sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Portugal passeia os olhos pela superfície lunar


Informação recebida da organização do Ano Internacional da Astronomia:

Dias 27 e 28 de Novembro iniciativa decorre em Espinho, Bragança, Lisboa, Cascais, no Porto e no Funchal

Já alguma vez viu de perto a Lua? Muito antes de Neil Armonstrong a ter pisado, foi há precisamente 400 anos que um homem, Galileu Galilei, pela primeira vez passeou um olhar próximo pela superfície lunar com a ajuda de uma luneta construída por si próprio. Nos dias 27 e 28 de Novembro, o Ano Internacional da Astronomia (AIA 2009) desafia o Porto, Espinho, Bragança, Lisboa, Cascais e o Funchal a verem de perto a Lua, com a ajuda dos telescópios dos diversos nodos aderentes. A participação é livre.

Serão promovidas sessões de observação da superfície da Lua no Porto (Edifício do CAUP/Planetário do Porto), a 27 e 28 de Novembro, a partir das 21 horas, em Espinho (Centro Multimeios), na sexta-feira 27, também a partir das 21 horas, em Bragança (Centro de Ciência Viva de Bragança), nos dias 27 e 28 de Novembro (21h00), no Funchal (Universidade da Madeira), a partir das 22 horas de sexta-feira, em Cascais (Centro de Interpretação Ambiental da Ponta do Sal), a 27 de Novembro, pelas 22h30, e em Lisboa (Observatório Astronómico de Lisboa), a partir das 20 horas, também no dia 27.

A observação está integrada no projecto do Ano Internacional da Astronomia "E Agora Eu Sou Galileu", que pretende dar a conhecer as descobertas que Galileu fez há 400 anos com a sua luneta: da superfície Lunar, às fases de Vénus, de Saturno e Júpiter às manchas do Sol.

As últimas novidades do "E Agora Eu Sou Galileu" poderão ser acompanhadas através do servidor de microblogging Twitter, online na página do Facebook ou ainda na página oficial do projecto.

O Ano Internacional de Astronomia (www.astronomia2009.org) é organizado em Portugal pela Sociedade Portuguesa de Astronomia, com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), da Fundação Calouste Gulbenkian, do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, da Agência Ciência Viva e da European Astronomical Society (EAS).

Sem comentários:

Enviar um comentário

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.