segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Sementes de Ciência - Prefácio e Índice


Publicamos o prefácio e o índice de "Sementes de Ciência", Livro de Homenagem a António Marinho Amorim da Costa, com vários artigos sobre história da ciência em Portugal e no mundo, que acaba de sair na Imprensa da Universidade de Coimbra, sendo editores Sebastião J. Formosinho e Hugh D. Burrows:

Prefácio

A História da Ciência é um domínio bem consolidado e respeitado. Mas de igual relevância é ser um campo de investigação que proporciona aos seus cultores uma interface para o que C. P. Snow descreveu como «as duas culturas», as ciências e as humanidades. Dela resulta um benefício para as duas áreas e proporciona um excelente meio para atenuar os efeitos dos aumentos de especialização que caracterizam o contínuo progresso do conhecimento na senda que o homem traçou para conhecer cada vez mais e melhor a Natureza e os seus fenómenos.

Esta obra colige nove artigos sobre história da ciência de diferentes autores em homenagem ao Prof. António Amorim da Costa, por ocasião da sua jubilação académica como Professor Catedrático de Química da Universidade de Coimbra. Amorim da Costa é um homem das «duas culturas», caso raro no panorama universitário português. Vai para 30 anos, enveredou com perseverança pela investigação em paralelo nas áreas que cultiva, química-fisica molecular e história da química. Uma navegação, por vezes, em mar alteroso, num ambiente universitário organizado à volta de Faculdades e Departamentos marcadamente especializados. Isto confere-lhe uma posição única no que diz respeito à história da ciência, pois as suas investigações tiveram impacto entre os seus pares em ambos os campos, mormente nos domínios da história da química.

Completou os seus estudos de liceu na área de Geografia, a que se seguiu o cursar com distinção o curso de Filosofia e Teologia no Instituto Superior Missionário do Espírito Santo na Torre da Aguilha em Carcavelos. Seguidamente voltou-se para a ciência, tendo concluido os estudos secundários para aceder ao curso da licenciatura em Química na Universidade de Coimbra, que completou em 1970. É contratado como assistente de química e inicia a sua investigação sob a orientação do Professor Fernando Pinto Coelho, em estudos de complexos de urânio por recurso à Ressonância Magnética Nuclear.

Após esta iniciação à investigação, prossegue a sua formação académica na Universidade de Southampton, Inglaterra, onde prepara o seu doutoramento (Ph. D.) sob a supervisão do Professsor Graham J. Hills em estudos de mudanças de fase por recurso a técnicas de Rayleigh–Brillouin de dispersão de luz. Com o seu regresso à Universidade de Coimbra, lecciona em campos tão variados como a Radioquímica e a História e Filosofia da Ciência, e prossegue as suas investigações nos domínios da espectroscopia vibracional e da história da ciência. Esta obra está focalizada precisamente no segundo destes domínios, sendo de destacar que foi um dos membro−fundador quer da Sociedade Portuguesa de História e Filosofia das Ciências quer do Núcleo de História da Química da Sociedade Portuguesa de Química.

Em reconhecimento das suas contribuições importantes na área, a tónica dos capítulos que amigos e colaboradores de António Amorim da Costa trazem a este livro vai desde facetas da história da ciência relacionados com a química e da sua pré-história, através da alquimia, a iatroquímica, o período do flogisto, a química pneumática e finalmente a história da química quântica e mecânica estatística em tempos mais próximos do nosso. Há uma ênfase muito particular nos aspectos históricos do desenvolvimento da química em Portugal e no Brasil.

No entanto a química não se desenvolveu de forma isolada, e as contribuições para este livro abordam áreas adjacentes, como a electricidade, a medicina, a óptica e a mineralogia. Além disso, a história não lida apenas com factos. Diz respeito também a pessoas, as mulheres e os homens que cultivaram estas disciplinas, como o Luso-Brasileiro do século XVIII, o engenheiro José Fernandes Pinto Alpoim, ou o químico português do século XIX Coimbra Professor da Universidade de Coimbra Thomé Rodrigues Sobral, e muitos mais. Desejamos que estes “pedaços” da história das ciências venham enriquecer a nossa compreensão e reconhecer as contribuições feitas por António Amorim da Costa para a área.

Sebastião Formosinho e Hugh Burrows

Prefácio

I. Amorim da Costa – O Historiador de Química - Décio Ruivo Martins
II. Uma História de Ciência - Raquel Gonçalves-Maia
III. Algumas considerações históricas e historiográficas sobre os documentos da hermética árabe medieval - Ana Maria Alfonso-Goldfarb
IV. Fermat e a polémica em torno da óptica - Augusto José dos Santos Fitas
V. O Engenheiro Setecentista Luso-Brasileiro José Fernandes Pinto Alpoim - Carlos A. L. Filgueiras e Teresa C. C. Piva
VI. As produções naturais no Brasil - Colônia e Brasil - Reino: a química na interface com a história natural, a medicina e a mineralogia - Márcia H.M. Ferraz
VII. Leprosy in Portuguese India: an Interaction between Public Health Policy and National Politics - António Manuel Nunes dos Santos, Christopher Damien Auretta
VIII. Dissolving Uncertainties in Water: electric fishes, Volta’s alarm bell, Humphry Davy, and a dynamical science - David Knight
IX. Aspects from the history of quantum chemistry - Kostas Gavroglu, Ana Simões
X- Farmácia e Saúde em Portugal no dealbar do século XIX - João Rui Pita, Ana Leonor Pereira

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.