segunda-feira, 31 de maio de 2010

TRÊS POEMAS DE PIET HEIN

Na última "Gazeta de Matemática" (Abril 2010), Natália Bebiano e F. J. Craveiro de Carvalho, no seu artigo "Uma Mente não menos brilhante. Os grooks de Piet Hein", falam da vida e obra do matemático e poeta dinamarquês Piet Hein (o inventor do jogo do Hex). Eis três breves poemas que eles traduziram:

Primeiro as Últimas Coisas

Soluções para problemas
são fáceis de encontrar:
o problema é uma boa
contribuição.
O que realmente é uma arte
é torcer a mente
e obter um problema que encaixe
numa solução.

Revelação à Meia-Noite

Toda a gente
pensa no Infinito
como um oito
deitado.
Mas de repente
apercebo-me
de que o oito é
o Infinito levantado.

Indo ao Fundo das Coisas

A nossa morada terrena
contrair-se-á progressivamente
até cada antípoda ficar
sobre o seu antípoda.

Piet Hein

7 comentários:

  1. Há muita gente incapaz
    de distinguir o que seja
    a diferença que faz
    a ginja de uma cereja.

    JCN

    ResponderEliminar
  2. Para quem estiver interessado em conhecer O jogo do Hex, ou por curiosidade.

    ResponderEliminar
  3. Quis eu com isto dizer
    que nem tudo o que parece
    é poesia a valer,
    pois do seu jeito carece!

    JCN

    ResponderEliminar
  4. Na Dinamarca talvez
    isto seja poesia,
    mas ao gosto português
    mais não é que acrobacia!

    JCN

    ResponderEliminar
  5. Quando a terra se encolher
    e os opostos se tocarem,
    já ninguém há-de viver
    para o acto constatarem!

    JCN

    ResponderEliminar
  6. ainda bem que tanta gente há conhecedora de poesia e dos problemas da sua tradução.
    Só uma nota não dispicienda. Naquilo que é referido como terceiro poema falta uma estrofe.

    ResponderEliminar
  7. já ninguém há-de viver
    para o acto constatarem!


    constatarem?????????? não será constatar??????????????????

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.