domingo, 30 de janeiro de 2011

HOMEOPATIA É SÓ ÁGUA E AÇÚCAR

Informação recebida no De Rerum Natura:

Consumidores em Portugal vão tomar uma “overdose” de “medicamentos” homeopáticos em público

Ativistas de direitos do consumidor em Portugal anunciaram hoje a sua intenção de tomar uma “overdose” homeopática no próximo mês em parceria com um protesto global contra estes remédios alternativos.

Os manifestantes vão consumir dezenas de comprimidos homeopáticos na manhã de 5 de Fevereiro de 2011, às 10:23, no Jardim do Príncipe Real em Lisboa, com o objetivo de sensibilizar o público para a ineficácia dos “remédios” homeopáticos. Pretendemos também questionar a opção do Infarmed de permitir que estes produtos sejam classificados como medicamentos nas farmácias, o que os legitima aos olhos dos clientes.

Ver mais aqui.

111 comentários:

  1. Realmente, se não soubéssemos o que está por detrás disto até os levaríamos a sério.
    Ah, ah, ah, ah !!!

    O meu conselho é, IGNOREM.
    Essa não é a opinião dos portugueses é pura contaminação externa.
    É óbvio que nada irá acontecer às pessoas, até porque nenhuma das premissas da homeopatia irá estar em teste, a única coisa que farão é dissolver na boca lactose.
    Outra leitura que podem ter é o facto de vos estarem a roubar o futuro. Quem paga afinal estas palhaçadas destas, já repetidas pelo mundo?

    Não embarquem na caça às bruxas, leiam:
    http://josemariaalves.blogspot.com/2011/01/ciencia-na-homeopatia-o-mecanismo-de.html

    Sejam inteligentes!!!

    ResponderEliminar
  2. No entanto, a homeopatia resulta. E não é por efeito placebo, pois resulta em bebés e em animais.

    Este tipo de protestos hão-de ter interesses por detrás. Não sou médico homeopata, mas se o fosse, estaria contente, pois nada melhor que estas acções de cariz caceteiro a la Dawkins, para promoverem o bom-senso, pois quem assim procede só demonstra o seu espírito totalitário.

    ResponderEliminar
  3. Muito bom. Já é altura de estas fraudes serem proibidas.
    Não é só o efeito placebo que justifica os resultados da homeopatia, é também o facto de que o nosso corpo se cura a si próprio.
    A homeopatia é como uma Ecobola, não precisa fazer nada porque a máquina e a água já lavam a roupa desde que não esteja muito suja.
    A homeopatia não resulta em bebes, nem animais, nem em ninguénm.

    ResponderEliminar
  4. Sinceramente, esperava algo mais inteligente de quem se diz racional e usa o método científico.

    Isto faz-me lembrar a "queima dos soutiens" dos anos 60/70, e que custou, se bem me recordo, uma vida porque na queima dos ditos se libretou cianeto.

    Enfin, metodologias ...

    ResponderEliminar
  5. @ Primeiro Anónimo:

    1) Quem é que está por trás disto, diga lá. Dica: 1023.org.uk
    2) Contaminação externa? Ah, claro, foi um português que inventou a homeopatia, certo?
    3) Sim, iremos dissolver na boca lactose e sacarose, que são precisamente os ingredientes (os *únicos* ingredientes) dos produtos homeopáticos em comprimidos. Em frasco é água ou mistura de água com álcool. Não têm princípios activos, e não curam nem previnem absolutamente nada.
    4) Roubar o futuro? De que fala, anónimo? Que lhe dizem essas vozes na cabeça?
    5) Estas palhaçadas ninguém as paga, ou melhor, pago eu o meu pacote de oh-so-silly-coccinum, que bem caro me custou (9,95 Euros por 6 gramas de açúcar).
    6) Não é caça às bruxas; é informar e alertar as pessoas para o que a homeopatia verdadeiramente é: um placebo caro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AHAHAH santa ignorância!! Nas crianças e animais não existe o efeito placebo...Há anos que me trato a mim, à minha filha, família e amigos com Homeopatia. A Homeopatia prova a sua eficácia através da EVIDÊNCIA. E essa evidência é provada através de análises sanguíneas antes e depois do tratamento Homeopático.Não é necessário provar nada com testes e análises da treta aos remédios Homeopáticos. O senhor senão é Médico pertence à indústria farmacêutica, só pode.

      Eliminar
  6. @ Anónimo 2:

    1) Não, não resulta. Todos os testes rigorosos e as meta-análises feitas a esses testes demonstram que a homeopatia não passa de um placebo. Por outro lado, e para que não diga disparates, explico-lhe como é que um placebo pode funcionar em bebés ou animais: não é o bebé ou o animal que determina se a condição/doença está a melhorar, mas sim o adulto que o supervisiona.

    2) Adoro quando o senhor anónimo manda assim bitaites destes para o ar: "aposto que hão de ter interesses por detrás". Quer apresentar as suas provas, ou calar a boca?
    O interesse que está por detrás deste grupo de cidadãos, vários dos quais não se conheciam uns aos outros antes de se juntarem a esta acção, é informar a população para o facto desta suposta terapia não ser mais do que um elaborado (e caro) placebo.

    3) Se não é "médico" homeopata e ainda assim defende esta prática, há-de ter a amabilidade de explicar porque o faz. O homeopata, compreendo, tem que ganhar o pão, e quer continuar a fazê-lo enganando-se a ele próprio ou aos seus clientes.

    4) Informar não é ser totalitário, cavalheiro (e se não for cavalheiro mas sim senhora, não optasse pelo anonimato); não temos interesse em impedir as pessoas de comprarem este tipo de placebo. Temos é interesse - isso sim - em informar as pessoas, que pensam que estão a comprar uma coisa "natural" ou "de plantas" quando na realidade estão a comprar umas bolinhas de açúcar às quais foi adicionada uma gota de água que, na melhor das hipóteses, terá 0,000 000 0001% do princípio activo, mas na pior - e mais comum, nem uma só molécula.

    ResponderEliminar
  7. @Anónimo 3

    Esta fraude não deve ser, a meu ver, proibida. Se alguém, após ser informado dos factos, quiser continuar a gastar estupidamente o seu dinheiro e tempo, tem que ser livre de o fazer. Assim é, a vida em democracia. Acontece é que uma escolha só é livre se for informada; esse é o nosso objectivo, informar as pessoas.

    ResponderEliminar
  8. Real é a homeopatia científica. Ele cura, mesmo quando Convencional Medicina Alopática (CAM) falhar. Baseada em Evidências homeopatia moderna é um nano-medicina, trazendo grandes resultados para todos

    ResponderEliminar
  9. Oh Nancy, you follow us around everywhere. So cute!

    Wait, are you a robot? Oh, that would be sad, wouldn't it?

    ResponderEliminar
  10. sr Pedro
    que tal estudar mais um pouco sobre o que é a homeopatia,como actua e depois então pensar, apenas pensar em fazer este género de comentarios e manifestações.
    ninguem lhe tira o direito de preferencia nos quimicos farmaceuticos, mas deixe que as outras pessoas tenham tambem opção de escolha.

    ResponderEliminar
  11. sr Anónimo,

    Que tal ter a coragem de dizer o seu nome, para começar?

    Segundo, e já que estudou tanto homeopatia, como se deduz do seu comentário, ilumine-nos com os estudos científicos, aleatórios e 'double blind' que demonstram eficácia na homeopatia para lá do efeito placebo, se faz favor.

    Por fim, e caso ainda não tenha ficado explícito, aqui não está ninguém a impedir ninguém de usar homeopatia; simplesmente queremos informar as pessoas para o que aquilo é, algo que pelos vistos lhe faz espécie.

    Ah, e por falar em 'medicamentos químicos' (como se existisse alguma coisa no universo que não fosse químico), boa sorte para quando tiver uma doença que não desapareça naturalmente, ou não passe com o efeito placebo. Imagino que não os vai usar, não é?

    ResponderEliminar
  12. AMENA
    amena13@gmail.com
    www.amena.tcpnsa.com


    A AMENA propõe o seguinte para este "TESTE".

    1 - Que os manifestantes tomem sob controlo associativo das TNC, ou seja dispensamos nós (as Associações) o remédio em gotas D4 de Ignatia, e sob nosso controlo tomaram 25 gotas em meio copo de água.

    2 - Que este consumo será pago pela "ORGANIZAÇÃO" que "controla" esta acção.

    3 - Que os manifestantes expressamente assinem uma declaração individual de concordância em como não responsabilizarão ninguém das consequências psíquicas posteriores.

    4 - Que os manifestantes sejam portadores de Camphora D4, para o caso de pretenderem reverter os efeitos.

    5 - Que caso os manifestantes recusem esta nossa proposta, revelem de que LABORATÓRIO é o pseudo produto homeopático que vão utilizar, pois podem de facto estar a tomar "glóbulos", sem principio activo algum.

    Att.
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  13. Temos de reconhecer que proibir é uma atitude inteligente...

    ResponderEliminar
  14. Seja inteligente e leia isto, ao menos, assim evita fazer má figura.

    http://josemariaalves.blogspot.com/2011/01/ciencia-na-homeopatia-o-mecanismo-de.html

    ResponderEliminar
  15. Não encontro nenhuma ciência nesse insistente link do josemariaalves, só ataques aos cépticos da homeopatia e outras divagações que não levam a lado nenhum. "Ciência" deve ter outro significado no reino da homeopatia.

    ResponderEliminar
  16. O anónimo que remete para o josemariaalves.blogspot.com está a gozar com o pessoal? Aquele blog têm um centésimo da qualidade do http://www.venganza.org/ e só lhe falta um anúncio a dizer "aqui vende-se a Santa Banha da Cobra", pelo amor de Deus!

    Miguel Teixeira

    ResponderEliminar
  17. Vamos lá então:

    Anónimo que na realidade é um tal José Maria Alves (ou amigo deste):
    o seu post, que já tinha lido antes, está cheio de absurdos científicos. Lamento dizê-lo, mas as justificações que dá nesse seu post pertence ao mundo da fantasia, não da realidade.


    Fernando Neves:
    Eu vou tomar Osccilococcinum, o produto homeopático mais famoso do mercado, feito pelo maior laboratório homeopático do mundo, a Boiron. Comprei-o eu, com o meu dinheiro, que me saiu da força do meu trabalho.
    A maioria dos activistas vão tomar este ou outros produtos homeopáticos à venda em farmácias.
    Como pode imaginar, não vamos simplesmente aceitar que venham uns proponentes da homeopatia, isto é, gente que tem dinheiro investido no tema, oferecer-nos sabe-se lá o quê para tomarmos. A ideia é usarmos algo que qualquer pessoa possa comprar numa farmácia, não uma poção caseira de origem duvidosa.
    Além disso, e a acreditar na diluição que aponta, D4, estamos a falar de uma gota em 10 000, isto é, uma diluição bastante fraca. Porque não sugerir algo mais potente, como uma C6 ou C30?

    Que tal se, em vez de vir com propostas dessas, não aproveita para mostrar provas inequívocas de que a homeopatia funciona?

    ResponderEliminar
  18. Prezado Pedro Homero

    Porque está tão chateado com o uso da Homeopatia em Portugal? e diz que é água e açúcar? de que maneira isso o afecta? será que é dono de um laboratório farmacêutico? ou é um médico que já não tem tantos utentes na sua clínica? ou já se tratou com Homeopatia e o tratamento não funcionou? porquê tais ataques??? isso foi mesmo pessoal!!!
    Felizmente vivemos numa democracia e as pessoas são livres de escolherem o que quiserem, mesmo que seja só água e açúcar!!

    O que importa são os resultados clínicos obtidos na clínica. se quiser e com a autorização de alguns pacientes poderá ver que a Homeopatia equilibra algumas doenças! é só marcarmos; tudo comprovado com TAC, ecografias e análises clínicas.

    IDENTIFICADO:

    João Novaes
    Presidente da Associação Portuguesa de Homeopatia

    ResponderEliminar
  19. Aqui anónimo 2: A homeopatia não só resulta em animais e em bebés como resulta em pessoas, e particularmente em mim. Consequentemente, estou-me nas tintas para as vossas fantochadas estilo Maio de 68 e queimas de soutiens. Vocês, órfãos do comunismo, têm sempre que escoar o ódio em que marinam, por qualquer lado. Ou é a religião, ou é a homeopatia, ou é qualquer outra coisa que não agrade à vossa veia de meninos mimados que cresceram adornados por diplomas académicos e se acham credores de mesuras, e batem o pezinho quando são contrariados. Divirto-me bastante a ver-vos estrebuchar aos gritos de "devia ser proibido!". Têm que engolir esse totalitarismo bafiento de esquerda caviar. Estão em contra-ciclo, estão irremediavelmente ultrapasados.

    ResponderEliminar
  20. (parte 1 da resposta ao Sr. João Novaes)

    Estimado João Novaes:
    Folgo em saber que se identifica. Não há que ter medo de dizer publicamente o que pensamos - é uma das vantagens da democracia.

    Infelizmente, o João Novaes não terá lido os comentários que fiz antes, e não terá lido o nosso site, cujo link está disponível neste post, que o De Rerum Natura (ao qual não pertenço) teve a amabilidade de partilhar. Se o tivesse feito, veria várias das suas perguntas já respondidas. Seja como for, e porque a ignorância é um mal fácil de combater (com informação) aqui vão as respostas às suas perguntas:

    a) Não estou chateado com o uso da Homeopatia em Portugal; estou preocupado. A sua (visto que é presidente da APH) pseudo-ciência e pseudo-medicina não funciona para lá do efeito placebo e é recomendada por técnicos farmacêuticos; é vendida como se de medicamento se tratasse; é um perigo para a saúde pública, pois ao ser legitimada pelo Infarmed e pelas farmácias faz parecer que funciona, e se hoje leva uma pessoa a usá-la para "curar" uma constipação (que desapareceria, dias depois, independentemente do que tomasse) amanhã pode levar essa pessoa a achar - porque isto acontece, porque existem homeopatas que o fazem, e já foram apanhados a fazê-lo, repetidas vezes (ver nota 1 no final) - que pode confiar na homeopatia para prevenir malária ou curar cancros. É por estas coisas que me preocupa, percebe, não me chateia.

    b) Sim, dizemos que é água e açúcar. Claro que isto é um slogan; na verdade, pode ser água, sacarose, lactose, estereato de magnésio ou álcool. Só excipientes. Os próprios homeopatas admitem que não conseguem distinguir entre um comprimido de açúcar e um comprimido homeopático, que é um comprimido de açúcar que levou uma gota de uma água tão diluída que há muito deixou de ter o que quer que fosse do dito-e-nunca-provado-que-funcionasse-para-o-que-dizem-que-funciona ingrediente activo.
    A vossa pseudo-medicina, se não fosse perigosa por afastar as pessoas das modalidades 'a sério', que de facto salvam milhões de pessoas, seria engraçada, uma curiosidade pré-científica. Infelizmente, não o é, é um perigo real.

    c) Afecta-me porque sou um cidadão que preza a verdade dos factos, o rigor na saúde pública e a disseminação de informação. Afecta-me porque não posso ficar parado a ver uma pseudo-medicina a ser responsável pela morte de crianças às mãos de pais homeopatas (ver nota 2 no final) e a ver homeopatas a recomendar os vossos produtos para a prevenção da malária, uma doença gravíssima, responsável por um número incontável de mortes todos os anos (ver nota 3 no final).

    d) Ah, o velho argumento do "dono do laboratório farmacêutico"! João Novaes, deve estar a brincar comigo - as farmacêuticas estão todas malucas a quererem colocar produtos homeopáticos no mercado! São precisamente elas as principais responsáveis pelo acréscimo de legitimidade (infundada) da sua pseudo-medicina na actualidade! Eu compreendo-as: afinal de contas, podem colocar no mercado umas pastilhas de açúcar ou uns frascos com água, sem terem que passar pelo longo e dispendioso processo de confirmação de segurança e eficácia pelo qual os medicamentos de verdade passam. É lucro puro!

    e) Também não sou médico, mas deixe-me que lhe diga que existem alguns médicos sem escrúpulos que, para lá da sua actividade normal, arranjam biscates como a homeopatia para ganhar dinheiro dos incautos. É muito triste.

    ResponderEliminar
  21. (parte 2 da resposta ao Sr. João Novaes)

    f) Vamos tentar fazer com que o João Novaes compreenda uma coisa: se eu tivesse tentado 'curar-me' com produtos homeopáticos, o aparente sucesso ou falhanço não seriam indicadores fiáveis da validade da homeopatia. É isto que os homeopatas não percebem ou não querem perceber. A experiência pessoal não serve de muito, pois podem existir imensos factores na equação responsáveis pelo resultado final. Aquilo de que padecemos pode desaparecer naturalmente, ou pode ir e vir - e quando vai damos crédito à última coisa que testamos, ou podemos acreditar tanto que aquilo que estamos a tomar vai funcionar que o efeito placebo entra em acção e curamo-nos a nós próprios (se a doença for leve o suficiente), etc, etc.

    g) Porquê tantos pontos de interrogação e exclamação no seu comentário? Está exaltado? Acalme-se, homem.

    h) Em relação à liberdade de escolha, e tendo em conta que parece ser a primeira vez que está a comentar, vou repetir pela 3ª vez, porque de facto deve ser complicado para si ler o que escrevi nos comentários anteriores: ninguém está a querer impedir que a homeopatia exista. Qualquer pessoa é livre de gastar dinheiro nessa patranha, e ainda bem que assim é, pois é assim que funciona a democracia. Simplesmente, que o faça sendo informado previamente que lá dentro não existe - na maioria dos produtos homeopáticos - uma dose mensurável ou até uma só molécula - do princípio activo, que diga-se de passagem não está provado que sirva para curar isto ou aquilo.

    Aliás, eu até acho que devia ser mais regulada, devia ser testada a sua eficácia, produto a produto, e todos aqueles que demonstrassem, em testes aleatórios, controlados e 'double blind', que funcionam para lá do efeito placebo, deviam poder ser vendidos nas farmácias. Todos os que falhassem, não.
    Que lhe parece, João Novaes? Tem medo desse cenário? Sabe bem que se os seus produtos tivessem que ser regulados como os medicamentos a sério nem um só chegava às prateleiras das farmácias, ou poderia ser vendido no seu consultório, não é?

    ResponderEliminar
  22. (parte 3 da resposta ao Sr. João Novaes)

    Diz no final que "o que importa são os resultados clínicos".
    Vou dar-lhe o benefício da dúvida, e vou assumir que está a ser ingénuo, no seu comentário, isto é, vou assumir que acredita de facto que a opinião de um paciente (sinto-me melhor; isto funcionou) é o meio adequado para verificar a eficácia de um procedimento ou produto, e não vou acreditar que sabe que não é assim e quer ver se me engana.
    Tendo em conta esta hipótese, permita-me elucida-lo:

    A percepção que um paciente (ou 10, ou 100, ou 1000) tem do efeito (positivo ou negativo) de uma determinada modalidade ou produto não serve como barómetro da eficácia dessa modalidade ou produto. Sabe porquê? Vou-lhe explicar:
    Já fizeram testes nos quais, a partir de dois grupos aleatórios de pessoas, deram a uns 2 comprimidos por dia, e a outros 4 comprimidos por dia, tudo para o mesmo quadro clínico. O grupo que tomou 4 comprimidos teve uma maior percentagem de sucesso, em comparação com o de 2 comprimidos, que no entanto também teve uma boa percentagem de pessoas a reportar sucesso.
    Acontece é que ambos receberam apenas comprimidos de açúcar, sem nada mais lá dentro. A percepção das pessoas acerca da eficácia do "tratamento" que estavam a receber dá-nos pistas sobre o efeito placebo em acção, e demonstra que, mesmo dando algo que não faz nada, a um paciente, ele pode reportar melhorias.
    Também fizeram um teste semelhante, mas neste deram 1 comprimido a um grupo e uma injecção salina a outro. O que levou a injecção teve uma taxa de "sucesso" muito mais elevada que o outro. Novamente, nenhum dos dois recebeu uma molécula que fosse de ingrediente activo, mas em ambos os grupos houve melhorias, e naquele que recebeu o tratamento mais "dramático" a taxa de sucesso foi ainda maior.
    Está a ver? É com testes deste género que se pode descobrir se isto ou aquilo é eficaz, não com a opinião dos pacientes. Além disso, os TAC, análises clínicas e ecografias que menciona demonstram apenas que uma determinada condição ou a sua sintomatologia desapareceu, não dizem porque é que desapareceu. Se calhar foi pelos produtos que lhes receitou, ou se calhar foi porque estiveram uma hora no seu consultório, diante de uma pessoa que os ouviu, que lhes fez perguntas sobre muita coisa não directamente relacionada com o problema de que padecem, enfim, uma pessoa que se parece importar com elas. Isto - novamente, já testado cientificamente - está provado que é mais de meio caminho andado para a pessoa *reportar* que se sente melhor.

    ResponderEliminar
  23. (parte 4 da resposta ao Sr. João Novaes)

    Como poderíamos então descobrir se a homeopatia funciona? Muito fácil (e já foi feito, várias vezes):

    Pega-se num grupo de x pessoas, 100, digamos, que padecem de um determinado problema médico. Aleatoriamente, dividem-se essas pessoas em dois grupos. Porquê aleatoriamente? Para minimizar as hipóteses de que um grupo seja mais velho, mais feminino, mais alto, ou mais o que quer que seja que o outro.
    Depois, cada um dos elementos dos dois grupos passa por esta situação:
    O paciente vai a uma consulta com um homeopata. Está lá o tempo que o homeopata achar necessário e a consulta decorre normalmente. No final, o homeopata prescreve ao paciente uma receita personalizada, baseada no que descobriu/determinou nessa consulta. O paciente sai e vai a uma farmácia previamente definida para aviar a sua receita.
    Entra na farmácia, entrega a receita ao farmacêutico e este entrega-a a outra pessoa, lá dentro.
    Até aqui, o processo é igual para toda a gente, de um grupo e de outro.
    A partir de agora começa a ficar diferente: a pessoa que está no interior da farmácia olha para uma lista à qual nem o farmacêutico que atende, nem o paciente, nem o homeopata, nem o técnico de estatística que no final vai analisar os resultados tem acesso. Só esta pessoa é que tem acesso a esta lista. Porquê? Para evitar deturpar os resultados. Continuemos: esta pessoa verifica na lista se o paciente cujo nome está na receita está no grupo A ou B, e conforme o caso, leva ao farmacêutico que está lá fora um produto homeopático ou um produto em tudo igual ao homeopático (tanto que não dá para distinguir pelo rótulo, frasco, etc.), mas sem o ser, isto é, apenas bolinhas de açúcar.

    O paciente segue as indicações do homeopata, toma o produto às horas e dias que lhe foi receitado, e depois reporta as suas conclusões.

    Que se veio a descobrir, nestes testes? Que um número estatisticamente similar de pessoas *em ambos os grupos* reportaram melhoras. Isto é, e para ficar claro, muita gente, em ambos os grupos, melhoraram, independentemente de tomar comprimidos de açúcar ou comprimidos... de açúcar com uma gota de água que há muitas diluições atrás teve uma gota de algo que estava ali porque alguém, há 200 anos, achou que "igual cura igual", desde que ultra-diluído e abanado intensamente.

    Percebe agora, João Novaes, porque é que as opiniões dos seus clientes não servem como prova para determinar a eficácia dos seus produtos? Percebe porque é que, após incontáveis testes aleatórios, controlados e 'double blind', nos quais quão mais rigoroso é o processo pelo qual são efectuados menos se nota um efeito positivo na homeopatia, ao ponto de não existir se o teste for bem feito, se pode chegar facilmente à conclusão (provisória, pois assim é a ciência) de que a homeopatia não funciona?

    Se vocês querem credibilidade, então testem os vossos produtos da mesma maneira que os medicamentos a sério são testados. Ah, espere, já foi feito! Resultado? Não funcionam para lá do efeito placebo. (ver nota 4 no final)

    ResponderEliminar
  24. (parte 5 e final da resposta ao sr. João Novaes)


    Notas:
    1) http://www.youtube.com/watch?v=kFKojcTknbU

    2) http://www.smh.com.au/national/parents-guilty-of-manslaughter-over-daughters-eczema-death-20090605-bxvx.html

    3) http://news.bbc.co.uk/2/hi/programmes/newsnight/5178122.stm e http://www.bbc.co.uk/pressoffice/pressreleases/stories/2008/04_april/11/homeopathic.shtml e http://news.bbc.co.uk/2/hi/programmes/newsnight/9341713.stm

    4) http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20402610

    ResponderEliminar
  25. Estimado Anónimo 2:

    Adoro como inventa características das pessoas que são críticas da homeopatia, e como projeta os seus medos sobre o tema. Muito interessante.
    Por favor, não minta: ninguém está a dizer "devia ser proibido".
    Por falar em esquerda caviar, já que menciona o facto, sabia que o Bloco de Esquerda apoia a homeopatia? Pois é....
    ver http://igualdade.bloco.org/index.php?option=com_content&task=view&id=48&Itemid=1&limit=1&limitstart=5

    ResponderEliminar
  26. Pedro Homero,

    Só posso entender que a sua ciência é fraca ou limitada ao que é ensinado nos programas universitários, tenha paciência.

    Rui Augusto (autor do artigo insistente)

    PS - podia ir mais longe nas minhas explicações mas se a sua ciência nem ali vê nada, esqueça. Eis o que o séc. XX nos trouxe:

    - Especialistas Sem Inteligência, nas palavras de Max Weber.
    - Intelectuais "... é alguém que recebeu educação para lá da sua inteligência" (Arthur C. Clarke, 3001 - Odisseia Final).

    ResponderEliminar
  27. ao último anónimo:

    identifique-se, nem que seja com um nome fictício, se quer receber resposta.
    Não sabe ler as regras dos comentários neste blog?

    ResponderEliminar
  28. Prezado Pedro Homero,

    Ainda não entendo qual o seu interesse em dizer que a Homeopatia não funciona? não entendo o seu ataque à Homeopatia! que mal lhe fez a Homeopatia???? não entendo! lol

    Fico feliz que nós homeopatas não andamos a criticar nem a desprezar os outros técnicos de saúde, porque cada um tem a sua área de actuação e a sua eficácia....

    Nos países de 1º mundo (com mentalidade aberta, educação, Justiça e saúde) a Homeopatia faz parte do SNS.

    E é certo que o afundamento deste país não é só culpa dos políticos, mas de uma mediocridade de pensamento de alguns intelectuais e doutorados que sabem tudo, e quem pensa que sabe tudo acaba afundado; e assim vemos o nosso querido país a ser engolido pelas ex colónias que não tendo a mania que sabem tudo estão-nos a ultrapassar!

    Mas cada um debruça-se e critica o que quer na vida... há quem tenha tempo para o fazer e há quem não tenha e a vida segue o seu rumo...

    Como homeopata especialista que sou o que interessa são os resultados da clínica, pois se não os tivesse estaria no desemprego e não teria utentes;

    Os estudos que você frisa não são compatíveis com a eficácia da Homeopatia, sabe porquê? Ex: Existem mais de 50 remédios para a amigdalite, agora tudo depende do MIASMA, das modalidades de agravação, do tipo de exsudado, etc, etc... o processo de estudo teria que ser mudado!

    Cunprimentos

    Continue a criticar a Homeopatia, pois já que neste país só se fala em crise, o seu assunto deixa-me feliz porque afinal a Homeopatia é importante, ora se não fosse você e outras pessoas não a criticavam!!!

    hoje dia 1 de Fevereiro, graças a você e a muitas pessoas que criticam a Homeopatia, vamos ter outros assuntos quando formos jantar fora, porque já estava farto de ouvir a crise, mais uma vez obrigado Pedro Homero por fazer a nossa vida mais feliz com comentários e palavras tão pomposas.

    Continue porque assim passamos melhor o tempo a ouvir outras opiniões sem serem da crise.

    Presidente da APH
    João Novaes

    ResponderEliminar
  29. De facto, os comentários de "devia ser proibido" são bem característicos de uma certa forma de ver as coisas. Os donos da verdade, sempre, odiando o que desconhecem. Eu dou-me bem com a Medicina Homeopática, e os vossos folclores, fanatismos e má educação palmiresca, não me aquentam nem me arrefentam. Pela vossa ordem de ideias nenhuma Medicina funciona, é tudo manipulação do observador. Mas que há 15 anos que não vou à cama, tenho saúde de ferro e sou um desportista com bons resultados, isso não me tiram, por muito que esperneiem. E devo-o à medicina natural e Homeopática.

    PS - O meu médico tem as três especialidades: alopática, homeopática e natural.

    Embrulhem :)

    Fernando Seixas

    ResponderEliminar
  30. Rir é o melhor remédio. A Homeopatia faz rir portanto cura. Um pequeno resumo para quem não se deu ao trabalho de ler tudo.


    Comentário anterior de anónimo:

    "órfãos do comunismo"
    "escoar o ódio em que marinam"
    "meninos mimados"
    "estrebuchar aos gritos"
    "totalitarismo bafiento de esquerda caviar"


    http://josemariaalves.blogspot.com/2011/01/ciencia-na-homeopatia-o-mecanismo-de.html

    "PENSAMENTO"

    "Findo o ano de 2010, cheira-se o ambiente malévolo da conjuntura..."

    "É a história da nossa escravidão, é hora de acordar, identificar a jaula que nos mantém cativos, o Futuro grita por nós."


    “PREFACIANDO”

    “...cépticos que têm prestado um serviço lastimoso à humanidade..”

    "...inquisição medieval..."

    "...matraquearem uma verborreia enfadonha e cronicamente dependente de uma lógica decadente..."


    “O MECANISMO DE ACÇÃO”

    "Recordo aos intelectuais mais desatentos que o nosso trabalho como homeopatas é recuperar a saúde dos pacientes, não somos bioquímicos, químicos, biólogos, nem físicos, não temos laboratórios nem um enquadramento profissional ou de vida que permita fazer investigação científica convencional."

    "Um remédio homeopático é assim um pequeno transmissor de frequências auto-replicáveis, geradoras de uma assinatura electromagnética particular..."

    "Hidrato de clatrato ou hidrato de gás são polímeros cristalóides, como nano-esferas que emitem radiação electromagnética convertida a partir da radiação natural de fundo, a selecção de frequências é efectuada de acordo com a substância que está a ser homeopatizada..."

    "A diluição e a sucussão cria nano-estruturas polimórficas análogas a hidratos de clatrato, caixas cristalinas que se assemelham a gelo, onde uma pequena molécula gasosa da tintura original é aprisionada para formar o que agora se denomina Nano-bolha."


    E não há tempo para mais que tenho de ir acabar de marinar em ódio, porque o Futuro grita também por mim.

    ResponderEliminar
  31. Obrigado ao Pedro Homero pela análise detalhada e os diversos links.
    O caso da condenação de uns pais na Austrália pela morte da filha por insistência no tratamento exclusivo com homeopatia é particularmente chocante.

    Se calhar é como dizem num dos comentários mais votados num video do YouTube que referiu, que a Homeopatia devia ser classificada como uma religião porque a maior para dos seus seguidores não são sensíveis às evidências.

    Pedro Santos

    ResponderEliminar
  32. Fico com a sensação que a referência a "Miasmas" por parte do sr. Novaes é suficiente para contextualizar a sua posição. E divirto-me sobremaneira!

    ResponderEliminar
  33. Se calhar há um pormenor que ainda não ficou explícito, e deveria. Aqui vai:

    Gostaria muito - e imagino que os restantes cidadãos que vão tomar parte na campanha também gostariam - que a homeopatia fosse verdadeira, isto é, que de facto funcionasse, curasse pessoas e animais, assim tal como é, sem efeitos secundários nem problemas de maior.
    Quem poderia estar contra isso? Um sistema médico baseado em medicamentos que não têm efeitos secundários; que podem ser tomados por todos, bebés, crianças, adultos, idosos, grávidas, convalescentes. Quem poderia, no seu juízo perfeito, estar contra isso?

    Pois é, acontece é que gosto de viver no mundo real, não num mundo de fantasia; gosto de saber, com rigor, o que funciona e o que não funciona, o que cura ou previne ao invés do que parece ter efeito e não tem.

    A homeopatia é uma bonita quimera, e, aquando da sua invenção, bem melhor do que as sangrias e restantes aberrações que caracterizavam a medicina pré-científica daquela época.
    No entanto, e ao contrário da homeopatia, que pouco ou nada mudou desde que foi inventada, e ainda assim só inventou coisas novas quando a isso foi obrigada (como quando se descobriu a partir de que diluição já não há nada do que se diluiu, o que os levou a inventar a ideia da memória da água, algo tão absurdo como não-provado), a medicina, filha da ciência, foi aprendendo com os seus erros, foi-se aperfeiçoando: deitou fora aquilo que não servia, criou novas técnicas e medicamentos, descobriu muita coisa, testou tudo e mais um par de botas, e incorporou o que vinha de trás e tinha razão de ser. Tem os seus defeitos, claro, e os seus problemas, mas assenta no método científico, a ferramenta mais importante para o ser humano desde a invenção da roda; com ele, podemos de facto descobrir o que é verdade; podemos impedir que os nossos desejos, preconceitos ou palpites deturpem a nossa investigação.

    Se gostava que a homeopatia fosse verdadeira? Gostava, mas prefiro viver no mundo real.

    ResponderEliminar
  34. Ó Pedro Homero, lá por v. não perceber de homeopatia, tal não significa que ela não preste. O que vocês dizem da homeopatia, dizem por exemplo da acupunctura, da medicina chinesa, da medicina natural, e no entanto resultam! Resultam em todos os países, mas em Portugal, os senhores teimam que não, e o vosso lobby vai abichando uns monopólios.

    Custa-me dizer-vos mas é verdade: não é por vocês não perceberem, ou não aprovarem uma coisa, que esta deixa de ter valor. O Dr. Pedro Choy, por exemplo, já foi insultado na TV por gente da vossa igualha, e no entanto, vale mais sozinho que vocês todos juntos.

    Quem melhor julga é o doente. E quem está aflito e já correu os donos da verdade todos, acaba por ir ao nédico homeopata e dá-se bem. E contra isso... ba-ta-tas! :-)

    O Dr. Bach, o dos florais, também pensavam que tinha enlouquecido, e afinal, parece que há quem se dê bem. Se V. gostava que a homeopatia não fosse verdadeira? Gostava, mas tem que viver no mundo real.

    O Paciente Português

    ResponderEliminar
  35. Perdoem a minha ignorância mas a homeopatia não se enquadra na definição de acto médico por pessoa não qualificada e as suas alegações na de publicidade enganosa?
    Acho que proibido já é, mas, como em tantas outras coisas, a lei não é aplicada. A lei e/ou a sua aplicação precisam de mudar.

    ResponderEliminar
  36. O "paciente português" está a ir um pouco além do tema do post, isto é, a homeopatia, quando começa a falar de outras pseudo-medicinas, mas a verdade é que é muito curioso ver que as defende a todas. Porque é curioso? Porque não podem estar todas certas! Senão vejamos:

    A acupunctura acredita que existe uma energia vital chamada Chi (ou Qi) que corre no corpo humano através de uns canais chamados 'meridianos'. Nunca conseguiram demonstrar a existência nem dessa energia nem desses canais, cuja crença vem dos tempos em que, na China, era proibido fazer autópsias, e por isso não se conhecia o interior do corpo humano.

    A homeopatia, já vimos o que é; igual cura igual, há que diluir e diluir e diluir (e diluir) e há que abanar cada diluição vigorosamente.

    As florais de Bach também têm uma diluição, neste caso de flores, mas sem o abanar violento. E sem o igual cura igual.

    Pelo menos duas das três modalidades anteriores têm que estar erradas; se o chi e os meridianos existem, então as florais de bach e a homeopatia não podem estar correctas. Se a homeopatia está correcta, espetar agulhas em canais imaginários é inútil, e diluir flores (que não são igual cura igual) sem as abanar violentamente não pode estar correcto. Se diluir flores - enfim, dá para perceber, não é?

    Há mais exemplos: se a Iridologia está correcta (análise de doenças através da leitura de manchas nos olhos do paciente), então a Reflexologia (análise dos pés do paciente para descobrir problemas de saúde) tem que estar incorrecta. Pelo menos uma das duas não é real.

    Se a terapia da urina ( http://www.skepdic.com/urine.html ), que diz que devemos beber a nossa própria urina para nos curarmos, estiver certa, então as terapias de desintoxicação ( http://www.skepdic.com/detox.html ), que acham que o nosso corpo precisa de expulsar ainda mais do que já expulsa, estão erradas. Não podem estar as duas certas; é como dizer que um carro é um orangotango ao mesmo tempo.

    A questão está no facto de nenhum, *nenhum* praticante ou defensor de uma pseudo-medicina vir a público dizer "essa modalidade [outra que não a que pratica] não funciona nem pode funcionar, pois vai contra aquilo que verdadeiramente descreve as doenças e a maneira de as combater, isto é, a minha modalidade".

    Porque será? Suspeito que a razão seja bastante simples: se é inimigo do meu inimigo, então é meu amigo. Um praticante de pseudo-medicina, seja que modalidade for, é acima de tudo anti-medicina, e anti-ciência. Não tem interesse pelo rigor, pela veracidade dos factos, ou sequer curiosidade científica. Tem uma missão quasi-religiosa e nada o fará demover da sua ideia.

    Não é para estas pessoas que a nossa campanha está direccionada, pois estas pessoas são incapazes de mudar de ideias.

    ResponderEliminar
  37. Ilustre Pedro Homero.
    Parece que sabe mais do que quer aparentar.
    Sobre o que vão "tomar" parece-me lógico, pois o produto estará indicado para sintomatologia gripal e similar.
    Sendo um complexo homeopático, só vos trará benefícios, mesmo para os que não estão engripados pois ao actuar em situação de "semelhante" estimulará o sistema imunitário de forma que só podem sentir melhoras.
    Nada tenho contra a "química" nem contra a "ciência".
    Penso que concordamos por majoradas razões, que a Homeopatia NÃO DEVE SER VENDIDA EM FARMÁCIAS, não pelo que aponta, mas sim pelo simples facto que a "Farmácia" não tem Técnicos habilitados no contexto da Homeopatia, ainda que alguns Farmacêuticos tenham "estudado" Homeopatia.
    Até aqui estamos de acordo.
    Tem razão quando afirma que somos algo pseudo....
    É facto que sim, mas deverá entender que a Ciência caminha sempre atrás da Sabedoria.
    Assim é desde que o Hominídeo se diferenciou.
    Por isso valorizamos tanto a linha Pro-Phetica em detrimento da linha Por-Gnose.
    Até aqui deverá haver liberdade de escolha.
    Respeito a sua, mas NEM tudo será possível à Ciência explicar neste momento, relativamente à Homeopatia e restantes 6 Terapêuticas, que em Portugal estão sob forma de Lei (45/2003).
    Estamos expectantes quanto à Regulamentação destas Terapêuticas, pois será então possível definir então os "famosos critérios" tão do agrado da metodologia Cientifica.
    Estamos prontos.
    Só uma ligeira correcção - A Homeopatia, não actua pelo "igual" pois isso é a técnica da "Vacina" o que em nada contradiz a Homeopatia, pois se há "matéria morta" nas vacinas, e mesmo assim o organismo "reconhece" o factor agressivo, então em que ficamos?
    Até breve a agradecido aos "donos" deste espaço @ por nos permitirem este diálogo
    Att,
    Fernando Neves
    PS- já agora ponha no motor de busca o ignatia e veja que é uma planta.

    ResponderEliminar
  38. (parte 1 da resposta a Fernando Neves)

    Estimado Fernando Neves:
    Antes de mais, agradeço-lhe o tom cordial e respeitoso com que interage nesta conversa; infelizmente, não parece ser a tónica mais comum neste post.

    Infelizmente, não compreendo o que diz quando escreve "parece que sabe mais do que aparenta". A que se refere?

    Há-de ter a amabilidade de explicar-me como é que um produto, o osccilococcinum, pode trazer benefícios para sintomatologia gripal e similar. Aliás, pode até tentar provar que assim é - 1 milhão de dólares estão à sua espera em www.randi.org , se o conseguir fazer sem margem para dúvidas.
    Se calhar, e antes disso, é melhor contextualizar a coisa:

    A palavra osccilococcinum foi inventada por um médico francês em 1925; ao analisar o sangue de vítimas da Gripe Espanhola, ter observado uma bactéria oscilante, à qual chamou de Oscillococcus.
    Acreditou que esta bactéria era responsável por doenças como reumatismo, eczema, tuberculose, sarampo e cancro. A investigação médica nos anos seguintes veio demonstrar as causas reais de cada uma destas doenças, e não têm nada a ver com esta suposta bactéria.

    Procurou a bactéria em animais mortos, e afirmou que a achou no fígado de um pato. Hoje em dia, a Boiron faz este produto a partir da diluição 200C de fígado e coração de pato, isto é, muito para lá do ponto a partir do qual já não existe uma só molécula de pato.

    Portanto, e recapitulando, temos uma bactéria que um médico diz que viu, mas que nunca mais ninguém pôs a vista em cima, supostamente presente em fígado de pato, e que supostamente vai curar/minorar os sintomas de gripe. Certo.

    A página da wikipédia sobre este produto é bastante esclarecedora. Sugiro a sua leitura - http://en.wikipedia.org/wiki/Oscillococcinum

    Explique-me, por outro lado, estimado Fernando, porque é que é preciso ser um técnico habilitado em homeopatia para vender isso? Aquilo traz um folheto, que o farmacêutico pode ler e portanto ficar a saber para que serve - alegadamente. Aquilo é vendido a pessoas que vêm de uma consulta com um homeopata e lhes recomenda aquilo. É chegar e comprar. Ou acha que não deviam ser vendidos sem "receita homeopática", passada por um homeopata licenciado?
    É que das duas uma, ou aquilo é eficaz e seguro e qualquer pessoa pode tomar e comprar livremente, ou então se só deve ser usado com ordem de um homeopata, deve ser vendido exclusivamente com receita. Em que ficamos?

    ResponderEliminar
  39. (parte 2 da resposta a Fernando Neves)

    Depois, quando começa a usar termo como Pro-Phetica (!?) e Por-Gnose (!?) começa a ser críptico, e a entrar por caminhos que não sei onde levam. Talvez queira explicar-se melhor.

    Quando diz "nem tudo é possível à Ciência explicar neste momento" está a dizer uma verdade; é um facto que ainda existem lacunas no nosso conhecimento do Universo e de tudo o que nele habita. Uma coisa muito diferente, no entanto, é acrescentar "e por isso a homeopatia funciona".

    A homeopatia ou funciona no mundo real ou não; não interessa se a sua base teórica é absurda ou plausível, idiota ou erudita. Se funciona, para lá do efeito placebo, então funciona e pronto. Acontece é que todos os estudos rigorosos feitos até à data apontam para a realidade tal como a conhecemos: não passa de um placebo.

    Além disso, não são os detractores da homeopatia que têm que provar que ela não funciona; os seus defensores é que têm que provar que é eficaz. E têm que o fazer com testes rigorosos, aleatórios, 'double blind', com muitos pacientes, e repetidos em várias partes do mundo, como acontece no resto da ciência. Se querem brincar a este jogo, têm que cumprir as regras. Se querem estar no Serviço Nacional de Saúde, provem que funciona. Se querem comparticipação, provem que não é um placebo.
    Antes que venha com o argumento "ah, mas todos os meus clientes dizem que funciona" deixe-me desde já explicar-lhe que um conjunto de opiniões não se torna num facto; os factos descobrem-se com testes rigorosos, não com palpites.
    E isto aplica-se às 6 que refere, acupunctura, homeopatia, osteopatia, naturopatia, fitoterapia e quiropráxia.

    A regulamentação destas práticas é algo muito simples de fazer: se conseguirem demonstrar, de uma maneira rigorosa, que são seguras E eficazes, então que sejam praticadas legal e livremente.

    Por fim, a expressão "igual cura igual" vem dos homeopatas, não fui eu que a inventei e refere-se a que algo que produz um sintoma pode curar esse sintoma, mesmo se produzido por outra substância. Não tem nada a ver com as vacinas, pois estas de facto colocam o agente patogénico (morto ou debilitado) no sistema imunológico para este aprender a lutar contra ele, e estar preparado para uma batalha futura mais a sério. A diferença é que dentro da vacina está lá uma dose mensurável desse agente, e não uma gota de uma diluição, de uma diluição, de uma diluição, de uma diluição, de uma diluição, de uma diluição, de uma diluição, de uma diluição, de uma diluição, de uma diluição, de uma diluição de algo que não tem nada a ver com a doença.

    Em relação à planta Ignatia, vejamos - e tentemos não abrir demasiado a boca com o espanto - para que é usada, em homeopatia - http://www.realmagick.com/6913/ignatia/

    ResponderEliminar
  40. Vaidosérrimo e convencidérrimo Pedro Homero,

    A acupunctura, homeopatia, osteopatia, naturopatia, fitoterapia e quiropráxia, funcionam, por muito que V. não queira, com toda a sua insuportável prosápia.

    Não sou cientista nem terapeuta, mas como paciente - sou o Paciente Português :-) lembro-lhe que por exemplo no Reino Unido e na Alemanha essas medicinas estão legalizadas. Talvez porque lá há lobis que não se podem dar a tantos luxos ditatoriais como cá...

    O Dr. Pedro Choy, no Prós & Contras, juntamente com outros médicos sem palas nos olhos, foi pateticamente atacado por luminárias como D.ra Isabel do Carmo (a do PRP-BR), que só lhe diziam que "não aprenderam aquilo na Universidade). Pois não, que chatice! Bolas! E o que é pior é que eles curam pessoas!

    Por muito que isso vos irrite, quem está aflito, não quer saber dessas vossas sofismas para nada. Quem está em sofrimento quer curar-se. E CURA-SE!

    É placebo? É psicológico? É óbvio que não é, pois os animais e os bebés reagem bem a tratamentos como os homeopáticos, por muito que V. argumente que "de qualquer maneira iam melhorar" - uma piada kafkiana, mas gira :-)

    Mas mesmo que fosse, abençoado efeito placebo, sem efeitos secundários como o da talidomida e outras lindas glórias da sua Ciência, a única certa! Então se eu posso curar a minha gripe com um frasquinho de água e a minha estupidez (a inteligência foi toda para o Pedro Homero & C.a), só se for parvo de todo é que não o faço!

    E os chineses, japoneses, coreanos, todo o Oriente, a recorrer à acupunctura, sem lhe pedir autorização nem nada, já viu a falta de respeito para com Vossa Santidade Luminescente?

    São todos parvos, menos o De Reum Natura blog, que é o Caminho, a Verdade e a Vida :-)

    O Paciente Português

    ResponderEliminar
  41. Ilustre Pedro Homero.
    Não ponha na minha palavra o que normalmente se ouve por ai.
    Sou concreto e dialogante o suficiente para saber SER.
    Infelizmente ainda não foi possível a tão esperada REGULAMENTAÇÃO das TCN, só porque a parte "Cientifica" do Ministério da Saúde não nomeia um Coordenador.
    Ria-se, mas esta é a realidade, triste mas verdadeira.
    Se a praxis das 6 Terapêuticas é ou não eficaz, bom isso tem que ver com a forma como a "Ciência actual" se encontra enquistada em paradigmas do absurdo.
    Repare, basta que a BULA, não aquela que é dispensada ao consumidor, mas a de real valor cientifico, determine que há 3 mortes em cada 10.000 "utilizadores" para se poder vender? Compensa o risco, com o aparente beneficio dos outros.
    Aqui merece seriamente o lema VIDA por VIDA, uma profunda reflexão.
    Não é verdade que os HOMEOPATAS falem em igual cura igual, mas sim o semelhante.
    Por favor não confunda os que se dizem homeopatas com os até agora auto-didactas da Homeopatia e que almejam a sua diferenciação.
    Posto isto muito gostaria que tivesse acesso à metodologia com que as experimentações Homeopáticas devem ser feitas in vivus.
    Assim é há 200 anos e feito por insuspeitos profissionais de variadas ciências.
    A Verdade Médica, não é a única, nem necessariamente a MELHOR, já que há referencias de falseamento dos valores em quimioterapia para o cancro do ducto mamário assumido pelo próprio Médico, isto em 2000 e ainda se aplica aquele Protocolo em 2011 na Oncologia.
    Há de facto um sem numero de razões para atirarmos uns aos outros.
    A PRINCIPAL razão, na minha óptica, é a IGNORÂNCIA apoiada e promovida pela "Ciência" face a eventuais "falsos negativos".
    Apoio e promovo um dialogo consistente em TODAS as áreas do Saber.
    Muito gostaria que a "Ciência" permitisse a realização dos TESTES rigorosos que tanto propala, mas não é possível pois só falta NOMEAR o COORDENADOR da COMISSÃO e isso é da RESPONSABILIDADE da EXMA. MINSITRA que por mero acaso até é Médica.
    Até breve
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  42. Ilustre Pedro Homero
    Só mais uma questão.
    No contexto do sério e em Homeopatia temos a noção da capacidade do "dinheiro" para promover Milagres, com produtos sejam eles ou não ditos homeopáticos.
    A empresa que refere não foge à regra.
    Sobre as prescrições Homeopáticas isso faz parte da tal REGULAMENTAÇÃO.
    Pessoalmente não sou "vendedor" por catalgo de produto, mas confesso que "estudo" as composições dos homeopáticos e se chegar à conclusão de que o produto terá capacidade de actuar então prescrevo e aguardo pelos resultados.
    Quanto ás suas justas duvidas sobre a eficácia e sobre quem deve prescrever Homeopatia voltamos ao inicio, só depois da Regulamentação é possível desviar do nosso caminho tanta confusão reinante.
    Saiba a propósito que em Espanha os fármacos de classificação DROGA, são diferenciados na Farmácia por uma determinada mancha gráfica?
    Há formas de ser e estar que devem coincidir com as posturas iniciais.
    Tanto propala que os TESTES devem de ser feitos com rigor cientifico e depois entra numa de manif?
    Mas respeitarei, usando para isso todos os ARGUMENTOS por Lei permitidos para obviar uma tão grande falta de sensatez "Cientifica", perante a possibilidade de crianças verem a TOMA colectiva, e depois imitarem por mimetismo tamanho comportamento.
    VIDA por VIDA lembre-se disso por fineza.
    Att
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  43. (parte 1 de 2)

    Suspiro.....

    Portanto, vamos lá ver se percebi:
    Após a leitura deste texto - http://www.amena.tcpnsa.com/Noticias/Ataque-de-Loucura - fico com a impressão que o sr. Fernando Neves pensa que existe uma cabala contra a Homeopatia, cheia de gente SEM ESCRÚPULOS [sic], abjecta e com o intuito de passar publicidade enganosa. É isso?

    Vamos lá desmistificar aqui, pela 5ª vez, algumas ideias erradas que insistem em manter-se:

    a) "manifestação espontânea" - não sei onde foi buscar esta ideia, a manifestação está marcada há bastante tempo e o Governo Civil de Lisboa já foi notificado.

    b) "camarilha SEM ESCRÚPULOS e abjecta quanto baste" - em que se baseia para afirmar tal coisa? Estou muito curioso em saber mais!

    c) "Têm como "Objectivo" PROVAR(?) que a Homeopatia é Fraude!" - ai... como já expliquei, várias vezes, e como aliás é notório para quem veja o nosso site, sito em 1023portugal.wordpress.com o nosso objectivo é informar a população para que esta saiba exactamente o que é a homeopatia. As provas não se conseguem assim de um dia para o outro; conseguem-se com estudos rigorosos (pareço um papagaio, já disse isto 20 vezes, e ainda assim não lê!), não de outras maneiras.
    Se alguém tem que provar alguma coisa são os homeopatas, nomeadamente provarem que a sua prática funciona para lá do efeito placebo. Ficamos à espera dos estudos científicos rigorosos.

    d) "engolem em SUPER DOSES(?) de supostos produtos com base homeopática." - Vamos engolir uma caixa inteira, sim, de produtos homeopáticos. Se é uma SUPER DOSE [sic] ou não, não sei, mas o que é certo é que tomar uma caixa inteira de um medicamento a sério não seria muito boa ideia, não.

    e) "Claro, estão a engolir NEUTROS, ou seja tomam "algo neutro" parecido com os produtos que a Terapêutica Homeopatia utiliza de forma comum" - vamos lá ver se eu percebi, Sr. Neves. Está a querer dizer que os produtos da Boiron, o maior e mais famoso laboratório homeopático do mundo são "neutros", isto é, não fazem bem nem mal? Está a dizer, portanto, que os produtos homeopáticos da Boiron não funcionam? Já viu, afinal até temos algo em comum!

    ResponderEliminar
  44. (parte 2 de 2)

    f) "PUBLICIDADE ENGANOSA e grave pois fazem constar que vão tomar HIPER-DOSES!" - ora bem, vamos tomar, cada um, uma caixa inteira de produtos homeopáticos à venda nas farmácias portuguesas, com o consentimento do Infarmed. O termo HIPER-DOSES [sic] é seu, não nosso. Na verdade, de princípio activo não vamos tomar absolutamente nada, isso é verdade, pois o processo de diluição garante que dentro de uma caixa de osccilococcinum não existe uma só molécula de pato. Até aí também estou de acordo consigo. Agora, chamar publicidade enganosa é que me parece um pouco forçado; dizemos que vamos tomar uma "overdose" de produtos homeopáticos e assim vai ser, pois a posologia indicada não é um pacote inteiro, mas muito menos.

    g) "Este tipo de comportamentos desviantes tem também remédio na Homeopatia" - não percebo. Que comportamentos desviantes [sic] é que refere?

    h) "Temos SEMPRE afirmado que estamos PRONTOS para PROVAR a eficácia da HOMEOPATIA." - óptimo, é esse o espírito. Venham de lá os estudos científicos 'double blind', aleatórios, controlados e replicados. Opiniões de clientes seus não serve como prova, pois é apenas um testemunho.

    i) "Tal qual estamos PRONTOS para combater pela HOMEOPATIA." - ah, ok, chegamos ao cerne da questão. O senhor vê isto como uma batalha, em que há que combater. Seja. Nós vemos como uma acção de formação.

    j) "Utilizaremos todos os meios LEGAIS para este combate." - folgo em saber que não optarão por meios ilegais. É sempre bom ver as pessoas a adoptarem as medidas que a lei lhes permite, e não outros métodos. Aliás, tal como nós, pois é mesmo isso que vamos fazer, usar os meios legais para informar a população. Temos tantos pontos em comum, já viu?

    Por fim, e em relação às perguntas que faz ao Director da ASAE no documento que afirma que lhe remeteu, terá resposta daqui a pouco no nosso site. Já cá venho indicar o link para lá chegar.

    ResponderEliminar
  45. Ilustre Pedro Homero
    Cada um joga em favor dos seus.
    Tenho na vida uma clara postura na defesa de valores que em muito ultrapassam a clara confluência de interesses nada claros e manifestamente ocultos nos seus propósitos.
    Quanto aos pontos em comum que diz teremos não vejo como nem onde, pois a vivência é bem diferente ainda que tenha profundo respeito por todos não me obrigaram certamente a concordar com tudo.
    Triste tipologia para uma acção de formação, pois é claro que ao tomarem o que diz que vão tomar é um aproveitamento útil e em tempo pois a Gripe anda por ai, não é verdade?
    Claro que entendo haver uma cabala no sentido real do termo, contra a Homeopatia.
    Nota-se o comportamento, nota-se a forma cientifica escolhida, nota-se na metodologia utilizada, enfim até se nota nas coincidências temporais entre o que se passa com as situações de Fraude para com o SNS que tanto afirma defender.
    Att

    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  46. Estimado paciente português,
    Palavras leva-as o vento; mostre provas daquilo que diz, nomeadamente que essas práticas pseudo-medicinais funcionam para lá do efeito placebo, e depois falamos.

    Por outro lado, o facto de essas modalidades não-provadas serem legais e apoiadas por alguns Estados diz muito sobre lóbis, lá isso é muito verdade. Sugiro a leitura do seguinte texto, que traduzi do original em inglês: http://1023portugal.wordpress.com/2011/01/19/a-verdade-e-de-novo-um-concurso-de-popularidade/

    Em relação ao resto, já lhe respondi antes, e não tenho vontade de estar aqui a repetir-me ad nauseaum.

    ResponderEliminar
  47. Em resposta - parece que não faço outra coisa na vida, agora - ao Sr. Fernando Neves, cabe-me desde já dizer que vou resumir e passar por cima de afirmações às quais já antes respondi, que isto começa a ficar um pouco entediante.

    Refere "paradigmas do absurdo", em relação à ciência. Não sei a que se refere; será ao método científico? É que o método científico permitiu-nos descobrir que medicamentos funcionam e que não, qual a causa da grande maioria das doenças e que tipo de comportamentos e atenções devemos ter para as evitar.

    Depois fala de uma tal BULA que não sei o que é. Link, se faz favor.

    Depois pede-me para não confundir entre "os que se dizem homeopatas" e os "até agora auto-didactas da Homeopatia". Ok, não o farei. Como posso distinguir uns dos outros? Quais são uns e quais são outros?

    Depois fala de metodologia das experimentações homeopáticas in vivus. Tenho muito gosto em visitá-lo e em ver ao vivo isso de que fala. O saber não ocupa lugar! É só definirmos uma data adequada.

    Depois fala de "Verdade Médica". Estimado Sr. Fernando Neves: não há verdade disto ou verdade daquilo. Há verdade, e ponto final. Estou diante de um computador, neste momento em que escrevo isto? Sim. Estou a usar um teclado? Sim. Estou a escrever em português? Sim. Ponto. É verdade e ponto.

    Refere, depois, sem links (para variar), um Médico e uns valores falsos. De que fala? E mais importante que isso, acha mesmo que um procedimento médico ou um medicamento é usado porque UM médico deu uns valores?

    Por fim, lamenta-se que não foram realizados os testes rigorosos que propalo, porque não se nomeou um coordenador de uma comissão. Oh meu caro senhor, de facto acha que o mundo acaba ali em Badajoz? Existem TOMOS de literatura científica sobre a Homeopatia!
    Só para citar as análises mais rigorosas, eis um par delas (está a ver? refiro algo, meto o link; é assim que se joga este jogo):

    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20402610
    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16675332
    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19588329

    ResponderEliminar
  48. Agora, em relação à sua "só mais uma questão":

    Disse: "No contexto do sério e em Homeopatia temos a noção da capacidade do "dinheiro" para promover Milagres, com produtos sejam eles ou não ditos homeopáticos.
    A empresa que refere não foge à regra."

    Isto é muito importante, caros leitores dos já longos e cansativos comentários a este post. Muito importante mesmo. Porquê? Porque o Sr. Fernando Neves está, neste parágrafo - e se não estou enganado - a afirmar que os laboratórios Boiron não serão de confiança, e que poderão eventualmente a vender 'gato por lebre'. É isso? Confirme, por favor!

    Depois diz: "confesso que "estudo" as composições dos homeopáticos e se chegar à conclusão de que o produto terá capacidade de actuar então prescrevo e aguardo pelos resultados."

    É precisamente aí que entram as minhas dúvidas. Como é que o senhor "chega à conclusão que o produto terá capacidade de actuar"? Como é que determina isso? Depois, que tipo de resultados espera?

    Olhe, se me permite, e com todo o respeito por si, vou dar-lhe uma sugestão: o senhor fará com ela o que entender.

    Quando tiver, à sua frente, no seu - imagino - consultório um caso de uma pessoa que tenha um problema pequeno, pouco grave, sei lá, uma constipaçãozita, uma coisa qualquer que não ofereça perigo, conduza a sua consulta da maneira normal, com todas as características que considera conveniente, mas no final não dê a esta pessoa um produto homeopático, mas antes uma caixa com simples pastilhas de açúcar. Não lhe diga que aquilo não é homeopático! Diga-lhe que aquilo é um produto homeopático que o senhor preparou especificamente para casos como o daquela pessoa, mostre-se confiante nos bons resultados do produto, e peça encarecidamente à pessoa que reporte os resultados.
    Se possível, faça o mesmo com mais clientes seus.
    Depois, compare a apreciação de clientes que receberam produtos homeopáticos de verdade, e a dos que receberam bolinhas de açúcar.
    E depois pense nas implicações dessa comparação.

    A seguir, refere: "Tanto propala que os TESTES devem de ser feitos com rigor cientifico e depois entra numa de manif?"

    Está a comparar coisas diferentes, estimado Sr. Fernando; já foram feitos centenas de testes rigorosos e nenhum aparece nos media tradicionais. Porquê? Se calhar porque não é uma revelação bombástica, se calhar porque não é sensacionalista, se calhar porque não vende jornais e publicidade na TV.
    Vamos fazer a acção que está planeado porque esse tipo de acção, sim, é reportada pelos Media, e é transmitida aos espectadores. Claro que não "prova" que a homeopatia funciona, ou não funciona, mas como já lhe expliquei anteriormente, não se quer "provar" nada; simplesmente alertar e sensibilizar.

    ResponderEliminar
  49. Eis o link para as respostas às perguntas que enviou o sr. Fernando Neves enviou ao Inspector Geral (e não Director, enganei-me, antes) da ASAE: http://1023portugal.wordpress.com/2011/02/02/resposta-amena-a-associacao-amena/

    ResponderEliminar
  50. Boa noite,

    Caríssimos Dr. Fernando Neves e Dr.João Novaes, como é óbvio estes pseudo-manifestantes preferem manter-se na ignorância do que é a Homeopatia, pois obtive um comentário de uma senhorita pseudo-manifestante desta pseudo-manifestação de que pensaram em fazer a sua própria medicação homeopática, mas que desistiram pois teriam que "fazer diluições até à exaustão"...ora por aqui fica bastante esclarecido que estamos perante pessoas que gostam apenas de se manifestar, mesmo sem fazerem um pequeno trabalho de pesquisa e aprofundarem um pouco o seu conhecimento na área da homeopatia, neste caso, sobre as diluições...

    Estas pessoas desconhecem até que milhares de médicos da Medicina Convencional participam em Seminários e cursos de Homeopatia e outras terapias Complementares/alternativas (sim, porque em inúmeras circunstância são uma alternativa à Medicina convencional, pois os resultados são excelentes não tendo que recorrer a químicos com todos os seus efeitos secundários -- mas parece que estes pseudo-manifestantes também não sabem disso), uma vez que eles próprios, sim estou-me a referir aos médicos, reconhecem que estas medicinas/terapias complementares/alternativas oferecem soluções de uma eficácia extraordinária e sim, eles próprios sentem necessidade desse conhecimento para sentirem que podem ajudar os seus pacientes.

    Verificamos assim, que estamos perante indivíduos com uma cultura académica e intelectual muito frágil, pelo que solicito que deixem de "lhes dar conversa". Estão a perder o vosso tempo, e se eles preferem manter-se na ignorância, pois que assim seja. A certeza que tenho é que muitos de nós e inclusivé os nossos pacientes passarão um momento de risota sobre as afirmações deliciosamente incultas destes nossos estimados pseudo-manifestantes, que deveriam era falar com pacientes das TNC e questioná-los acerca dos seus efeitos. Sim, nesta altura eles por muito que tentassem argumentar (desculpem, eles não argumentam, é verdade, eles partem para a ignorância e ofensa mas sem qualquer argumento VÁLIDO)teriam que se render às evidências...SIM A HOMEOPATIA CURA.

    Não lhes dêm assim tanta importância, deixem-nos lá tomar o que eles querem (note-se que ninguém teve a coragem de aceitar o desafio e engolir IGNATIA D4, pois eu aí até ia gostar de estar presente só para assistir, mas por aqui se vê que afinal a medicação homeopática até lhes mete algum respeitinho, nunca fiando...)
    Afinal de contas, esta pseudo-manifestação só mostra que o facto de serem cada vez mais as pessoas a recorrem a nós e a terem resultados fidedignos, os incomóda.

    Por último solicito aos pseudo-manifestantes que já que ficam assim tão incomodados com a homeopatia, que lutem pela regulamentação das TNC pois só dessa forma, os ditos "vigaristas" poderão ser retirados do mercado.

    Os meus melhores cumprimentos.

    ResponderEliminar
  51. Pedro,

    o link que colocaste para o sítio do Bloco de Esquerda (de consulta e debate para o programa eleitoral de 2009), remete para um artigo que é um dos contributos que o Bloco de Esquerda recebeu. O objectivo das consultas públicas é precisamente o de receber contributos de quem queira participar. Não se trata de um documento do Bloco de Esquerda. Segundo percebi.

    Sandra Cunha

    ResponderEliminar
  52. Ilustre Pedro Homero.
    Já lhe tinha solicitado que não utilize o seu "pensamento" como se de algo eu tenha escrito.
    Tenho VALORES que não são os seus.
    Certamente que se um dia quizer ter a fineza de se apresentar no meu consultório, tenha a certeza que tudo farei para lhe prestar o auxilio de que estiver necessitado, e cria que não vou seguir a sua desonesta sugestão sobre o que devo ou não prescrever-lhe.
    Nesta matéria, desculpe mas não aceito a sua mà orientação.
    Já consegui corrigir os meus comportamentos desviantes o suficiente, para dar aos meus doentes a garantia de que tudo faço para os auxiliar a terem um melhor enquadramento na vida.
    Sugiro que faça o mesmo aos seus sentimentos arcaicos, pois mais parecem agora assumir o triste papel das Igrejas Fundamentalistas em nome de uma dita Ciência.
    Pode ser que daqui a uns séculos haja um rebate de consciencia, como já aconteceu na Igreja Católica, só não sei se o vosso fundamentalismo terá a humildade suficiente para reconhecerem os vossos ERROS.
    Por mim tenho o meu "Caminho" traçado e certamente não são os vossos "MEDOS" que me fazem desviar.
    Como tenho a minha determinação, creia que o atenderei com cordialidade e de forma alguma o tentarei "converter", pois respeito na integra TODA a manifestação de doença que o possa afectar e perturbar os VALORES de que se julga possuidor.
    Creia-me com consideração
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  53. "Palavras leva-as o vento" - agora é que o Pedro Homero se definiu. Ainda não passaram a fase adolescente panfletária, e, como meninos mimados que são, não suportam que haja quem divirja das vossas ideias e da superioridade intelectual que julgam possuir. Eu também não sou católico, e jamais faria a peixeirada que a vossa gente fez quando o sr. Ratzinger foi discursar naquela universidade italiana. Enfim: criancices, palhaçadas, e muito ego.

    Continuarei a recorrer às medicinas que entender, e, tal como milhões de pessoas em todo o planeta, sei que elas resultam. Quando desloco um osso, não são injecções e comprimidos que o põem no lugar. Põe-no o quiroprata. Não são palavras que põem ossos no lugar ou curam pessoas. Palavras, leva-as efectivamente o vento.

    O Paciente Português

    PS - Muitos ad nauseaums também para vós. Que Deus Nossos Senhor vos dê uma dose homeopática de humildade, mesmo muito diluidinha.

    O Paciente Português

    ResponderEliminar
  54. Bem, a carta da AMENA para o Inspector Geral da ASAE parece uma anedota. Mas enfim, espelha o nível dos discursos a que temos assitido aqui.

    Acho que os responsáveis da AMENA desconhecem por completo a legislação relativa à publicidade ou fazem que não conhecem porque nem o conceito de publicidade demonstram entender.

    O resto, cabecilhas, teorias da conspiração... mais do mesmo tipo de raciocínio assente em crenças e não em evidências. Mal vai este país se algum dos responsáveis e governantes destinatários desta carta reconhecerem alguma razão significativa às... reivindicações? Acusações? Queixas? Ou queixinhas? O que quer que sejam. Estou ansioso por saber qual vai ser a resposta.

    Não acho correcto porem-se todas as medicinas alternativas no mesmo saco. A homeopatia parece-me a mais fradulenta e perigosa para a saúde pública. No entanto todas precisam ser devidamente regulamentadas porque claramente estão fora e frequentemente contra a lei, e naturalmente contra os direitos dos consumidores e doentes.

    ResponderEliminar
  55. À senhora anónima que falou comigo, (eu, a pseudo-manifestante desta pseudo-manifestação):

    Longe de mim dizer-lhe como funciona o seu ramo da homeopatia. Mas já agora aproveito a deixa para lançar o alerta para alterarem a vossa própria literatura quanto às diluições extremas. Pode induzir, aqueles com uma cultura académica muito frágil, em erro.

    E como tive oportunidade de referir no meu e-mail de resposta ao seu desafio, o produto homeopático que optámos por consumir é aquele que é aprovado para venda nas farmácias portuguesas. Se têm objecções a esses produtos (inserir aqui o termo pseudo) homeopáticos, então deveriam aplaudir esta acção para protestar contra a venda de comprimidos de açúcar como medicamentos.

    A manifestante da manifestação
    L. Abrantes

    ResponderEliminar
  56. @ Sandra Cunha - uma pesquisa rápida no Google sobre Bloco de Esquerda e Medicina Alternativa leva-nos a estes link:

    http://cronicadaciencia.blogspot.com/2009/09/be-quer-implementar-as-medicinas.html

    Dá a sensação que o BE aceita e apoia a homeopatia; seria questão de lhes perguntar.

    ResponderEliminar
  57. Em resposta final ao sr. Fernando Neves, e porque começa a tornar-se notório que não há a possibilidade de um diálogo mais construtivo, permitam-me que comente isto que disse:

    "Triste tipologia para uma acção de formação, pois é claro que ao tomarem o que diz que vão tomar é um aproveitamento útil e em tempo pois a Gripe anda por ai, não é verdade?"

    Não, caro senhor.
    Não, porque não existe, porque nunca vocês conseguiram demonstrar que existe essa tal bactéria Oscillococcus que o Joseph Roy disse que descobriu, nos corpos de pessoas com gripe.
    Não, porque não existe, porque nunca vocês conseguiram demonstrar que existe essa bactéria no fígado de patos.
    Não, porque mesmo que existisse, vocês nunca conseguiram demonstrar que afecta de alguma maneira a prevenção, cura ou melhoria de sintomas dos estados gripais.
    Não, porque mesmo que existisse e alterasse uma gripe, não está presente uma só molécula do pato, quanto mais de uma bactéria do pato, nos milhões de tubinhos de Osccilococcinum que se vendem no mundo todo.
    Não, porque os homeopatas nunca conseguiram provar que semelhante não cura semelhante.
    Não, porque os homeopatas nunca conseguiram provar que quanto mais se dilui algo, mais potente fica, uma ideia absurda que, a ser verdadeira, implicava que tudo o que sabemos de Anatomia, Biologia, Química, Física e Medicina estava errado.
    Não, porque os homeopatas nunca conseguiram provar que com abanões violentos com livros de capa de cabedal e crina de cavalo (ler os textos de Hahnemann) se consegue 'potenciar' uma 'energia vital' que, curiosamente, também nunca conseguiram provar que existe.
    Não, porque os homeopatas nunca conseguiram provar que a água tem memória daquilo que passou por ela.

    Por tudo isto, sr. Fernando Neves, não, não vai haver "um aproveitamento útil e em tempo".

    ResponderEliminar
  58. http://www.ceticismoaberto.com/ceticismo/2543/oms-adverte-contra-o-uso-da-homeopatia

    Interessante que a OMS tenha advertido contra o uso da homeopatia no tratamento da malária, tuberculose e outras doenças, mas encontramos os medicamentos para as mesmas no Repertório Homeopático Clínico, do mesmo autor do blog www.josemariaalves.blogspot.com.

    http://www.homeoesp.org/livros_online/novo_repertorio_clinico.pdf


    MALÁRIA - VER PALUDISMO
    PALUDISMO
    Arsenicum, Cedron, China, [...]
    CHINA 12 DH, 3 gotas.

    Gripe com bronquite, com indícios de tuberculose.
    AVIARE 30 CH, 3 gotas de hora a hora.

    TUBERCULOSE
    Apis, Arsenicum, Arsenicum iodatum, [...]
    PROTOCOLO – KALIUM CARBONICUM, 200 CH, 5 gotas uma vez por semana;
    BRYONIA 30 CH E ACONITUM 200 CH (MINISTRADOS JUNTOS), 5 gotas duas vezes por dia.


    Segundo este repertório, do cancro à calvície parece que a homeopatia tudo cura com umas quantas gotas várias vezes ao dia. Incluindo algumas coisas de que não fazia ideia:

    ACORDA A GRITAR
    POR EFEITO DE SONHOS ANGUSTIANTES – BRYONIA 5 CH, 3 gotas 3 vezes por dia.
    DURANTE PESADELOS – CHAMOMILLA 6 CH, 3 gotas 3 vezes por dia.

    AXILA
    Transpiração de muito mau odor – NITRICUM ACIDUM 1 CH, 3 gotas 4 a 5 vezes por dia.
    Transpiração com cheiro de alho – LYCOPODIUM 6 CH, 3 gotas 4 a 5 vezes por dia.

    BATIMENTO DAS ORELHAS
    Cannabis indica.

    BOCEJO
    Frequente, sem sono – ACONITUM 3 CH, 3 gotas de 2 em 2 horas.
    Frequente, à noite, sem sono – ARNICA 3 CH, 3 gotas de 3 em 3 horas.
    Depois de jantar – LYCOPODIUM 6 CH, 3 gotas de 2 em 2 horas.
    Depois de comer – Ao acordar – NUX VOMICA 5 CH, 3 gotas de 3 em 3 horas.
    Frequentes, espreguiçando-se, com sono, como se não tivesse dormido à noite – CHELIDONIUM 3 CH, 3 gotas de 2 em 2 horas.


    Dá que pensar porque andam médicos em todo o mundo a fazer sofrer os doentes espetando-lhes agulhas, prescrevendo químicos agressivos, cortando tecidos e serrando ossos para aceder a órgãos, se a homeopatia parece ter solução para tudo com umas inofensivas gotas. Será que ninguém os avisou?

    ResponderEliminar
  59. Obrigado, último anónimo, por essa descoberta tão interessante (mas também podia assinar, nem que fosse com um pseudónimo! É cansativo, tantos anónimos, fica confuso!).


    Aqui reside, e dá para ver claro como a água, um dos problemas da homeopatia, o mais grave, se calhar: este senhor, José Maria Alves, um homeopata de profissão, lista produtos homeopáticos como curas para a Malária e para a Tuberculose. Que dirá, portanto, a um cliente que o visite? Vai recomendar-lhe este produtos; se a pessoa for na conversa, pode ficar gravemente doente ou até morrer.

    Mais informação - http://www.guardian.co.uk/science/2006/jul/14/medicineandhealth.lifeandhealth

    Por outro lado, as referências ao batimento de orelhas e ao bocejos frequentes sem sono fazem-me lembrar o uso de diluições de coisas tão incríveis como a "luz de Vénus" ( http://www.btinternet.com/~wellmother/venusbase.htm ), uma tempestade ( http://thethoughtstash.wordpress.com/2010/10/18/weird-homeopathy-tempesta-the-storm/ ) e destroços de navios ( http://thethoughtstash.wordpress.com/2010/08/01/weird-homeopathy-naufragium-helvetia-the-shipwreck/ )!

    ResponderEliminar
  60. Aqui está um provérbio actualizado aos tempos que correm: "presunção e remédios homeopáticos, cada um toma o que quer."
    Uma palavra para o caro Pedro Homero: admiro a sua persistência, mas infelizmente está usar argumentos racionais para falar com pessoas que usam outro tipo de argumentos, que não sei bem classificar, mas que devem ter algo a ver com fé. Este facto fez com que toda esta conversa parecesse uma conversa de surdos-mudos.

    ResponderEliminar
  61. Amigo jmdamas,
    Eu respondo para que fiquem os factos e uma certa postura racional bem patente, para que terceiros que leiam esta discussão possam sair daqui informados; não espero fazer entrar a luz da razão em quem tem a mente fechada numa ideia dogmática.

    ResponderEliminar
  62. João Nabuco

    concordo com a maneira de protestar contra homeopatia, a overdose nunca vai ocorrer mais as pessoas vão sentir o poder da homeopatia.

    Sugiro que tomem:
    Lachesis CH 100
    Sulphur CH100
    Mercurios solubilis CH1000
    Estramonium CH100
    Opium CH100
    Arnica montana CH30
    Sugiro que diluam em uma garrafa d'água um frasco inteiro e depois tomem gole a gole devagar depois me digam se ocorreu algo!

    Bom protesto

    ResponderEliminar
  63. Anónimo,
    O protesto já foi no sábado passado.

    Se formos os dois, eu e você, a uma farmácia, comprar esses produtos que refere, e você pagar, eu tomo-os como quiser, quando quiser, com a rapidez ou cadência que quiser.
    Podemos repetir isso todas as semanas durante um ano. Quer?

    Quando é que se vão aperceber que do C13 para a frente já não há uma só molécula e que a água, de uma vez por todas, não tem memória?!
    Apre!

    ResponderEliminar
  64. Ou melhor, e como dizem os americanos, put your money where your mouth is - se acha que isso me vai fazer qualquer efeito pague você do seu bolso esses produtos que eu bebo isso tudo de uma vez.

    ResponderEliminar
  65. Pedro Homero, já vi Ginós mais inteligentes do que tu! Estão sempre a denegrir tao nobre arte de curar (desde 1810) mas a Homeopatia permanece e tem apresentado resultados tremendos, mas é barata e trata a pessoa na doença e não a doença na pessoa e isso não é bom para a industria farmaceutica porque para eles, quantas mais doenças, mais remédios se prescrevem né? nós entendemos...

    ResponderEliminar
  66. Estimado agora-último-mas-virão-outros-anónimos,

    Disse:
    Pedro Homero, já vi Ginós mais inteligentes do que tu!

    Não sei o que é um Ginó, e o google só me mostra pessoas com essa palavra como apelido. Tem algum problema com a família Ginó?

    Estão sempre a denegrir tao nobre arte de curar (desde 1810) mas a Homeopatia permanece e tem apresentado resultados tremendos,

    A homeopatia permanece porque as pessoas acreditam nesta patranha, não porque de facto funcione para lá do efeito placebo. Se estou errado, mostre as provas. Fico à espera.

    mas é barata e trata a pessoa na doença e não a doença na pessoa

    Não trata absolutamente nada a não ser um excesso de peso na conta bancária. De novo, se estou errado, se tem provas que a homeopatia cura o que quer que seja, venham essas provas. Por outro lado, compare o preço do osccilococcinum, o produto homeopático mais famoso em Portugal (entre 9,90 e 13 euros, regra geral) com um cêgripe ou similar, que custa entre 4 e 7 euros.


    e isso não é bom para a industria farmaceutica porque para eles, quantas mais doenças, mais remédios se prescrevem né?

    Tem provas do que está praí a dizer, ou é só uma ideia que lhe veio à cabeça? Sabia que as vacinas, criadas por - é melhor sentar-se! - indústria farmacêutica, preveniram a morte de milhões de pessoas em todo o mundo? E que é essa indústria que, com todos os seus erros e problemas, coloca à disposição compostos que curam doenças e que aliviam sintomas? Seja como for, não serve virar o bico ao prego: a homeopatia tem que ser defendida pelos seus méritos, não pelos defeitos de outras práticas. A homeopatia serve, ou não serve, funciona ou não funciona, independentemente do resto das práticas no mercado. Olhe, leia os comentários todos deste post.

    nós entendemos...
    Nos quem? Quantas vozes existem na sua cabeça?

    Ah, e assine, nem que seja com um pseudónimo, ou é-lhe assim tão difícil seguir as regras deste blog?

    ResponderEliminar
  67. Estudante de Homeopatia10 de fevereiro de 2011 às 21:21

    "A mente é como um para-quedas, só funciona aberta."

    http://www.huffingtonpost.com/dana-ullman/luc-montagnier-homeopathy-taken-seriously_b_814619.html

    http://www.scienceofhomeopathy.com
    http://www.youtube.com/user/Bandershot

    http://www.high-dilutions.net/VersionAn/Travaux/IndexOrale.php
    http://www.high-dilutions.net/VersionAn/Theory/IndexVivant.php


    http://news.techworld.com/personal-tech/3256631/dna-molecules-can-t eleport-nobel-prizewinner-
    claims/
    • http://arxiv.org/PS_cache/arxiv/pdf/1012/1012.5166v1.pdf


    http://www.wikidoc.org/index.php/Supramolecular_chemistry
    http://en.wikipedia.org/wiki/Supramolecular_chemistry
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Hidrato_de_clatrato
    http://en.wikipedia.org/wiki/Clathrate_hydrate
    http://www.wikidoc.org/index.php/Clathrate_hydrate

    http://www.weebly.com/uploads/3/4/2/5/3425631/homeopatia-como-funciona.pdf

    ResponderEliminar
  68. @Estudante de Medicina - aplique essa mesma abertura de mente (mas não ao ponto de deixar o cérebro cair ao chão!) para verificar os estudos rigorosos feitos sobre esta prática. Não leia (e não link) apenas artigos amistosos, escritos por homeopatas que, obviamente, não têm interesse em expor a verdade dos factos.

    ResponderEliminar
  69. Ups, era estudante de homeopatia; a junção de "estudante" e "homeopatia" na mesma frase é tão bizarra que o meu cérebro automaticamente trocou para algo com lógica :D

    ResponderEliminar
  70. A Homeopatia funciona e eu sou a prova disso. POUCO ME IMPORTA O QUE ESTES RESSABIADOS DIGAM.Ridículos, raivosos, presunçosos.

    Carlos Martins

    ResponderEliminar
  71. Assim se prova, portanto, que a homeopatia elimina os vestígios de boa educação nos pacientes. Boa prova!

    ResponderEliminar
  72. este pedro homero não deve fazer nada da vida e vem apra aki passar o seu tempo tempinho a denegrir as opções terapeuticas do cidadão, deve ser um menino mimado e birrão. presumo que a foto exposta é sua, e no seu caso nem homeopatia funcionava. está a ser pago por alguém? é o típico português que fala mal de tudo e todos. Olhe caro pedro, a homeopatia faz parte do sistema nacional de saúde dos países mais desenvolvidos,fica a saber. Dói lhe muito né? mas cada vez mais pessoas recorrem a ela (pois é natural, não causa vícios, e trata a pessoa como um todo) inclusive pessoas conhecidas do mundo do desporto, da moda e por aí em diante... até há médicos que prescrevem remédios homeopáticos e outros que vão a consultas de Homeopatia! dedique-se á pesca... deve ser cá um cientista :)

    ResponderEliminar
  73. http://www.youtube.com/watch?v=bHx4h10n4TQ

    ResponderEliminar
  74. Ai, ataques ad hominem, argumentos velhos, batidos e derrubados, este anónimos não têm de facto originalidade nenhuma. Olhe, anónimo, vá ler a resposta a todos esses seus ataques tontos aqui - http://1023portugal.wordpress.com/2011/02/04/os-argumentos-a-favor-da-homeopatia/

    ResponderEliminar
  75. Uhm, eis a cara mais feia de alguns homeopatas; a sua posição anti-vacinas. Assim se vê, como têm interesse em defender a saúde pública. São anti-ciência, anti-progresso e anti-saúde. Ideologias...

    ResponderEliminar
  76. Cá continua a "conversa", o caro Pedro Homero fala de alhos, outros falam de bugalhos...
    Mas divirto-me muito com os que falam de bugalhos. Eu cá também acho que o Catolicismo também devia fazer parte do SNS. Já ouvi bastantes pessoas a dizerem que ficaram curadas depois de rezarem ao Santo X. Para além disso gostava que, um dia, a Bejecoterapia (que eu inventei, há quem me chame o Hahnemann do séc. XXI) fizesse parte do SNS de todo o mundo. Riam-se agora, mas no séc. XXIII haverão uns bejecoterapeutas a defender-me!

    ResponderEliminar
  77. Estudante de Homeopatia12 de fevereiro de 2011 às 15:07

    O interesse é o bem estar do paciente, nada mais...
    Anti progresso? anti ciencia? anti saúde? acho que está a confundir as coisas.
    Pela maneira que fala é dono e conhecedor de tudo. só argumenta o k lhe convém.
    tire as talas da beira dos olhos e tenha mente aberta e não se preocupe que não lhe vai cair o cérebro como me disse anteriormente, porque a mente e o cérebro são coisas diferentes mas nem isso deve saber...
    E se quer saber o que é a Homeopatia leia o ORGANON e medite sobre aquilo que irá ler.
    Você escreve muito mas o seu conteúdo nada tem de inovador...
    Fala tão mal da Homeopatia por aquilo que lê na internet, e por pesquisar o que lhe convém, isso é ciência? Progresso? Por exemplo: A Harvard Medical school - Boston, USA, tem uma pós graduação em Medicina Integrativa onde é abordada a Homeopatia, serão eles loucos?
    Em Londres temos O Royal London Homeopathic Hospital e mais hospitais Homeopáticos no Reino Unido porquê? o Sistema Nacional de Saúde está louco também? não me faça rir, e respeite a opção terapêutica de cada um. Meu amigo espero bem que ande sempre de boa saúde porque se um dia tudo lhe falhar, você irá recorrer á Homeopatia...

    ResponderEliminar
  78. Ah, faltava o argumento "mas a universidade famosa X tem um curso de homeopatia". Isso só quer dizer, caro estudante, que precisam de ter dinheiro, como a Universidade de Saragoça, que se vergou a um curso desses por pura falta de verbas. Isso não faz com que essa prática seja verdadeira, apenas rentável.

    ResponderEliminar
  79. Outra coisa,
    Não é só o bem-estar do paciente que interessa; é também, ou sobretudo, a sua saúde.
    De uma vez por todas: prove que a homeopatia funciona para lá do efeito placebo ou não diga mais nada. Por favor!

    ResponderEliminar
  80. Estudante de Homeopatia13 de fevereiro de 2011 às 12:03

    - http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2958565/

    - http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20673648

    - http://www.spandidos-publications.com/ijo/36/2/395

    - http://www.sciencedirect.com/science/journal/14754916

    ResponderEliminar
  81. Ah, por fim, links para artigos!

    A vida real está a intrometer-se no meu tempo livre, mirrando-o, pelo que vai ter que me permitir que volte a comentar dentro de um par de dias, mas olhando assim por alto parece-me ver já um problema com o primeiro estudo - estou enganado, ou ele simplesmente demonstra que há muita gente a usar a homeopatia na Alemanha? Isso não diz nada sobre a eficácia (ou falta dela) desta prática, apenas que é popular. Ora, como já vimos, algo ser popular não significa que seja eficaz.

    Até depois, e obrigado!

    ResponderEliminar
  82. Caro Estudante de Homeopatia,
    A simples publicação de alguns artigos não corrobora nada. Indo link a link:
    1) O Caro Pedro Homero já comentou um ponto essencial. O outro é que esse artigo apresenta resultados que compara os utilizadores de homeopatia com utilizadores de outras medicinas alternativas ou complementares. Também acho um amor uma revista que combina no seu nome "Evidence Based" e "Complementary and Alternative Medicine".
    2) Este parece-me um artigo um pouco mais sério, mas ainda assim, apesar de não poder argumentar muito por não ser especialista na área, a metodologia parece não ser a melhor. O placebo é single-blind e a homeopatia é double-blind? Existe uma sequência temporal na comparação? Cheira-me a esturro...
    3) É impressão minha ou esta revista nem peer-review tem?
    4) Ora cá está, a bela da revista intitulada "Homeopathy" atirada para mostrar o carácter científico da homeopatia (suponho que a intenção não fosse de prova científica). Breve explicação: eu próprio, posso fundar uma revista, chamar-lhe, sei lá, "Lagerpathy", para os meus amigos bejecoterapeutas publicarem lá os seus artigos científicos e sabe quem é que me vai impedir? Ninguém e ainda vou estar na PubMed e na Web of Knowledge!
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  83. Ora bem, Estudante de Homeopatia, adicionando ao que o jmdamas já lhe disse:

    1) Este primeiro estudo que fornece não nos diz nada sobre a eficácia da homeopatia. Descartado.

    2) Sem podermos ler o estudo completo não podemos dizer muito mais. Se o comprou, passe aí o pdf. Em pausa.

    3) Este estudo está analisado em profundidade aqui - http://scepticsbook.com/2010/02/14/a-giant-leap-in-logic-from-a-piece-of-bad-science/ - e aqui - http://scienceblogs.com/insolence/2010/03/a_homeopathic_bit_of_breast_cancer_scien.php#more -
    Resumidamente, não mostra uma análise estatística (pelo que não aporta provas do que diz), indica que o solvente (placebo) também mata células cancerígenas (?!) e por fim é um estudo em células numa cultura - não nos diz nada sobre a capacidade destes produtos ultra-diluídos de terem eficácia no nosso corpo.

    Além disso, e num passo elegante de ironia, este estudo que refere sugere que não há diferenças entre um solvente sem o produto mágico lá dissolvido e outro com ele:
    “The chromatogram of the untreated and treated solvents appeared identical, indicating that succussion did not cause chemical changes in the solvent.”

    O abanar da água não fez nada - são eles que o dizem!
    Descartado.

    4) Isto é um link para um número da revista Homeopathy, que será certamente imparcial sobre o assunto ;)
    Diga lá qual é o artigo que quer que comente; escolha o melhor, o mais rigoroso, e depois logo se trata disso.
    Em pausa.

    ResponderEliminar
  84. A homeopatia foi, como pode ser verificado, reconhecido pela uniao europeia em 2009 como um metodo eficaz de terapia. para o senhor pedro, nao me vou identificar, mas garanto-lhe que tenho tanto a ganhar com medicamentos quimicos ou homeopaticos e digo-lhe que realmente fazem efeito. se diz que tem tao pouca percentagem que nada faz, gostaria que me explicasse como funciona o antidoto de venenos de cobras? nao é atravez do mesmo processo? deixa de ser eficaz so porque contém uma dose muito reduzida do principio activo? garanto-lhe que me dou diariamente com inumeras pessoas que fazem homeopatia, assim como produtos quimicos, e posso lhe garantir que eu, tendo estudos de ambas as terapias, tenho muito mais segurança em homeopatia. mas gostaria de saber quais os seus estudos sobre tais assuntos.

    ResponderEliminar
  85. Ai, sempre os mesmo argumentos, que cansativo. Vamos lá responder ao último anónimo:

    a)Mostre lá esse documento da União Europeia. Não será que diz que apenas que a homeopatia é usada por tradição e por isso deve ser tolerada? Fala lá em eficácia? Além disso, não sabia que agora eram os políticos que descobriam o que funciona ou não na medicina. Aliás, no Reino Unido os políticos foram modestos e lúcidos ao ponto de pedirem a uma comissão científica (que incluía homeopatas, note-se) para investigar a eficácia da homeopatia. Esta comissão chegou à conclusão que não funciona, e os políticos ignoraram tudo isso, para não perder votos.

    b) Você dizer que algo faz efeito é como eu dizer que não faz, isto é, são apenas opiniões, não servem para quase nada. Mostre as provas, cruzes, que alguém mostre as provas, vamos em 85 comentários e ainda não as colocaram na mesa, de que a homeopatia funciona para lá do efeito placebo e então aí podemos falar da sua eficácia. Até lá, as suas opiniões levam-nas o vento. As suas e as minhas.

    c) O antídoto de veneno de cobra tem lá dentro... veneno de cobra! Os produtos homeopáticos, na sua maioria, não têm sequer uma só molécula daquilo que diluíram lá dentro. Não confunda uma coisa com a outra, por favor!

    d) Diz que estudou "ambas as terapias". Quer mostrar-nos os testes aleatórios, controlados, duplamente cegos e estatisticamente válidos em que participou, ou esse "estudo" foi através do google?

    ResponderEliminar
  86. Pois é ainda assim dá para tratar os sintomas das gripes.
    Mas de facto parece ter havido uma utilização abusiva do nome ferricianeto mais pelo cianeto que pelo ferri.
    É assim a desinformação.
    ahhahah
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  87. O que se passa, Fernando Neves? Desinformação, utilização abusiva, sintomas de gripes... que está para aí a dizer?

    ResponderEliminar
  88. Coragem não falta, mas o que vai faltando é tudo o resto.
    É só ver da perigosidade e da coragem para fazer o boneco na Visão.
    ahhah
    http://www.cpact.embrapa.br/fispq/pdf/FerricianetodePotassio.pdf
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  89. Se o Fernando Neves lê-se o que linka, veria que está a fazer uma figura tonta. Cito o seu link:

    "Substâncias a serem evitadas:
    Ácidos, CrO3 (calor)."

    Ora, o que acha que temos dentro do estômago? O que acha que aconteceria se alguém ingerisse ferricianeto de potássio?

    Por outro lado, quem sabe, pode ser um excelente antídoto homeopático para a azia! :D

    ResponderEliminar
  90. Ola Ilustre Pedro Homero.
    Está quase "convertido".
    Como vê o que leu sobre a Homeopatia já está a produzir efeitos.
    E foi só da "leitura"
    Sobre esse produto não há "reporte homeopático" meu conhecido por isso não é seguro que o utilize sem que proceda com rigor à nossa metodologia de "Reporte Homeopático", que como compreenderá não a vou indicar sem que previamente haja lugar à Regulamentação da Homeopatia.
    Depois não me esquecerei de o convidar a entrar em "programas de Reportorização".
    Pessoalmente e no caso das azias de forma geral, é mais lógica a utilização de acidum sulphuricum numa D6
    Att.
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  91. Já reparou na tolice que é usar a palavra "lógica" para defender a homeopatia?

    ResponderEliminar
  92. Ilustre Pedro Homero.
    Ainda que não tenha sido descordato consigo, admito que me custa que me tente classificar como tolo.
    Não gosto francamente de ser insultado e admito que não teria esse desplante de me afirmar isso cara a cara.
    E já vai na segunda.
    Uma coisa é a defesa publica, outra é um dialogo entre gente que presumo civilizada.
    Mas esta coisa das teclas tem disto.
    Agradeço que proceda do mesmo modo com que o tenho tratado.
    Ainda assim lhe respondo que de facto existe uma lógica, pois para isso só é necessário ter cérebro, uma vez que essa mesma lógica não existe de outra forma.
    Ainda que cada um possa defender pontos de vista diametralmente opostos, não deixa de haver lógica, numa rara capacidade dos Humanos se entenderem.
    E as grandes questões têm sempre uma singela solução, tal como tem sido demonstrada pela ciência que tanto lhe fala ao cérebro.
    Att.
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  93. Fernando Neves,
    Lamento se o que digo o ofende. A mim, por exemplo, ofende-me que se defenda alegremente a "lógica" de uma prática que assenta em noções ultrapassadas, anacrónicas e simplesmente erradas como 'energia vital' e 'miasmas'. E que não se apresentem provas. E que se continue a defender tal prática sem provas.
    Tenha paciência, mas a mim choca-me.

    ResponderEliminar
  94. Ilustre Pedro Homero
    Assim sim.
    Já estamos a melhorar os conteúdos do dialogo.
    Obrigado pelo esforço.
    Admito que seja complexa a situação face aos conhecimentos da Ciência actual.
    É de facto um diálogo difícil mas não impossível.
    Pela Lógica "tudo" tem explicação.
    Miasmas - Bom, foi a Homeopatia pelo seu codificador, que iniciou o conceito de microorganismos com a palavra "miasma".
    Foi a Homeopatia a ter como nomenclatura universal o nome em "Latim", ainda hoje uma língua Universal, para classificar os seus remédios, de forma que em qualquer parte do Planeta se saiba o que está o doente a tomar.
    Estamos ainda hoje na medicina cientifica, sem se conseguir alcançar essa tarefa, e nós trabalhamos assim desde o século XXVIII.
    Reconheçamos que até aqui não estamos mal.
    Há de facto uma "energia vital" em cada "objecto" diferenciado - basta saber "ver" pelo código do ADN que cada "coisa" tem a sua "impressão" única, particular, característica. Basta "ver" que existem hoje equipamentos que "medem" em leitura baseada em micro correntes as actividades eléctricas do Organismo humano e se ainda não se sabe definir "electricidade", pessoalmente não me choca falar em "energia vital".
    A noção do "semelhante" está profundamente assente numa Parábola, que tem servido de "inspiração" absoluta, na actividade Humana em qualquer latitude, onde haja Respeito pelos valores da vida.
    Já tinha abordado o tema quando falei no "igual" - vacinas, hoje uma corrente da homeopatia que se apresenta como homo-toxicologia.
    Tudo parece indicar que se uma observação inicial é repetitiva podemos estar perante um facto.
    Reconheço que os Homeopatas preferem manter as suas terminologias sem cederem, pois é isso que os caracteriza, ainda que saibam bem estar actualizados, face à evolução da terminologia. É uma opção.
    Agora as "provas".
    Temos que formular tabelas estatísticas.
    Temos da saber aceitar que há "variáveis" na metodologia da prescrição homeopática, ou seja um Homeopata prescreve "determinado produto em determinada potenciação" caso estejam reunidos 3 "sintomas" numa mesma pessoa.
    Aqui penso que reside a diferença entre os "Testes e a Prova", mas nada de escandaloso, pois na medicina cientifica já se fala em coktails medicamentosos, nós necessitamos desse conceito de "mistura", mas nas manifestações da "doença".
    Agora, só nos prestaremos às "PROVAS" depois da Regulamentação, e penso ser uma solução Lógica, face ao que assistimos no mundo moderno em que nem um contracto assinado tem "força" suficiente para ser cumprido, caso contrário os Tribunais não teriam nem um terço do trabalho.
    E penso que muito brevemente haverá "força de Lei" para se dar inicio ao processo.
    Pessoais e cordiais saudações.
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  95. Reposta de uma Utente da Homeopatia ao dito "placebo"
    O meu Filho não é um placebo.
    http://www.amena.tcpnsa.com/Comunidade/Blog-AMENA/ESPACO-UTENTES-das-TNC
    Att.
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  96. Mias um "caso" BICUDO que não nos envergonha quanto ao dito "PLACEBO"
    Coragem não falta e as "provas" SÃO VISÍVEIS, VIVAS E SAUDÁVEIS.
    http://www.amena.tcpnsa.com/Comunidade/Blog-AMENA/ESPACO-UTENTES-das-TNC
    Att.
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  97. Amigo Neves,
    Relatos pessoais podem ser muito interessantes, mas não são prova, como aliás o senhor saberá.

    Assina um dos barbudos,
    Pedro Homero

    ResponderEliminar
  98. Ilustre Pedro Homero.
    Mais "provas", ou será que a quem não quer ver nada se pode fazer?
    Sabe qual a proporção de "tiro certeiro" por cada possibilidade para que uma gravidez possa ocorrer em condições ditas normais?
    Imagina a colossal desproporção nestas duas situações reportadas de situações de "desvantagem"?
    Então, no mínimo terá de admitir para si próprio que ou estamos perante a "sorte", o que não fica bem em um Homem de Ciência, ou terá de saber que há "algo" que "funciona", ainda que os nossos especialistas saibam reservar para o tempo que lhes seja favorável, a apresentação das suas metodologias.
    Att.
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  99. Num ponto concordo consigo:
    Para quem não quer ver, nada se pode fazer.

    Amigo Neves: a verdade sobre o mundo natural descobre-se com o método científico. Se não gosta, lamento, mas eu também não gosto que existam tsunamis que matem pessoas e no entanto eles existem.
    Se não compreende porque é que um relato pessoal, ou milhares de relatos pessoais não servem como prova, das duas, uma:
    a) ou não tem a capacidade para perceber algo tão simples e fundamental como isso, e mais não se pode fazer ou
    b) não quer perceber isso, porque lhe tiraria o ganha-pão, mas isso já será outro tema.

    Uma pergunta, se me permite: que práticas ditas de medicina alternativa é que o senhor pratica, se faz favor?
    Não é só homeopatia, pois não? Quais são as outras, tenha a amabilidade de responder.

    ResponderEliminar
  100. Ilustre Pedro Homero.
    Como deve saber não fui eu que escrevi este livro

    "A Máfia Médica" é o título do livro que custou à doutora Ghislaine Lanctot a sua expulsão do colégio de médicos e a retirada da sua licença para exercer medicina. Trata-se provavelmente da denuncia, publicada, mais completa, integral, explícita e clara do papel que forma, a nível mundial, o complot formado pelo Sistema Sanitário e pela Industria Farmacêutica.

    Nem participei neste ESTUDO CIENTIFICO.
    http://www.mdsaude.com/2009/01/dst-sifilis.html

    Com este tipo de "Cientistas" NÃO FALO!.
    Quanto ao "método" que tem preconizado, saiba que há muito mais "horizonte" do que o pretendido pelo método que voçês propalam e dizem aceitar.
    Que eu saiba ainda não pedi dinheiro ao Estado para exercer a minha profissão e não penso pedir, ainda que reconheça a comodidade que isso me traria à vida, como tanto vejo acontecer com os que se encostam aos Impostos por todos pagos.
    A melhor metodologia que encontro para as vossas necessidades de Provas ressaltam claro com a ESTATÍSTICA, pensando eu que aceita que ESTATÍSTICA também é Ciência.
    Quanto ao método que tentam Impor às TNC não vislumbro como o vão conseguir fazer, pois estamos num Estado de Direito e Democrático, e garanto que assim vai ter de continuar pois disso depende a SANIDADE Mental desta Moderna Humanidade.
    De outra forma tenho o meu campo de combate mais que definido.
    Quanto ao que faço na minha profissão responderei com gosto assim que se der a troca de informação.
    E deve, em nome da VERDADE começar a não confundir, "Medicina alternativa" com "Terapêuticas Não Convencionais"
    Att.
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  101. Gostaria de saber a opinião dos homeopatas portugueses em relação a esta recomendação da Homeopathy Plus!, um site homeopático australiano - http://homeopathyplus.com.au/?s=Radiation

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Sr., Pedro Homero desconhece o que a medicina convencional faz? os toxicos crueis da quimioterapia e os efeitos sedcudarios dos medecamentos. Ainda assim os lobes da industria farmaceutica e os lixos de milhões sem fins terapeuticos. Atacar a homeopatia é não conhecer quem foi o seu mestre? ora bem...os primordios curandeiros deram o que hoje se conhece como medicina convencional! Como se a ciencia fosse tudo, em que tudo a ciencia não sabe?

      Eliminar
    2. Sr. Pedro Homero

      Daqui fala uma pessoa que infelizmente tem tido grandes problemas com medicamentos de farmácia dito legais e até tenho na família médicos e farmacêuticos. Os medicamentos homeopáticos têm sido a minha salvação para grande espanto da medicina dita normal. Só tenho uma pergunta a fazer: Foi atacado por alguém que defende a homeopatia? Porque da forma que fala diria que foi espancado em criança por pais defensores da homeopatia.
      Cumprimentos .

      Eliminar
  102. Ilustre Pedro Homero.
    Falando como sempre em nome pessoal temos de encarar de frente a situação.
    Estive em 1993 em Kiev Ucrânia onde colaborei em "tratamentos" aos sobreviventes de Chernobyl.
    Fiquei estupefacto com a capacidade de adaptação do Corpo Humano.
    Sangue arterial, cor de "rosa" nunca tinha visto.
    E foi possível minorar algum do sofrimento que afectava aqueles semi-vivos.
    Penso que o mais importante é centrar atenções na soberba humana que tem desafiado a Mãe Natureza.
    Construir centrais atómicas nos locais sujeitos a sismos é de facto Soberba da Ciência, ainda que o Japão reconhecidamente é um País com capacidade tecnológica para conseguir minorar alguns efeitos dos sismos.
    Tenho como máxima que o que foi inventado para a destruição, não tem efeitos benéficos para a humanidade.
    Já chegava a capacidade destrutiva da Natureza, quanto mais somada à rara capacidade que temos de Destruição.
    Ainda há pouca experiência no Mundo sobre a Radiação/Homeopatia, mas admiro a coragem de quem faz "caminho" na experimentação.
    Att.
    Fernando Neves

    ResponderEliminar
  103. Bom pelos vistos o Japão também não aprendeu nada com Chernobile e com Harrisburgue. A catástrofe nuclear continua.

    Bem há sempre quem seja do contra, ora porque sim ora porque tem os interesses noutra banda.
    Também se deduz facilmente que há por aí uns seres que como não gostam do açúcar nunca devem então pedir sobremesa, até por além de ter esse ingrediente não são nada baratas e encarecem bem o pagamento a ser efectuado já para não dizer que os pneus ficam inchados.

    Aos do contra, façam como os outros e peçam uma garrafa do vinho bem português, bom se calhar também tem açúcar....


    Cmpts

    M. Silva

    ResponderEliminar
  104. Ex.mos Senhores

    Em primeiro lugar os meus melhores cumprimentos.

    Só hoje tomei conhecimento da utilização do meu nome nos comentários deste blogue, que respeito com a abertura (atitude que excede a tolerância) de espírito que julgo possuir.
    Apenas dois esclarecimentos:
    1. - Não postei nenhum dos comentários nem solicitei a qualquer amigo que o fizesse;
    2. - Não exerço e nunca exerci clínica homeopática remunerada - apenas no domínio dos Homeopatas Sem Fronteiras. Todo o meu trabalho (peço desde já perdão se estou a prestar um mau serviço à humanidade com as minhas "convicções) na net é gratuito, não admitindo sequer nos meus blogues qualquer tipo de publicidade.

    Respeitosamente.

    Zé Maria Alves

    ResponderEliminar
  105. Querido Pedro,
    Tem família; como por exemplo.....mulher.....filhos???Pais, deve ter de certeza...
    Gosta da sua família, ou, apenas por alguma conveniência....?
    Já teve relações....ao que a ciência chama.... sexuais........?Se sim.....quantas vezes.....? Aí também teve a necessidade de fazer testes....e seguir métodos científicos.....ou foi apenas.....acontecendo? Como sabe que é verdade o que experenciou? Foi bom.....foi mau? Foi.....n foi....vai sendo......quais os seus problemas?
    Deixe lá cada um ir fazendo as suas próprias escolhas.....mas já que tanto se preocupa com a saúde e o bem estar geral e que gosta de manifestações.....permita-me..... Comece pela alimentação.....tudo contaminado com quimicos.... Pesticidas....herbicidas.....e tudo o mais.....e ainda não vêm com o símbolo do tóxico lá colado....apenas uma ideia.....comece por algo q valha mesmo a pena.....
    livre arbítrio....determinismo.....saltos quânticos...... Blá blá blá..... A tua conversa é de uma violência....claro....como bom intelectual....psicológica.....porque fisicamente duvido que consigas apertar os atacadores ou sequer coçar as costas.....blá blá blá.... E vai tudo....no seu rumo, na sua trajectória

    ResponderEliminar
  106. Uso homeopáticos para alergias respiratórias, e , de longe a medicina convencional conseguiu me ajudar como a homeopatia faz por mim... Homeopatia jaaaaaa!!!!

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.