronomos, tenha a dignidade de começar a estudar e provar que a Astrologia é tambem muito importante na nossa sociedade, a verdadeira e autentica praticada por bons profissionais, respeite e será respeitado, não desca ao nivel de fazer de tudo isto um feira de verdades e provas, prove a si mesmo que a Astrologia é feita de esquemas e simbolos sem sentido, a astronomia sem a astrologia fica muito pobre não só com esse tipo de comentários, bem como no sentido pelo qual estamos na terra, para estudar e aprender esses esquemas e formulas sem sentido, e isso envolve anos e anos de estudo e formação, nem todos conseguem, mas tambem nem todos conseguem ser bons astrólogos, agora descer a Astrologia ao nivel citado não me parece justo e razoável

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existe ataques pessoais, para defender verdades absolutas, e uma total falta de respeito e sensatez para as verdades pessoais de cada um, os astronomos ficaram muito pobres, por não entenderem o que se passa no mundo previsto na boa Astrologia que se faz um pouco por todo o mundo, por pessoas tecnicamente bem preparadas, devia pedir desculpa publicamente aos que estudaram e investigaram, esse mesmo estudo e o divulgaram, contráriamente á mente puramente cientifica que não compreende o que veio fazer a este universo, por isso é que se fala em evolução, tem muito que estudar e aprender, eu ainda que tenha estudado um pouco de astronomia, não me encontro habilitado.

      È muito fácil provar e divertido as boas e verdadeiras previsões Astrológicas feitas um pouco por todo o mundo, estou a falar das verdadeiras, o que não é desculpa para pegar em argumentos fracos praticados por alguns astrólogos pensando que estão fazendo um bom trabalho e estão sendo enganados por um esquema viciado de um poder socia que por não terem o conhecimento suficiente caiem em determinadas armadinhas , previamente montadas em busca de protagonismo.

      Tais atitudes por conterem ataques pessoais, não são nada bons para a sua imagem publica, por estarem desajustadas de tudo o que se passa no mundo.

      Até a ciência ainda não consegui chegar á verdade absoluta do que se passa no universo, e está em evolução, tal com a astrologia, tudo o que sei e estudei é que a astronomia sofreu uma involução, tal como a astrologia, ambas se perderam nos esquemas sociais do poder , da corrupção dos estudos académicos que t~em um unico objectivo, escravizar o homem por ignorãncia da sua missão no Mundo, por isso mesmo é que é mais fácil, gastar minhóes de euros para enviar sondas a Marte e deixar milhoes de seres humanos a morrer á fome, do que compreender com verdade o que se passa na terra, esse é o verdadeiro papel da Astrologia, compreendido por alguns, no fundo as coisas são muito simples, algumas mentes cientificas ainda não compreenderam e mesmo com as inumeras provas que tem á frente do mundo em mudança e da ligação de algumas mentes cientificas a esta realidade, algumas ainda não conseguiram, são esses que eu aconselho a estudarem e fazerem pesquisas, astrológicas não se trata de acreditar, felismente os cientistas, pelo menos alguns já não acredita que o homem, não evoluiu do macaco, ele é muito mais do que pensa, e claro os verdadeiros astrólogos, estudam e pesquisam e não acreditam, na astrologia de feira , são realidades diferentes

      Eliminar
  23. Alguma das mentes brilhantes e estudiosas que aqui têm comentado anonimamente me pode explicar em que consiste a "verdadeira astrologia"?
    Ficaria muito agradecida.

    ResponderEliminar
  24. A sua mente brilhante, se estudar Astrologia, vai provar com muito estudo o que é na realidade a Astrologia, sem lhe por rotulos misturados de ataques irónicos e sem qualquer sentido, que em nada dignifica a imagem da comunidade cientifica, não acredita, estude, experimente.

    È fiel aos principios básicos do sistema do universo, e integra a consciencia do homem, que a física quantica já consseguiu provar, algo nesse sentido ainda que não saiba que tem uma consciência, e não acredita pode ter a certeza que a tem, tal como não pode provar a existencia do ar, isso não quer dizer que lá por não o poder ver não quer dizer que não exista, estudo, porque envolve muito estudo, e peça desculpa publicamente pelos ataques pessoais apenas porque algumas pessoas discordam de si, ou tem uma consciencia diferente, ou se prefir, chame-me ponto de vista diferente, encontre a sua verdade, mas não ofenda ninguem ao baixar de nivel, isso não lhe fica nada bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Siga o seu próprio conselho e não fale em consciência nem física quântica...a não ser que seja neurocientista ou físico teórico ou de partículas.
      A consciência existe no cérebro.
      É uma área de estudo fascinante da neurobiologia.
      É essa a sua área?

      Eu não vou estudar astrologia.
      Há temas infinitamente mais interessantes.
      Mas, repito uma vez mais: se a entendo tão mal, porque é que não me esclarece?

      Eliminar
    2. Insistem n a asneira do porque. Paciência.

      Eliminar
  25. A lógica do universo, faz todo o sentido para os Bpons Astrólogos, no entanto devo dizer que para muitas pessoas faz mais sentido compreenderem a lógica do universo, do que gastar milhões de euros em sondas a Marte e á Lua para provar a existência de vida noutros Planetas enquanto milhões de homens mulheres e crianças morrem de sede e de fome, não tem lógica nenhuma e n~~ao faz qualquer sentido.

    Jamais fale de algo que não conhece, pois só revela eignorãncia, habilite-se a falar mas seja honesto e verdadeiro em seus estudos, não faça como muitos que andam a passear os livros e se dizem engenheiros, ou arquitectos e claro tambem pode haver alguns que se dizem Astrologos e dizem que leram muitos livros e na realidade não tên competência para o exercicio da profissão, habilite-se a falar com conhecimento de causa e peça desculpa pela sua ignorãncia. por quando fala de astrologia, associar isso a bruxaria, curandeiros ou cartomantes ou o que for, apenas porque considera a Astrologia uma pseudo-ciencia, será que todos os astrologos concordam ? Uns dizem que sim outros que não, e então isso dá-lhe o direito de dizer que todos os Astrólogos consideram a Astrologia uma ciência, tem lógica ou faz algum sentido ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah...então o senhor Anónimo é astrofísico?
      Deve ser, uma vez que está a criticar o programa de exploração espacial.
      Ok, esse é um tema bem interessante.
      Como é que o quer debater?
      Podemos falar sobre a % irrisória de gastos que implica... Ou podemos falar dos tremendos avanços tecnológicos pelo qual é responsável... Ou ainda, podemos falar de como o programa espacial contribui para a Medicina. Se insistir e gostar do assunto, podemos até falar da Astrobiologia.
      Por onde quer começar?

      Em troca, só lhe peço que me elucide em relação à pergunta que coloquei.
      Recirdo-lha: qual é então a verdadeira natureza da astrologia que nem eu nem os autores do texto deste post conseguimos até hoje perceber?
      Obrigada.

      Eliminar
    2. Sinceramente tambem eu não consigo perceber, porque motivo esses mesmos avanços tecnológicos não resolveram em nada os problemas da humanidade numa saude cada vez mais em decadência, cura-se pessoas com sofisticados meios tecnológicos para os que podem pagar, e os gastos que muitas pessoas não sabem não são tão irrisórios assim como diz, poderá dizer-me que o sacrificio de muitos contribuintes para o avanço da Medicina é necessário, hipnotizando as pessoas com uma falsa verdade.

      Claro que gosto de Astrobiologia, mas é muito pouco e insuficiente, a Astrologia quando é bem integrada por aqueles que a estudam encontram e procuram o sentido da vida, aqui na terra e não em progamas espaciais, é uma das razões porque falei da verdadeira natureza da Astrologia

      Porque é que não pergunta ás pessoas que não têm dinheiro para pagar a saude que os governos do mundo cobram por esses avanços tecnologicos pagando uma saude muito cara se faz algum sentido sacrificarem as suas vidas e de suas famílias.


      Também é sabido que na medicina de mais baixo custo e autorizada pelos governos, se matam literalmente pessoas com experiências de laboratório.

      O que se pretende ? Criar uma raça de elite, já aconteceu na história da humanidade e não deu resultado.

      Estude e tente perceber por si própio a verdadeira natureza da Astrologia, vai ver que vale a pena, eu tambem acreditava que os Astrólogos eram vigaristas e aldrabões, devido ao mau uso que alguns fizeram nas suas iniciativas para ganhar dinheiro enganando as pessoas, hoje tenho uma opinião diferente, mas estudei para isso, debates nunca chegam a lado nenhum, os resultados estão bem á vista de todos nesses seus avanços tecnológicos de que fala. Obrigado eu

      Eliminar
    3. Apenas uma pequeno à parte sobre curas:

      "Cancer, The Forbidden Cures"

      http://www.youtube.com/watch?v=gWLrfNJICeM

      É apenas a realidade

      Eliminar
    4. Grande parte dos que trabalham neste blogue é completamente (bem, completamente é falta de rigor da minha parte) ignorante em Gramática. Desisto. Que devo pensar de quem não conhece bem a língua materna? Que valor dar aos seus argumentos?

      Eliminar
  26. A "astrologia" está no mesmo patamar das "aparições" marianas, ou outras, sejam elas de carácter absolutamente mágico ou maquilhadas de "estudo" pseudo-sério.
    Acreditar e ter fé é perfeitamente legítimo.
    Fazer crer que "milagres e outras astronomices" possam ter qualquer relação com a realidade, é outro assunto.
    Penso que inconciliável.

    ResponderEliminar
  27. Não se cansam de tanto disparate?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. até está giro. a seguir podemos discutir , sabendo que a cozinha é química , se quem faz melhores pratos são os doutores em química ou os que praticam com muito love e saber, mas sem perceberem nadinha de química , a arte da culinária :)

      Eliminar
    2. Concordo absolutamente, com todos os comentários, especialmente o que diz respeito ao progama espacial, que os senhores doutores, autorizados pelos respectivos governos a fazer experiências em laboratórios e em avanços na medicina, com palavras feitas e debates ridiculos ou desafios , ou o que quer que seja, para provar em conhecimentos devidamente comprovados o Poder de submeter as pessoas á devida ignorãncia.

      Eliminar
  28. http://www.academiadeastrologia.com/documentos.html aqui têm alguns documentos para ficarem um pouco mais elucidados. Estudos feitos com rigor por pessoas que se preocupam sempre em ser rigorosas nos seus estudos académicos. Não se pode argumentar sem saber do que se fala. Astrologia não são horóscopos em revistas nem Mayas, nem mesmo Marias Flavias Monsaraz... preocupem-se em saber do que falam e não sejam ignorantes e quadrados, meus caros cientistas. Convido-vos a irem a uma consulta a sério.

    ResponderEliminar
  29. Pois eu fui ao site indicado e deu para confirmar que nunca tinha visto tanta parolice/efabulação (para ser muito simpático...) juntas!

    "A conjunção Marte-Saturno em Caranguejo representa um ponto culminante num importante ciclo da Astrologia Mundana Tradicional.
    Como já vimos no artigo anterior, estes dois planetas formam uma conjunção em Caranguejo uma vez em cada 30 anos. Trata-se de um momento difícil, pois temos os dois planetas tradicionalmente considerados maléficos em situação de debilidade (Marte está em queda e Saturno em detrimento). Esta debilidade tende acentuar-lhes as características mais desagradáveis.

    No artigo anterior debruçámo-nos sobre a importância desta conjunção no contexto político português. Fizemos um breve estudo dos mapas das anteriores conjunções – em 1974, 1945 e 1915 – relacionando-as com os eventos políticos que marcaram o nosso país nessas épocas. Foram, como vimos, épocas de grandes viragens e turbulência a nível político e social.

    Neste artigo vamos apresentar um pequeno estudo sobre a actual conjunção e seus possíveis efeitos no contexto nacional.

    A conjunção exacta de Marte e Saturno ocorre no dia 25 de Maio às 5 e 41 UT. O mapa calculado para Lisboa tem o Ascendente a 9º 44’ de Gémeos e o MC a 16º 49’ de Aquário."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Onde está a parolice/efabulação? Não vejo...

      Eliminar
    2. Este é bom: http://www.academiadeastrologia.com/artigos/artigo17.htm

      Eliminar
  30. Sei que exigir a compreensão do método científico é um pouco demais perante os argumentos dos defensores da astrologia, mas que tal imaginarem uma experiência: peçam a 100 pessoas escolhidas aleatoriamente que se descrevam por escrito, da forma mais pormenorizada possível. Depois, peçam a 100 astrólogos que tentem encaixar as descrições nos 12 signos do zodíaco. Se a astrologia tivesse alguma relação com a realidade, seria possível as astrólogos encaixar as pessoas nos signos numa percentagem significativamente superior à do acaso, certo?
    Para ser uma experiência válida, tinha de ser "duplamente cega", etc. E teria de ser replicável, e por aí fora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. teria de ser : peçam a umas 10/20 pessoas que descrevam um tipo , depois seleccionem as características de carácter mais apontadas e apresentem o resultado a um astrólogo . é que a imagem que construímos de nós nem sempre corresponde à realidade.
      conste que a mim a astrologia ni fu ni fa ,mas a bem do rigor..

      Eliminar
  31. Caro Geek: tanta trabalheira que propõe. Deixem lá os astrólogos em paz. Eles fazem algum mal? Ou são vocês (os cientistas!!) que os querem educar?

    ResponderEliminar
  32. "Trata-se de um momento difícil, pois temos os dois planetas tradicionalmente considerados maléficos em situação de debilidade (Marte está em queda e Saturno em detrimento). Esta debilidade tende acentuar-lhes as características mais desagradáveis."

    "Maléficos"??!! Planetas??!!
    "Marte está em queda??"
    "Planetas débeis"??!!
    "Saturno em detrimento(sic)"??!!

    Valha-nos Santa Engrácia, prima da Santa Efigénia, cunhada da Santa Anunciação, vizinha da Santa da Concepção!

    ResponderEliminar
  33. Luiz Antonio - Brasil11 de abril de 2014 às 02:14

    Só vou postar desta vez e peço um exame digno de um neurocientista espírita que orientado por Euricledes de Jesus Zerbini, o qual a comunidade científica (!) re-conheceu voltou ao laboratório para estudar a glândula Pineal. Eles foram contemporâneos e o Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, clínico geral, psiquiatra, mestre em Ciências pela USP (Universidade de São Paulo- Brasil), foi lá a contragosto estudar a glândula pineal “Puxa eu ás voltas com a física quântica, neurociência, voltar a fisiologia”, falou ele chateado mas como pupilo do Zerbini foi lá. A maneira que ele explica como aconteceu o pedido foi singular. A Gl Pineal é por assim dizer glândula da mediunidade (prefiro dizer a que recebe irradiações). Vejam o vídeo da palestra, é científico. Vamos caminhar pela ciência. Esta um dia vem ser melhor; dizer ou ratificar que a ciência tem conhecimento da mecânica celeste é só em parte verdadeiro, não tem provas das galáxias, ou de que aquele veículo pousou em marte, ou de que nasceu mais um planeta (estrelas é outro tema). Quanto a viagens espaciais, é tudo animação é só assistir o vídeo da chegada em Marte, que circulou o mundo o qual ao final mostra no escritório da base os técnicos batendo palmas – estou convicto que as pessoas são a única coisa real do material divulgado...não foi nem à Lua, não tem provas. Agora peçam para eles explicarem porque não se pode sair da terra. Os cientistas dos tempos antigos são estudados até hoje porque eram espíritos evoluídos que vieram à terra para auxiliar a humanidade na sua trajetória para chegar aonde chegou hoje - Ciência do Espírito - quando um garoto de 12 anos faz cirurgia e dá aula para marmanjos em universidade de medicina, é tido como, digamos aberração e os catedráticos que são mais materialistas que outra denominação, não tem capacidade de qualificar esse ser com esse conhecimento absoluto, pois veio, foi e voltou do Absoluto. Ah, dizer que a consciência fica no cérebro!... Impossível de aceitar. Não tem noção, não tem noção (!) pois se o jovem em questão materializou em outro cérebro, onde estava este conhecimento? Não estou misturando o assunto com religião mas a religação do homem com Deus é matéria sim, daí a pineal, daí os astros. A astrologia foi uma das ciências mais altas na antiguidade (lembrando do texto acima com um tanto de inverdades num contexto deve ser revisto), pois um dia teremos grandes cientistas que virão à terra para de novo trazer para toda a humanidade mais clareza. Ah, sim definitivamente, pode examinar, A CONSCIÊNCIA não está no cérebro, ela é intangível! A ciência do espírito tem o estudo para examinar - é uma ciência também (claro que não será aceita assim como tal de hora para outra - daqui há um tanto de anos vem ser reconhecida). Não procuro me embrenhar por vidas passadas, ou falar com quem já desencarnou (ou morreu como dizem). pois não sou espírita kardecista. Eu sou um espírito e o que eu estudo é o auto-espiritismo. É daqui prá frente, para a luz. Para fechar: tanto o espírito quanto os astros e influências fazem parte de nossa história de vida. Acredito que parte do que podemos ler pela astrologia aliada a astronomia tem a ver com o auto-conhecimento necessário para melhorarmos enquanto pessoas para chegarmos a ter o merecimento de receber (do Alto), toda ciência que precisamos, como recebiam os verdadeiros cientistas da antiguidade. ..Já respondi a primeira pergunta: Quem sou? E olha que não é simples. Não tenho tanta erudição nem argumentos contundentes quanto os outros posteiros. mas vivo em meio a ciências altas e por assim dizer divinas. Tive que cortar o texto, mas para fechar. Grato. Sigamos na paz.

    ResponderEliminar
  34. A ciência é uma construção. Com conhecimento científico não se pode pretender conhecer a verdade última porque (aproveita e aprende como se usa o "porque") a cada "descoberta" outras coisas se mostram a descobrir e outro paradigma passa a ser seguido. Isso é correr atrás do rabo.
    A Astrologia é ciência porque (entendeu?) é conhecimento. Não é ciência nos moldes iluministas. O etnocentrismo é um perigo, use a relativização e compreenda que a Astrologia não pretende tomar o lugar da sua Astronomia. É outro tipo de conhecimento, que aborda coisas que a Astronomia não pode mensurar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Astrologia não é conhecimento, acho que está mais para ignorância.

      Eliminar
  35. Nós somos o resultado do que fazemos com os 50% da carga genética dos nossos pais , 25% dos avós e assim sucessivamente até a 5a geração , mais o ambiente em que nascemos ( soma-se educação , instrução - ou falta de ) e da nossa capacidade ou não de se inserir nesse mundo em que vivemos , aliados à imponderabilidade da própria vida :-sorte ou azar . Portanto AStrologia não tem valor , como previsão de vida , principalmente porque as estrelas que formam as constelações , estão em distâncias aparentes e muitas são estrelas extintas . Não perco o meu precioso tempo com isso. vou â luta . Obrigada

    ResponderEliminar
  36. Lamentável o fato de que pessoas ainda acham que astrologia é verídica em pleno Sec. XXI. Me pergunto quando é que as pessoas irão aprender a questionar as coisas ao invés de acreditar em tudo que lhes é dito.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.