terça-feira, 29 de julho de 2008

Passatempo com prémio

A pretexto do post de Carlos Fiolhais intitulado «Os 100 maiores intelectuais» (em que o nome de Noam Chomsky aparece logo à cabeça), o DE RERUM NATURA e o SORUMBÁTICO decidiram, como já sucedeu anteriormente, organizar um passatempo de Verão cujo prémio é um exemplar de um dos livros que aqui se vêem.
Para concorrer, basta afixar um comentário (aqui, NESTE mesmo post) sobre Noam Chomsky ou outro dos intelectuais da lista durante as próximas 24 h.
Responsáveis pelos dois blogues escolherão o melhor comentário.
*
Actualização (30 Jul 08/22h05m): foi possível arranjar um 3.º livro (surpresa), o que permite premiar três leitores - Anita, Luisa e Pequete -, a quem se pede que, nas próximas 48h, escrevam para sorumbatico@iol.pt indicando nomes e moradas.
A distribuição será feita assim: Anita e Luisa receberão estes livros de Chomsky. Deverão indicar qual preferem; a primeira a responder receberá o livro que pedir, e a segunda receberá o outro.
A Pequete caberá o livro-surpresa, que, embora de outro autor, é de valor semelhante aos outros dois.

12 comentários:

  1. Dos aludidos nomes, aquele que muito me apraz que figure nesta honrosa lista é o do espanhol Fernando Savater, filósofo que descobri na minha adolescência ao ler o (poder-se-á dizer best-seller?) "Ética para um jovem". Foi a melhor lição de ética, liberdade, igualdade e justiça que alguma vez recebi. Mais tarde li com a mesma sofreguidão "Política para um jovem" e estou certa que ambas as obras foram relevantes para a minha noção de cidadania e, consequentemente, determinantes no meu respeito e interesse pela causa pública. Hoje continuo a acompanhar a obra e a vida de Savater, que vai arrecandadando merecidos prémios e ganhando merecida notoriedade pelo mundo fora; até pela sua coragem em continuar a lutar contra a ETA, mesmo depois de ter sido por duas vezes ameaçado de morte por aquele grupo terrorista...

    ResponderEliminar
  2. Sem desmerecer das ideias, ideiais, e esforços vários dos muitos intelectuais que aparecem referidos, e porque tenho curiosidade de ler Noam Chomsky de quem, reconheço, ainda não li nada, acho que é de lamentar que para ser um dos 100 maiores intelectuais (porque não 99 ou 101?...) seja preciso ser listado por aqueles que não o são, um pouco como num concurso de popularidade ganho pela mediatização, volume de vendas - e nacionalidade, já que as nacionalidades anglo-saxónicas tipicamente contam mais pontos.
    Ainda assim, gostava de ler Noam Chomsky e aqui vou a concurso! E se tenho de comentar um destes intelectuais, então comento Bjorn Lomborg: gosto da associação entre demografia/sociedade e estado do ambiente - não há bom ambiente sem sociedades saudáveis, claro. Mas nem o 'ambientalista céptico' se arrisca a ser frontal sobre como resolver o excesso demográfico e os desequilíbrios sociais globais que vivemos...
    Ana Luísa

    ResponderEliminar
  3. O meu eleito é o biólogo Jared Diamond. Ao contrário da maioria dos biólogos, que se especializa num determinado campo de investigação (por muito meritório que este seja), Diamond fez, de forma brilhante, uma ponte entre a biologia, a ecologia e a antropologia. Os seus trabalhos sobre o apogeu e a extinção de diferentes civilizações ao longo da história, e sua relação com as alterações ambientais, dão muito que pensar e deveriam ser leitura obrigatória para os governantes de qualquer país. Por outro lado, a sua crença no facto de o o curso da história ter sido o que foi devido às diferenças entre os ambientes em que os diferentes povos / raças se moviam, e não às diferenças biológicas entre esses mesmos povos / raças, dão igualmente que pensar, a todos nós.
    A minha escolha peca, certamente, por algum tendenciosismo. Interesso-me por questões ambientais, gosto de história, e a minha ignorância leva-me a desconhecer o trabalho de muitos dos outros intelectuais que fazem parte da lista...

    ResponderEliminar
  4. Noam Chomsky é realmente maçador. Na sua especial cosmovissão todas as culpas dos problemas do mundo são devidas ao imperialismo dos EUA. Com certeza têm culpa de muita cousa, mas todas todas ... é demais.

    Concordo com pequete em considerar a obra de Jared Diamond uma das mais importantes e esclarecidas dos últimos decénios. Para ele vai o meu voto.

    Fernando Savater não é tão maçador como Chomsky, mas se lhe aproxima. Além do qual, quer impor o castelhano como a única língua na Espanha, cousa que não me agrada em absoluto.

    Postos a escolher um filosofo opto sem dúvida por Daniel Dennett, que foi capaz de tender uma ponte firme entre filosofia e ciência. A sua obra Breaking the Spell, é densa mas brilhante.

    ResponderEliminar
  5. Partilho com os comentários anteriores a curiosidade de ler Chomsky e as lições de ética de Savater. Da esquerda radical do norte-americano, descobri essa determinação, quiçá determinismo, dos media à propaganda e à ditadura do poder. Na defesa e no ataque, é um pensador de Guerra e de guerras e, como guerreiro das ideias, das batalhas em que se mete e que metem o Médio Oriente e esse terrorismo latente que inebria a administração Bush prestes a terminar, Chomsky pode bem fazer-se valer da sabedoria popular portuguesa que diz que se "dá e leva". Gostava de ler melhor a sua "conspiração", as ideias que o tornam amado e odiado, as perspectivas que aponta para essa América dos tempos modernos, de intelectos mais despertos e da vitória de alguns radicais. É curioso ver contar na lista os intelectuais muçulmanos (lideram os lugares cimeiros) e talvez aí entender por que guerras se mete a América que Chomsky critica. Bom trabalho, sobre a natureza destas e outras coisas do nosso mundo!

    ResponderEliminar
  6. Chomsky? Consta que certa vez o convidaram para fazer uma palestra sobre linguística cá em Portugal, a que ele terá reagido dizendo que só viria se pudesse falar de política. Não sei se acabou por vir. Muito provavelmente não! Gostava de ler esse livro, e muitos outros, se pudesse. Mas agora também queria poder pegar numa enxada. Abraço
    Adelaide Chichorro Ferreira

    ResponderEliminar
  7. Embora seja possível continuar a afixar comentários, só serão tidos em conta, para efeitos de prémio, os que foram afixados antes das 10h00m de hoje.

    Logo que possível, o nome do vencedor será anunciado, no 'post', em «Actualização»

    ResponderEliminar
  8. Reagi espontaneamente ao nome de Chomsky, como é óbvio. O prémio é secundário e prescindo dele (se é que há realmente vários exemplares e um deles calharia a mim...), por isso dêem-no a uma pessoa que necessite verdadeiramente de ler este autor - de quem, aliás, não sei muito, mas que sempre me intrigou pela sua «dupla personalidade» de activista político e de linguista... Seleccionem por ex. um político a quem pudesse ser oferecido este livro, a troco de um pequeno comentário sobre ele.
    Um abraço
    Adelaide Chichorro Ferreira

    ResponderEliminar
  9. Ver actualização das 22h05m.

    Obrigado a todos
    e
    um abraço!

    ResponderEliminar
  10. Actualização (31 Jul 08/19h02m):

    Anita foi a primeira a responder e escolheu i livro »Piratas e Imperadores...».

    Aguarda-se agora, apenas, a morada de Luísa para lhe ser enviado o outro livro.
    Atenção ao prazo indicado na "Actualização" (48h, que terminam às 22h05m de amanhã).

    ResponderEliminar
  11. Espero que entretanto já tenham recebido o meu email,
    Bom fim-de-semana,
    Luísa

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.