sábado, 23 de março de 2013

Ainda o deputado Carlos Peixoto e um comentário ao meu post "Os filhos da praga cinzenta"


“Outrora, a velhice era uma dignidade; hoje, ela é um peso” (François Chateaubriand, 1768-1848).

Foi com indisfarçável emoção que me deparei com o comentário de um estimado aluno dos idos de 60, ínsito no meu “post”, “Os filhos da praga cinzenta”, aqui publicado em 15/04/2013 (cf., comentário com o nikname Jack,  do dia 22 do corrente, pelas 02:16).

Numa altura em que o português sofre de tratos de polé até de indivíduos carregados de diplomas universitários (bem nos basta o Relvas com a canga pesada de um diploma de licenciatura de pechisbeque), é sempre grato ler uma prosa  bem redigida que faz jus a uma escola de exigência  onde este meu antigo aluno se  diplomou  e em que, não me canso de o repetir, iniciei a minha saudosa docência em terras do Índico: a Escola Industrial  Mouzinho de Albuquerque de Lourenço Marques.

Mas regressemos à essência de um assunto que tem feito correr rios de tinta. Ou seja,  à triste e desastrada tirada de um jovem trintão deputado do PSD, de seu nome Carlos Peixoto, tomando-a com aquilo que julgou ser um  momento de glória seu e dos seus dotes oratórios. .E aqui não posso deixar de me interrogar: será que a exemplo da imortalizada personagem de Oscar Wilde, fez ele um pacto com o demónio para que o mantivesse  livre de cabelos brancos por si denominados como “peste grisalha”? Se assim foi, para esconder a vergonha futura (a juventude não é eterna!) de cãs suas encanecidas bastar-lhe-á usar  o  “Restaurador Olex”, dos reclames radiofónicos da minha juventude e, ao que julgo, de seu pai. Hoje, com a passagem inexorável do tempo,  sou representante  de uma grande franja do eleitorado português caído no  esquecimento de quem se senta em São Bento não pode deixar de saber  porque, como nos ensina a sabedoria popular,  não é com vinagre que se apanham moscas. E, muito menos, votos que, porventura, o possam reconduzir a nova legislatura. Ou seja, deixou, assim,  de ser uma questão de desrespeito pela velhice para passar a ser uma questão de falta de inteligência eleitoral
.
Na minha modesta condição de simples cidadão, atingido pelas medidas punitivas do actual Governo do PSD contra os reformados, apresso-me a recordar-lhe  uma homenagem  que não posso deixar de citar. Mais concretamente, reporto-me  à comovente letra da canção do brasileiro Roberto Carlos, intitulada “Meu Querido, Meu Velho, Meu Amigo”, dedicada a seu pai e  tornada hino de homenagem aos pais de todo o mundo, sejam eles ou não progenitores de homens do mundo da política:
 
“Esses seus cabelos brancos, bonitos, esse olhar cansado, profundo.
Me dizendo coisas, num grito, me ensinando tanto do mundo...
E esses passos lentos, de agora, caminhando sempre comigo,
Já correram tanto na vida,
Meu querido, meu velho, meu amigo
Sua vida cheia de histórias e essas rugas marcadas pelo tempo,
Lembranças de antigas vitórias ou lágrimas choradas, ao vento...
Sua voz macia me acalma e me diz muito mais do que eu digo
Me calando fundo na alma
Meu querido, meu velho, meu amigo
Seu passado vive presente nas experiências
Contidas nesse coração, consciente da beleza das coisas da vida.
Seu sorriso franco me anima, seu conselho certo me ensina,
Beijo suas mãos e lhe digo
Meu querido, meu velho, meu amigo
Eu já lhe falei de tudo,
Mas tudo isso é pouco
Diante do que sinto...
Olhando seus cabelos, tão bonitos,
Beijo suas mãos e digo
Meu querido, meu velho, meu amigo”.



19 comentários:

  1. caro Prof.Rui Baptista
    agradeço as suas elogiosas palavras relativas ao meu comentário,e direi que foi com enorme satisfação que que li o mesmo, que se reveste de pormenores deliciosos tais como:a referencia ao ilustre poeta Oscar Wilde,ao "restaurador Olex",e por fim ao grande cantor brasileiro Roberto Carlos.Que delícia de escrita.Bem Haja.De um antigo aluno da grandiosa e saudosa Escola Industrial Mouzinho de Albuquerque.

    ResponderEliminar
  2. Bom pela coragem e insistencia neste tema, dado que a partir de fazermos 60 anos, para bastantes ....................estamos a mais!!!!

    ResponderEliminar
  3. E insistir na ver se ainda nos deixam estar vivos.....ou se antes desde que de BI estejamos com mais de 60= injecçao letal. Já!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  4. Caro Augusto Kuettner: Os seus dois comentário trazem-me a uma memória de octogenário (ou seja ultrapassados, em vinte primaveras, os 60 anos de que nos fala no seu comentário, que tornam os portugueses em “peste grisalha”, Carlos Peixoto “dixit”) um filme, de 1973, interpretado por Edward G. Robinson, em fim de carreira e de vida, intitulado “Soylent Greene”, “ traduzido nas nossas telas por “À Beira do Fim”.

    Em traços largos, o seu trágico enredo baseia-se num tempo em que a alimentação escasseava dramaticamente para alimentar a humanidade só sendo acessível aos bem instalados na vida usufruírem de uma mesa farta de alimentos frescos. A solução? A produção estatal de um espécie de bolacha de cor verde fabricada em doses industriais com carne humana dos imprestáveis velhos, em suicídio assistido em clínicas do governo ( não sei se com a comparticipação da segurança social lá para aquelas bandas…).

    E mais não digo, deixando à imaginação do leitor qualquer semelhança que não parece ser de pura ficção com a perspectiva de certos figurões da cena política nacional. Não será, portanto, altura de certas personagens com responsabilidades sociais acrescidas imaginarem para si (repito, imaginarem para si) o que é chegarem ao ponto de serem “esbulhados” das suas reformas? Isto é, pondo de parte reformas escandalosas de discutível honestidade e escassos anos de contribuição, numa altura da vida em que os achaques “da peste grisalha” obrigam a despesas aumentadas com cuidados de saúde tidos não como um luxo mas com uma questão de sobrevivência? De uma sobrevivência de fim de vida descansada e digna para a qual contribuíram com os seus descontos anos a fio!

    De uma vida descansada e de dignidade em que qualquer filho (sem excepção) se possa se emocionar com o que os seus Pais por si fizeram homenageando-os com o comovente título da canção de Roberto Carlos: “MEU QUERIDO, MEU VELHO, MEU AMIGO”!

    ResponderEliminar
  5. Errata: Na 2.ª linha do último § do meu comentário anterior, corrijo "possa se emocionar" para "possa emocionar".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. possa emocionar-se
      ora a peste escarlate é do jack london

      abater os velhos de mais de 80 anos é dos filhos de matusalém numa terra cheia de gente
      superpopulação e tal

      já outros fizeram livros sobre gerontocracias dominadas por jovens centenários ou milenários

      há um filme dos anos 80 em que se matam todos acima dos 35...

      nesta altura no ruanda ou noutro lado os extermínios continuam a ser dos menores de 5 anos

      e dos trintões e quarentões com sida

      na africa do sul 28% das raparigas dos 14 aos 19 têm Hiv a circular no sangue
      e apenas 7% dos rapazes da mesma idade

      é um mundo em que a sobrevivência é diferencial seu bap tista

      uma velhota de 90 foi pontapeada em odemira para lhe retirarem metal amarelo

      é un monde cruel ó kal-el ou jor-el?

      Eliminar
    2. o filme com edward g...veio de um livro de Harry Harrison muito mais interessante que o filme

      soylent green uma palavra derivada de soy provavelmente

      havia soylent green and soylent red and crums of soylent and dog's beef

      no livro

      no livro a água era racionada e havia motins por causa da comida

      o livro em português recebeu esse título à beira do fim


      acho que o original era Make room make room

      mas posso tar enganado pesquise harry harrison o livro é de 1966

      é uma das suas piores novelas
      e tem muitas más e boas também

      acho que no livro não havia suicidio assistido só no filme

      nem o soylent green original era feito from people

      era de ?????algas??? mesmo...o red provavelmente de outra cousa

      agora suicídio assistido era praticado no SNS de 1979 a 2001

      se deixou de ser agora não sei

      mas nã vá parar à sala de observação do garcia de horta que é mortal

      Eliminar
  6. agora velhote esbulhado de tudo quanto tinha amealhado

    foi Jorge Amado o tipo que escrevia para telenovelas desde os anos 30 acho

    os subterrâneos da liberdade faliram com o banco onde tinha as poupanças

    pesquise banco de jorge amado faliu e velhote na miséria que talvez ache

    esbulhados das pensões foram milhões de russos e milhares mais de 80 mil islandeses

    e tinham reformas boas

    os gregos também...

    esbulhado dos meus descontos para a insegurança social estou eu que terei uma reforma virtual se o sns me deixar vivo

    logo isso de esbulhar quem descontou 11% ou menos por ano

    que mesmo a juros compostos nunca dá mais do que 5 ou 6 anos de reforma

    mesmo que tenha trabalhado 40 anos
    é só fazer as contas diria o reformado

    ResponderEliminar
  7. pois pois depois esbulhei-me26 de março de 2013 às 03:19

    Por exemplo o professor Carlos Pinto de sá

    Nascido em Montemor-o-Novo, com 55 anos de idade, Carlos Pinto de Sá desde cedo abraçou a luta pelos ideais da liberdade tendo participado na resistência ao fascismo integrado no MDP/CDE.
    É membro do PCP desde 1974, foi fundador da Associação de Estudantes da Universidade de Évora onde é professor de Economia nas áreas de política económica, história do pensamento económico e economia da integração europeia.
    Foi presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, da GESAMB e do Conselho Fiscal da Associação Nacional de Municípios.
    Foi membro do Conselho Nacional da Reserva Ecológica Nacional é membro do Comité das Regiões da União europeia.

    foi aluno do instituto bento de jesus caraça e passou para o corpo universitário nos anos 80

    logo tem 30 anos de descontos
    e tendo sido autarca durante quase 20 anos tem direito a reforma

    mas pressupondo que só se reforma aos 70....e teve ordenados de vários empregos

    pressupondo que descontou de todos eles
    imaginemos que descontou 3000 contos para a Caixa GEral de Aposentações até 94?

    e de 94 a 2002 a 600 contos mensais descontando 11% 66x14x9 anos digamos com juros de 6% em média teriamos mais 30 mil contos
    e nos últimos 10 ou 25 se ele durar até 2038

    jubila-se aos 70 com 5000 eurosx 25
    125000 eurros
    pondo os dos anos 80 a juros de 10% em média
    isso se o estado conseguisse capitalizar alguma coisa

    teríamos 350 mil euros capitalizados aos 70

    se ele durar 10 anos

    a receber digamos 48000 iliquidos de pensão anual com a nova tabela de pensões

    e se os 350 mil gerarem juros acumuláveis de 3% ao ano

    dá para 8 anos no máximo...

    vá perguntar-lhe pois no bento de jesus caraça devem ter-lhe ensinado a fazer contas

    ou se calhar nã

    ResponderEliminar
  8. a minha tia avó finou-se no mesmo ano do harry harrison

    e estava reformada desde 1977,,,recebia na altura a miséria de 10 contos de pensão como funcionária pública

    e continuou assim aos soluços até à harmonização das pensões em 86 acho após aumentos sucessivos ganhava 246 contos em 92

    e 2280 euros não limpos em 2004 em 2012 devia andar nisso mais coisa menos coisa

    ilíquidos 48000 anuais durante 10 anos do euro são 480.000 euros

    a associação de solidariedade de uma caixa de previdência qualquer de um ministério perto de si enviou este ano mais uma carta a dar-lhe 68 euros para o enterro quando ela se finar

    aparentemente ninguém avisou a mesa da caixa de previdência

    como é que lhe descontam os cêntimos anualmente depois de finada é milagre

    logo esbulhados estamos nós e de muitas maneiras

    e nasceu em 1911 ou seja era uma velha republicana

    agora lá no lar só sobram moças dos 82 aos 98....

    reformada aos 67 teve 9 anos de péssimas pensões e pelo menos 20 de óptimas pensões a partir de 92 em diante

    devo eu pagar por ela que deixou tudo à santa casa da mesa ricórdia?

    pois provavelmente devo

    o manel de oliveira já deve estar reformado há 34 pelo menos

    o meu abuelito recebeu aos 76 da casa do povo uma reformazinha até aos 98
    foram 22 anos de uma reforma de miséria

    tudo junto deu um ano e picos da reforma da minha tia avó em 2002 ou 2012

    que estudasse e tirasse mais do que a 4ªclasse

    fosse para o lyceo que já os havia
    nã andasse 3 anos na tropa....a ganhar vinténs

    tivesse descontado em vez de andar a cavar carvão...

    de resto o sns tratou-lhe da pulmonaria de graça

    e antes do sns o santa maria cortou-lhe um terço do esquerdo
    que tivesse sobrevivido de 1930 para receber a reforma da casa do povo do marcelistão e dos seguintes foi milagre

    logo o esbulhado é bocemecê sim senhori

    o mê abuelito um homme de sorte né..chegou aos 98 a viver da caridade dos filhos

    queria lá ele outra cousa né?

    preguiçoso do velho a esbulhar os senhores doutores...descontasse
    pois

    ResponderEliminar
  9. Quando se quer fazer desaparecer todos os que já ultrpassamos os 60 anos. Ao que chegamos???

    O que vem sendo feito - essencialmente !!!!! - por aqueles (elas????) que vagueiam entre os 35 e os 45 anos...- dá para pensar se a sua - deles, delas - crueldade, chegou ao ponto de pensar, dizer, escrever:

    - se não terei reforma quando ultrapassar os 60sssssssssssssss, por que raio não hei-de começar por resolver - aniquilar - o assunto dos seus pais, maes, avós.................a começar pelos seus............................

    Que parece que nem os outros animais mais (tiranos) irracionais o fazem....o farão??? e ao quie chegamos? novo holocausto???????????????????????????????????????????????????????????

    augusto küttner de magalhães

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hollow causto ou cáustico?26 de março de 2013 às 19:20

      o farão ó faraó?

      parece que nunca viste um campo de concentração de velhos

      crueldade é metê-los num

      já crueldade a sério é mantê-los vivos durante anos semi-esfomeados e atados às camas para receberem as reformas

      e olha a velhota cega e surda durou 10 anos num lar cagando nas fraldas e vomitando na cama
      ela bem podia querer morrer mas já não falava há anos
      e estava tão amarradinha que as mãos já nem mexiam

      és muito Kuttner o cutty sark? ou obrigam-te a escrever esses pontinhos todos nos cheques?

      Pois seu rui batista esbulhado?

      olhe que não olhe que não
      o ex-marido dela(da velhota craro, desquitaram no Brasil que aqui escriturária de corpo diplomático saía da união pra toda a vida não) veio do Brasil com reforma de milhões de cruzeiros anuais em 1978 e em 1987 quando se finou a reforma nem para pagar o almoço dava
      chama-se a isso inflação
      o mesmo aconteceu aos funcionários reformados com 1000$ nos anos 50
      que em 74/75 pouco mais pagavam com esse dinheiro que a renda da casa

      e as actualizações nos anos seguintes foram péssimas

      logo esbulhados ou esbugalhados com 30 anos de fartar vilanagem

      o lar da velhota fez com a miséria dela em 10 anos de morte-viva dos 91 aos 101
      a módica quantia de 180 mil euros sem contar operações para a manter viva

      os cinco filhos que lhe sobreviveram vivem na miséria no brasil e na venezuela com pensões diminutas
      os netos e bisnetos acho que vivem mais ou menos acima do salário mínimo
      tirando os dois que morreram desempregados e por overdose

      sobre-dosagem é mais português né..

      é um negócio esbulhar as pensões dos mortos-vivos e há tantos

      Eliminar
    2. Para disparates.........não vale a pena!!!!!!

      Eliminar
  10. QUEM SERÁ? QUEM SERÁ? QUE AQUI ESTÁ A RESPONDER DE FORMA DESPROPOSITADA E DESVIANTE A ESTE ASSUNTO?????????

    QUEM SERÁ??????????????????

    ( NÃO SEI MAS FICA A PERGUNTA)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Augusto Kuettner: Agradeço-lhe a forma séria dos seus comentários. Deste ultimo, a pertinente pergunta que faz: "Quem será?"

      Eliminar
  11. Quem será Rui Baptista?????

    forte abraço


    augusto

    ResponderEliminar
  12. Quem?????????????????????????????????????????????????????????????????

    ResponderEliminar
  13. Quem será?quem será?será algum indigente que, na altura que escreveu o comentário estava com uns "copos" a mais, ou então,terá sido do pó que inalou?Quem quer que seja,perdoai-o Senhor,e não vale a pena perder mais tempo.

    ResponderEliminar
  14. Este animal que não teve pai nem mãe, também náo foi parido foi cagado-Apesar dos meus 68 anos gostava de o conhecer para lhe partir o focinho, e depois garanto que ele não chegava a velho

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.