terça-feira, 24 de maio de 2011

O crime com 5000 anos e a areia nas sandálias

Participação da arqueóloga Leonor Medeiros na Final do FameLab, que venceu. Em menos de três minutos, como a arqueologia pode ajudar a contar a história de um crime com 5000 anos e de uma ida à praia algumas horas atrás.

9 comentários:

  1. Cara senhora: "guardiãos" ou guardiães? E, já agora, diga-me lá: o homenzinho foi cobardemente atacado pelas costas ou ia simplesmente a fugir, virando a cara à luta?! Qual é a resposta... arqueológica, a partir das areias na engrenagem, digo, nas sandálias? JCN

    ResponderEliminar
  2. Parabéns jovem senhora.
    para o anónimo anterior, deixe de ser de Carcavelos.

    ResponderEliminar
  3. Muitos parabéns! Gostei da apresentação e do tema, já que arqueologia não é uma ciência assim tão badalada.

    Uma consulta ao dicionário permite ver rapidamente como escrever guardião no plural.

    http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=guardi%C3%B5es

    Mas isto é irrelevante.

    ResponderEliminar
  4. Bendita a ironia... quando ela, em prosa ou verso, estimula as mentes entorpecidas! Vossemecê disse Carcavelos... ou Cascavelhos, donde por sinal sou arqueologicamente oriundo? JCN

    ResponderEliminar
  5. Vossemecê, caro sr Cônsul F. Excelsior, parece que "entupiu"! JCN

    ResponderEliminar
  6. Arqueologicamente, pela posição das sandálias, também seria possível determinar para onde é que o "homem da neve" se dirigia?!... JCN

    ResponderEliminar
  7. Edigam lá que só os poetas... é que sonham! JCN

    ResponderEliminar
  8. Sabendo-se donde vinha
    o chamado "homemdo gelo", era uma boa adivinha, pela cor do seu cabelo, indagar a direcção
    que ele tinha na tenção! JCN

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.